Follow Us @soratemplates

10/09/2016

Resenha :: A Menina da Neve


Sua cabeça estava cheia de bobagens, uma professora alertou seu pai. Você a deixa ler livros demais.

Antes de tudo preciso dizer que decidi ler esse livro pela capa que é linda (fui superficial, me julgue! ), e não sei se me arrependo disso ou não, porque meus sentimentos por esse livro estão indefinidos. Não sei se o considero bom ou ruim, se o amo ou gosto pouco dele. Ele é o que é e pronto, acabou.

Por que essas histórias infantis têm sempre de ser tão assustadoras, eu não entendo. Acho que, se um dia eu a contar para meus netos, vou mudar o fim e fazer com que todos vivam felizes para sempre. Podemos fazer isso, não, Mabel? Inventar nossos finais e optar pela felicidade em vez da dor?

O livro é baseado em um conto de fadas russo, onde um casal sem filhos faz um boneco de neve, uma menininha de neve, na verdade, e ela ganha vida. Esse conto possui várias versões, mas esse livro não é apenas mais uma delas; a autora se inspirou no conto, porém escreveu um livro meio singular e único, que tem um ritmo meio lento, sem momentos eletrizantes e nem nada; sendo mais focado nos sentimentos, por vezes até melancólicos, que o fazem ter um certo drama.

A história é narrada em terceira pessoa e se passa na década de 1920, no Alasca. Uma época e um lugar sem fogão a gás, sem energia elétrica, sem água encanada, sem aquecedor elétrico e, o que é mais surpreendente, sem micro-ondas . Chocante, né? 

Podemos escolher nossos destinos, a alegria em vez da dor? Ou o mundo cruel só dá e tira, dá e tira, enquanto vagamos pela natureza inóspita?

Uma coisa que eu tenho certeza que gostei (sem indecisão em relação a isso) foi como a autora mostrou o modo de vida no Alasca naquela época, com personagens imperfeitos e simples, mas que não são irreais, tirando uma exceção ou outra, é claro. Mostrou como aquelas pessoas tinham que cultivar, plantar, colher, criar e caçar para sobreviver, não tinham espaço para frescuras; como que por muitas vezes se sacrificavam para suportarem mais um inverno. E falando em inverno, que bela descrição dele! A descrição do ambiente é apaixonante, desde as cabanas simples, dos campos para plantio, das árvores, florestas, bosques... até cada floquinho de neve . É como se o Alasca fosse um personagem vivo e a neve tivesse personalidade própria, meio louco eu sei, mas foi o que eu senti. Sério, sou do tipo de pessoa que passa frio quando a temperatura está por volta dos 20°C, e eu quis estar no Alasca ao lado dos personagens para poder sentir o vento frio no meu rosto e ver tudo, cada detalhezinho, com meus próprios olhos que os seres de debaixo da terra hão de comer.

Na minha idade, vejo que a vida geralmente é mais incrível e terrível do que as histórias nas quais acreditávamos na infância e que talvez não haja nada de mau em encontrar um pouco de mágica entre as árvores.

Os personagens desse livro são um caso a parte. Em A Menina da neve temos: Jack e Mabel, que são um casal sofrido, dignos de compaixão, que acabam se afastando por causa dos problemas; a menina de neve, Faina, que traz um certo mistério ao livro; os “vizinhos” George e Esther (que é um belo exemplo de mulher que não se deixa abater), com seus três filhos, com atenção especial para o mais novo deles, o Garret, que evolui muito durante a narrativa e meio que me conquistou .

Não era necessário entender os milagres para acreditar neles (...). Para acreditar talvez você tenha de parar de procurar explicações e segurar a coisinha em sua mão o máximo possível antes que ela escorresse feito água entre seus dedos.

Jack e Mabel se mantêm afastados, com ele trabalhando sozinho nos campos de plantio, sofrendo para garantir o seu sustento e o de sua esposa, e ela passando seus dias sozinha na cabana, pensando até em se matar.

Até que um dia, eles fazem uma menininha de neve detalhando rosto, cabelo... e com luvas e cachecol vermelhos. E na manhã seguinte percebem que a menininha sumiu e avistam uma garotinha que se parece muito com a menininha de neve que esculpiram, com cabelos loiros, pele muito branca, boca vermelha, olhos azuis e usando as luvas e o cachecol vermelhos; que parece ter uma ligação com a neve e com uma certa raposa vermelha, com quem caça lado a lado.

Será que essa garotinha é a menininha de neve que esculpiram e ganhou vida? Ou será apenas coincidência? Será que ela é apenas uma garotinha perdida? Ou é a filha que o casal tanto desejou? Será que uma menininha feita de neve pode magicamente criar vida? Ou será que existe outra explicação? Será essa menina da neve apenas sonho e fantasia? Ou ela é real? Leia esse livro e tente descobrir! 

Nunca sabemos o que vai acontecer, não é mesmo? A vida sempre nos joga para um lado e para o outro. É uma aventura não saber onde você acabará e como pagará sua passagem. É tudo um mistério e, se dissermos o contrário, estamos mentindo para nós mesmos.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

A Menina da Neve
Ela é a resposta das suas orações ou um pequeno e mágico sonho?
Ano: 2015
Páginas: 352
Editora: Novo Conceito
Sinopse:
Alasca, 1920: Um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando um do outro cada vez mais ele, no duro trabalho da fazenda, ela, se perdendo na solidão e no desespero. Em um dos raros momentos juntos durante a primeira nevasca da temporada, eles fazem uma criança de neve. Na manhã seguinte, ela simplesmente desaparece.
Jack e Mabel avistam uma menina loira correndo por entre as árvores, mas a criança não é comum. Ela caça com uma raposa-vermelha ao lado e, de alguma forma, consegue sobreviver sozinha no rigoroso inverno do Alasca.
Enquanto o casal se esforça para entendê-la uma criança que poderia ter saído das páginas de um conto de fadas , eles começam a amá-la como se ela fosse filha deles. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam ser, e o que aprendem sobre essa misteriosa menina vai transformar a vida de todos eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!