Follow Us @soratemplates

14/04/2018

Resenha :: A Maldição do Vencedor (Trilogia do Vencedor #1)


Olá pessoal,

Hoje trago para vocês A Maldição do Vencedor, que é o primeiro livro de uma trilogia (todos os livros traduzidos e já lançados no Brasil), onde a autora Marie Rutkoski nos apresenta o mundo conflituoso, vivido pelos olhos de Kestrel, e trágico, vivido pelos olhos de Arin, os protagonistas da história. Herran é um território recentemente ocupado pelos valorianos e seu povo, os herranis foram escravizados no processo. Arin é um desses escravos e Kestrel, uma valoriana, filha do general, arremata esse escravo num leilão emocionante onde o jovem chama a sua atenção, porque foi apresentado como cantor.

“O escravo estava olhando fixamente para ela agora, o que não era nenhuma surpresa, visto que ela tinha iniciado aquela loucura. Kestrel sentiu algo dentro de si se equilibrando na linha entre o destino e a escolha.”

Então não resta nada a Kestrel, senão levar sua aquisição para casa e conviver com ele todos os dias. Mas o jovem a perturba de um modo que ela não compreende. Arin se recusa a cantar, o que a deixa frustrada, pois a garota toca piano e adoraria ouvi-lo. Conforme os dias se passam, as interações entre eles são inevitáveis. Kestrel ainda não sabe o verdadeiro nome de Arin. Desde o leilão fora apresentado como Smith e assim é chamado por todos.  Também não imagina quais são suas verdadeiras pretensões.

Por outro lado, Arin descobre que Kestrel é mais do que a filha mimada do general: é uma exímia jogadora de “morder e picar” e esvazia os bolsos dos homens num piscar de olhos. E que a garota encontra-se num dilema de vida, pois o seu pai espera que ela tome lugar ao seu lado no exército valoriano, enquanto ela só quer tocar seu piano e deixar decisões sobre o futuro para mais tarde.

“Então, ele a encarou, e ela ficou tão surpresa que deixou uma mão cair sobre as teclas com um som nada musical. Arin sorriu. Era um sorriso sincero, que mostrou a ela que todos os outros tinham sido falsos. – Obrigado – ele disse.”

Assim, quando Arin fica em apuros, a garota corajosamente entra em cena para ajuda-lo, mesmo que sua própria vida esteja em risco. O escravo se desespera ao vê-la se sujeitar ao risco, mas nada do que ele faça ou diga a faz voltar atrás. Este ato expõe a relação dos dois perante a sociedade valoriana que habita Herran e preocupam seus amigos Jess e Ronan, que é apaixonado por Kestrel.

“Ele não tinha direito, Kestrel pensou. Não tinha direito de confundi-la. Não agora, quando ela precisava de clareza. Tudo tinha parecido ser tão simples na noite anterior, na escuridão da carruagem.”

O sentimento e a confiança dos dois são colocados à prova quando uma rebelião acontece e a guerra entre herranis e valorianos é iminente. A realidade de ambos muda drasticamente e Kestrel se vê sozinha em meio ao caos que o mundo deles se transformou. Diante da nova realidade ela tem a oportunidade de conhecer o verdadeiro Arin, seu passado quando não era escravo e todos os motivos que o levaram a tomar as decisões que culminaram na situação presente deles.

“Fale, eles diziam.
Fale, o beijo respondia.
O amor estava na ponta da língua de Kestrel. Entretanto, ela não conseguia pronunciá-lo.”

E quando Kestrel toma a decisão que pode mudar tudo entre ela e Arin, deixará para trás tudo pelo que passaram? Ou sua esperteza nos jogos poderá salvá-los da punição de seus atos? A maldição do vencedor cobrará o seu preço e o destino do casal é uma caixinha de surpresas.

A minha leitura foi no formato digital. Confesso que prefiro os livros físicos, mas acho que minhas impressões não foram prejudicadas por causa disso. A Maldição do Vencedor é um livro original, onde os personagens não se apaixonam instantaneamente. Temos a oportunidade de acompanhar o crescimento de ambos e o desabrochar do sentimento entre eles gradativamente. Isso não quer dizer que eu fiquei cansada da leitura de início. Não, pelo contrário. A autora conseguiu me prender desde as primeiras páginas, pois o universo apresentado é rico e diferente de muitos já vistos. Então, mesmo que não haja imprint desde o começo da interação do casal Arin e Kestrel eu fiquei empolgada para saber o que ia acontecer com eles e torcendo por um final feliz.

Nota pessoal 4/5 pela fluidez da história e porque realmente adorei a leitura. Quando terminei já estava ansiosa para engatar a continuação. Super indico para quem curte um bom livro de fantasia e ficção com uma pitada de romance.

Boa leitura a todos.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

A Maldição do Vencedor
Trilogia do Vencedor #1
Ano: 2016
Páginas: 328
Editora: Plataforma21
Sinopse (Skoob):
Kestrel quer ser dona do próprio destino. Alistar-se no Exército ou casar-se não fazem parte dos seus planos. Contrariando as vontades do pai - o poderoso general de Valória, reconhecido por liderar batalhas e conquistar outros povos -, a jovem insiste em sua rebeldia. Ironicamente, na busca pela própria liberdade, Kestrel acaba comprando um escravo em um leilão. O valor da compra chega a ser escandaloso, e mal sabe ela que esse ato impensado lhe custará muito mais do que moedas valorianas. O mistério em torno do escravo é hipnotizante. Os olhos de Arin escondem segredos profundos que, aos poucos, começam a emergir, mas há sempre algo que impede Kestrel de tocá-los. Dois povos inimigos, a guerra iminente e uma atração proibida... As origens que separam Kestrel de Arin são as mesmas que os obrigarão a lutarem juntos, mas por razões opostas. A Maldição do Vencedor é um verdadeiro triunfo lírico no universo das narrativas fantásticas. Com sua escrita poderosa, Marie Rutkoski constrói um épico de beleza indômita. Em um mundo dividido entre o desejo e a escolha, o dominador e o dominado, a razão e a emoção, de que lado você permanecerá?

6 comentários:

  1. Ei miguxa... Amei sua resenha!!! Bem vinda ao clube e parabéns!! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol linda saudades de você! Que bom que gostou! Bjs e Obrigada!

      Excluir
  2. Linda resenha me deixou com vontade de ler !!! Muito me interessa os romances !!! Beiju e Parabéns Jamile

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Márcia! Fico feliz em saber que minha resenha motivou você! Le e me conta depois o que achou do livro!

    ResponderExcluir
  4. Oii Jamile. Eu amei essa trilogia apesar desse primeiro livro ter sido bem fraquinho. Um dos pontos que mais gostei foi justamente um que você destacou que é o não amor a primeira vista de Kestrel e Aryn. Acho que a história de ambos evoluiu de forma bastante magnifica. Vou fizer torcendo para você também gostar dos outros. Beijos.

    Blog: Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  5. Avebtura? Romance? Eu já quero hahahaha
    Já li algumas resenhas desse livro, mas a sua me chamou mais a atenção! Consegui entender bem melhor do que se trata o livro e posso dizer que “agora sim quero ler!”

    Osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!