Follow Us @soratemplates

12/03/2018

Resenha :: Pablo Rangel, sem subtítulo


Oi, queridos faroleiros. Hoje, vou resenhar um livro bem diferente dos que costumo trazer aqui para o Clube. Pablo Rangel, Sem Subtítulo é um infanto-juvenil nacional.

Lia muito quando criança. Adorava a série Vaga-Lume, mas, à medida que fui me tornando um adolescente, eram poucos títulos que chamavam a minha atenção. Foi quando os filmes em VHS que meus pais alugavam foram me conquistando. Minha adolescência foi de poucos livros, mas de muito cinema e filmes alugados. Spielberg e John Hughes foram meus heróis. Sim, estou falando dos anos 80!

Estou contando isso porque o autor Gustavo Majory fez uma pesquisa on-line em 2011 para descobrir porque o público masculino, durante a adolescência, tem dificuldade de desenvolver o hábito de leitura. Ele descobriu que há pouca oferta de literatura nacional voltada para o público adolescente masculino. A maioria dos livros são voltados para o público feminino e os meninos não têm como se identificar com personagens melodramáticos que buscam sempre o “felizes para sempre”. Foi exatamente o que aconteceu comigo. Me identifiquei mais com os nerds das histórias de John Hughes e com as aventuras fantásticas de Spielberg do que os romances.

Cinco anos depois, o autor publicou a história de Pablo Rangel, um garoto de 15 anos que está no primeiro ano do ensino médio de uma escola pública. A narrativa de Majory é em primeira pessoa como se o próprio autor fosse o Pablo Rangel mais velho. Acredito que algumas passagens tenham acontecido com Gustavo ou com algum de seus amigos. Pablo é um adolescente comum que comete erros como qualquer adolescente da vida real. Ele critica os professores, cola nas provas e tem seus preconceitos. Quem nunca? Por isso a identificação é imediata, mesmo para aqueles que já passaram pela adolescência há algum tempo.

Boa parte de nossas lembranças, que temos quando adultos, são as pequenas aventuras em casa, os passeios que realizamos, mas sempre o que marca é o longo tempo que passamos dentro da escola.

O livro descreve a vida de Pablo durante o último bimestre do primeiro ano. É praticamente um diário, sem ter uma história central. Ele vai contando à medida que as coisas vão acontecendo ou ele vai lembrando. Isso faz com que a história perca o foco. Acabam sendo acontecimentos ao acaso. Quando a história ganha mais força por causa de uma descoberta, tudo soa falso e superficial.

Os pontos altos do livro foram a narrativa apropriada para o público alvo e a forte identificação com o personagem principal. Os capítulos são curtos e rápidos de se ler.

Gustavo Majory é mineiro, natural de Divinópolis e já tem 7 livros publicados pela editora Meus Ritmos. Já escreveu poesia, infantil, jovem adulto, mas gosta mesmo desse universo infanto-juvenil.  Seu livro mais famoso é O Musical. Você pode saber mais sobre ele por meio da sua conta no Instagram, @gusttavomajoryoficial.

A história me fez lembrar da época de escola. Que nostalgia!

Beijos, André.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Pablo Rangel
sem subtítulo
Ano: 2016
Páginas: 130
Editora: Meus Ritmos
Sinopse (Skoob):
Este livro é terminantemente proibido para:
Meninas
CDF's
Professores
Pessoas Caretas
Escolas
Bibliotecas
Depois não diga que não avisei!

Saiba mais sobre o livro conferindo a sua página no Facebook, clicando aqui!


A editora Meus Ritmos é uma nova editora séria, preocupada não em publicar best sellers, mas sim em lançar livros com qualidade, dando oportunidade para novos autores publicarem. Saiba mais sobre ela acessando as suas redes sociais:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!