Follow Us @soratemplates

06/02/2018

Resenha :: Não Conte a Ninguém


Em “Não Conte a Ninguém” conhecemos David Beck, um pediatra que trabalha no serviço público e ainda está lutando para reconstruir sua vida após o assassinato de sua esposa, Elisabeth Parker.

Logo no início do livro, David está se recordando do fatídico dia, oito anos atrás, em que ele e Elisabeth estavam no lago Charmaine fazendo seu ritual romântico em comemoração a mais um aniversário da data de seu primeiro beijo, e são atacados. David é deixado inconsciente no lado para se afogar e ela é sequestrada. Elisabete posteriormente é encontrada morta e com o rosto marcado com a letra “K” em ferro em brasa, logo ligam o crime à obra do Serial Killer Killroy.

O caso volta à tona quando, após uma intensa chuva, dois corpos são encontrados nas proximidades do crime que ocorreu anos atrás, além disso, há o taco de beisebol que havia nocauteado David, com isso, ele acaba por se tornar um possível suspeito de ter sido o algoz de Elisabeth. Como se não bastasse, David recebeu um misterioso e-mail que reacende a centelha de esperança que ele ainda alimentava: a possibilidade de sua esposa estar viva.

“A mente não deveria visitar certos lugares, mas a minha sempre acaba sendo levada até lá.”

Após o recebimento do e-mail, Beck segue todas as instruções contidas nele, tenta relembrar da noite em que tudo ocorreu, visita os pais de Elisabeth e amigos, tudo na busca de encontrar novas pistas e ainda por cima se provar sua inocência... Como é de se esperar em um livro de mistério/suspense a tensão vai aumentando conforme o virar de páginas, entretanto, alguns ‘absurdos’ me incomodaram durante a leitura – achei que o autor quis forçar a barra em alguns momentos, achei desnecessário.

“Eis a verdade sobre as tragédias: elas fazem bem à alma. O fato é que sou uma pessoa melhor por causa das mortes. Se tudo tem seu lado positivo, este, sem dúvida, é bem frágil. Mas existe. Isso não significa que valha a pena, que a troca seja justa ou algo semelhante, mas sei que sou um homem melhor do que era antes. Tenho uma noção mais apurada do que é importante. Compreendo melhor a dor das pessoas.”

Este foi meu primeiro contato com uma obra de Harlan Coben, a leitura foi bem fácil e tranquila, creio que para quem não está habituado ao gênero seja uma opção, caso você já tenha o hábito, encare apenas como uma leitura de passatempo e se divirta!

“Não Conte a Ninguém” foi o livro mais aclamado de 2001, indicado para diversos prêmios, entre eles Edgar, Anthony, Macavity, Nero e Barry. O livro também foi adaptado cinematograficamente na França em 2006 e recebeu o título “Ne le dis à personne”, concorreu em nove categorias do prêmio César e levou quatro, entre elas: melhor ator e melhor diretor.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Não conte a ninguém
Ano: 2014
Páginas: 240
Editora: Arqueiro
Sinopse (Skoob):
Há oito anos, enquanto comemoravam o aniversário de seu primeiro beijo, o Dr. David Beck e sua esposa, Elizabeth, sofreram um terrível ataque. Ele foi golpeado e caiu no lago, inconsciente. Ela foi raptada e brutalmente assassinada por um serial killer.
O caso volta à tona quando a polícia encontra dois corpos enterrados perto do local do crime, junto com o taco de beisebol usado para nocautear David. Ao mesmo tempo, o médico recebe um misterioso e-mail, que, aparentemente, só pode ter sido enviado por sua esposa.
Esses novos fatos fazem ressurgir inúmeras perguntas sem resposta:Como David conseguiu sair do lago? Elizabeth está viva? E, se estiver, de quem era o corpo enterrado oito anos antes? Por que ela demorou tanto para entrar em contato com o marido?
Na mira do FBI como principal suspeito da morte da esposa e caçado por um perigosíssimo assassino de aluguel, David Beck contará apenas com o apoio de sua melhor amiga, a modelo Shauna, da célebre advogada Hester Crimstein e de um traficante de drogas para descobrir toda a verdade e provar sua inocência.


Informações: WikipediaAmazon Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!