Follow Us @soratemplates

26/05/2018

Resenha :: Os Livros de Esteros — As Crônicas de Fedors


Olá! Começo dizendo que ficou uma resenha em duas etapas, então leia minhas primeiras impressões, e depois essa resenha. Porque aqui me atenho às crônicas desse primeiro tomo da série.

Você pode começar simplesmente pela narrativa de Fedors, e ainda sim ser envolvido pela história de uma forma única. Como toda a criação do universo foi recontada e recriada, o autor contou com toda liberdade para criar a trama e os personagens como pretendeu, sem precisar se preocupar com realismos desnecessários, deixando tudo único e irretocável. Preciso deixar claro que Esteros não é a reinvenção da fantasia, mas no meu modo de ver foi feito algo inédito a partir do universo comum ao gênero fantástico. Toda a trama é bem amarrada e deixa aquela curiosidade no ponto certo para as respostas que virão neste nos próximos livros da série e também para as próximas perguntas. Dito isso, vamos às Crônicas de Fedors.

As Crônicas de Fedors  — como o título já revela — é uma narrativa histórica que expõe os fatos seguindo uma ordem cronológica, o que preciso dizer foi perfeito para essa história. Porque simplifica para o leitor menos experiente e deixa uma leitura prazerosa para os acostumados com fantasia medieval.

Com a história contada por Fedors em seu encontro com Salazar, os fatos são propositalmente narrados a alguém que nada sabe da história, o que deixa tudo de tal forma que não existe a preocupação em conhecer os personagens, a medida que são apresentados o leitor vai identificando cada um. Tudo feito de forma tranquila e detalhada o suficiente para colocar o leitor na história sem deixa-la em nenhum momento superficial ou cansativa. Muito pelo contrário, deixa aquela sensação de só mais uma página... risos (sim essa mesma, não tem como largar...), afinal esse é "só" o primeiro livro, então prepara-se para já querer o próximo.

Devo dizer, que você esquece de que a história está sendo contada e isso é mágico, logo é você que está visitando os castelos, a academia e acompanhando o crescimento e treinamento dos filhos do rei. Achei interessante o fato de a história conter elfos, orcs e outros seres conhecidos, porque facilitou a imaginação dos personagens, porém de uma maneira diferente daquela encontrada em outros livros. Explico: mesmo imaginando um elfo como "Legolas" eu não poderia em momento nenhum dizer que a Rainha Elfa aqui seria Arwen, ela assim como todos os personagens tem características muito distintas e únicas.

Com a história contando a partir da infância dos filhos do rei, podemos ver como cada um já eram diferentes entre si, como cada personalidade já demonstrava muito sobre o caráter de cada criança. O treinamento dos jovens príncipes na academia de Petrus e a vida no castelo é uma introdução ao mundo medieval das conquistas e das guerras. Já que em um temos o ambiente do Poder e do acolhimento na família e em outro o treinamento das habilidades que formam o guerreiro e o líder, deixando claro como as escolhas moldam o futuro e revela quem cada um realmente é.

Fiquei impressionada com a capacidade de demonstrar como o mal se alastra na mente e no coração de qualquer ser que deixe uma pequena semente desse mal brotar dentro de si. Toda a sutileza dos mais simples erros até às verdadeiras intenções por trás de falsos elogios são bem apresentados. O papel de "Aurélio Destrus" ou Destructor, o eracicto que viu no aviso do Mago Panderios ao Rei Mustafar a chance pela qual vinha ansiando e no erro do “errei em não ouvir tal aviso sua grande oportunidade”.

O garoto que me segue demonstra interesse pela batalha, sonha com o poder e admira sua espécie.

E assim, momentos depois, em um batismo de luta e sangue, nascia Vamcast, o impiedoso. E morria a inocência do menino. Abrindo as portas para a guerra e a morte, o destino de todo o Reino começava a ser selado e o mistério por trás da figura apodrecida de Fedors fica cada vez maior.

— O maior inimigo da  verdade não é a mentira deliberada, planejada, desonesta, mas sim o mito persistente, intolerante e irreal. O mal sempre existiu, sempre esteve ali.

À medida que o mal cresce o ritmo da história fica intenso e não dá vontade nenhuma de largar até descobrir tudo que ainda tem para acontecer, afinal Andor, príncipe de Naires não era mais nenhum menino e contava com a companhia de Angel, Bardor e Mandorados já não via o mundo da mesma maneira. Porém esse conhecimento do mundo não seria suficiente para parar os fatos que iriam acontecer a seguir, e devo avisar que nem de longe o final desse livro pode ser imaginado, até porque ele é o primeiro e não realmente termina quando acaba.

— Morte a morte! Guerra à guerra! Vida à vida! Ódio ao ódio. Esse será apenas o começo de uma era obscura. Que a sua morte se torne o início.

Toda a narrativa do texto flui muito bem, deixando a leitura instigante e num ritmo perfeito, quase cinematográfico mesmo, porque é fácil imaginar os cenários e os personagens vivendo neles. Todo o texto é bem estruturado com as pontas bem amarradas, seja para aumentarem a curiosidade ou encerrar alguma parte da trama. Eu gostei bastante dos diálogos, porque não são do tipo que me deixaram confusa durante a leitura, mesmo seguindo a linha medieval e as formalidades da realeza ou da hierarquia militar.

Sobre livro em si, preciso dizer que a encadernação é maravilhosa, a impressão e o papel são perfeitos e a diagramação ficou linda, sério gente. O livro está todo com um acabamento perfeito, com ilustrações lindíssimas entre os capítulos.


Nota ::  4,5 


Informações Técnicas do livro

Os livros de Esteros
As crônicas de Fedors #1
Ano: 2016
Páginas: 305
Editora: Selo Jovem
Sinopse (Skoob):
“A minha consciência é atormentada por milhares de vozes e cada uma traz-me milhares de histórias, e em todas elas eu sou o vilão condenado. Voltarei no tempo para consertar meus erros. Eu quero me redimir, ofertarei o meu reino, todo o meu ouro, e se necessário, a minha própria alma.” 

Esteros nos leva para um mundo medieval, onde reis se tornam homens individualistas, crianças são incentivadas a fazer o bem acima de qualquer coisa, e até mesmo o mal deixa de ser temido. Entretanto, a inocência é algo inevitável para um povo que só preza a paz. 

Vamcast, o menino que desejou dominar o mundo aos 13 anos não tinha amigos e buscava constantemente o afeto do pai que era um homem frio e descuidado. Por ser assim errou na criação do seu filho. O governante descuidado traz o caos ao seu povo, mas um homem sensato precisa corrigir seus próprios erros. 

Compre o Livro Físico no site da editora, clicando aqui!


_____Sobre o Autor_____

Aldemir Alves

 Facebook / Blog / Twitter / Wattpad

Aldemir Alves nasceu em 1981 em Uberlândia /MG – Brasil. Atualmente trabalha como Design gráfico e co-editor na Editora Selo Jovem. É um autor brasileiro contemporâneo, logo com o seu primeiro livro publicado  em 2011 começou a se destacar no cenário de fantasia, tendo novas oportunidades para publicar seus livros em algumas editoras. Escreveu histórias de fantasia épica, sobrenatural, e contos baseados no mundo de Esteros. Um de seus livros de mais sucesso é "As crônicas de Fedors". Aldemir é fã das criações de Stan – Lee, do mestre Tolkien  e do brasileiro Maurício de Souza. Os seus livros prediletos sempre foram ficção científica e Fantasia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!