Follow Us @soratemplates

01/02/2017

Resenha :: Amor Fora do Ar


“Mas é isso que o amor faz com você. Angustiante, avassalador, esmagador, completo, complexo, o amor te faz cair de joelhos.”


A Jessica Park quase me fez cair de joelhos por esse livro, porque na boa, que livro mais amorzinho . E pensar que eu enrolando desde 2015 para lê-lo, porque a minha curiosidade acabou por me fazer ler o que não devia e tomar um lindo spoiler que poderia ter estragado esse livro para mim, e isso me fez adiar a leitura dele, porque talvez eu esquecesse o que ia acontecer e tal (pura ilusão ). O problema é que ao resolver lê-lo esse ano, me bastou ler o início do livro para lembrar do spoiler de novo. Oh vida cruel! Por que eu vivo esquecendo coisas que quero lembrar, mas tinha de me lembrar desse pequeno detalhe? Memoriazinha que me odeia. Francamente . O lado bom é que o livro é tão bom que enquanto eu o lia nem liguei se sabia o que ia acontecer ou não. Obrigada por essa maravilha, Jessica Park! Você é incrível!

Enfim, Amor Fora do Ar é um livro Young Adult (Jovem adulto) publicado na nossa terrinha pela editora Pandorga, narrado em terceira pessoa (sim, um YA que não é em primeira pessoa que eu consegui gostar, quem diria ) do ponto de vista da protagonista Julie Seagle, que após terminar o Ensino Médio está de mudança para Boston para ser caloura na faculdade... Até aí, normal, maaas o que a Juliezinha não esperava era que o apartamento que alugou na verdade é um restaurante, e como não é possível usar uma mesa como cama e um burrito como travesseiro, ela fica sem moradia em uma cidade desconhecida. Choremos . Ela liga para a mãe (como sabemos mães são seres divinos que dão um jeito de resolver tudo), que consegue um abrigo temporário para a filha na casa de sua antiga amiga de faculdade, Erin Watkins. Mas o que é temporário acaba sendo permanente pela dificuldade de encontrar algum outro lugar que seja "habitável" com o que a Julie pode pagar de aluguel com o seu orçamento estudantil, e também pela forma como a Julie se "adapta" a família Watkins.

Falando nessa família... Bom, ela é formada:

► Pelo casal Erin e Roger, que tratam bem a Julie, são receptivos e tudo mais, mas são pais ausentes, tendo sempre algum compromisso que os tiram de casa;

► Pelo filho mais velho, Finn, que está "viajando" pelo mundo, fazendo trabalhos voluntários e tudo mais, e mesmo a Julie nunca o vendo, encontra nele, por meio de mensagens, alguém com quem se abrir e se apaixonar... Ele é daquele tipo de pessoa que todos amam, que encanta a todos. E tem um senso de humor maravilhoso e "criativo", além de ser lindo, é claro, pelo menos nas fotos que a Julie vê...

► Pelo filho do meio, Matt (amor da minha vida ), que é um nerdzinho completo, maravilhoso, fofo, que faz graduação dupla em Matemática e Física (porque uma só não mostraria o quão inteligente ele pode ser, sabe como é ). Ele é quem mantém a casa funcionando e é meio misterioso e tal (e aos poucos vai se abrindo com a Julie, dentro de certos limites), mas também é super fofo, absolutamente apaixonante. Sério, estou pensando seriamente em fazer uma camiseta com a frase "Nietzsche é meu garoto" e outras camisetas nerds assim para mim, em homenagem a ele. (O Matt ama essas camisetas, e eu o amo apesar disso. Por que ele não existe na vida real? Por que? Por que? Por que?  Vida injusta e cruel! );

► E pela filha mais nova, Celeste, que bom, é a Celeste. Ela é uma garota de 12/13 anos (estou meio na dúvida aqui), linda e inteligente, mas que não se parece com as outras garotas da sua idade, ela é bem "peculiar" (ok, esquisita ), e anda por aí com um "amigo" bem diferente, incomum, para dizer o mínimo, e apesar de tudo isso, ela é uma personagem apaixonante. E sabe o que é mais inacreditável? O restante da família apoia praticamente tudo o que esse serzinho peculiar faz, e aí você fica se perguntando qual será o motivo disso. O mistério misterioso que explica as peculiaridades da Celeste, quando é descoberto pela Julie, nos faz entender muita coisa e querermos sair abraçando a família inteira.

“Você foi esta força de vida que precisávamos desesperadamente. Eu não parei as coisas entre mim e você, porque foi a primeira vez que senti algo em tanto tempo. Fui eu mesmo, pela primeira vez em muitos anos, sem restrições e sem etiquetas. Você me libertou.”

Por esquisitices a parte nessa família, por mais incomum que ela seja, para eles tudo bem, mas quando a Julie aparece a vida que eles estão acostumados começa a mudar. A Julie é uma protagonista super divertida, ela tem seus medos e inseguranças, mas não é cheia de mimimi e nem é irritante, ela é bem-humorada, se adapta fácil. Ela consegue lidar com diferentes situações por mais estranhas que sejam (e acredite, para lidar com a Celeste essa qualidade de se adaptar é essencial), ela abraça as estranhezas da vida e as encara com a melhor familiaridade. E lidando tão bem com o incomum, ela realmente começa a amar a família Watkins e resolve tentar ajudá-los, por mais que ela também tenha alguns problemas... Acho que ela tem um pouco de síndrome de salvadora da pátria. Mas por mais intrometida que a Julie pareça ser, ela realmente ajuda em muitas coisas, principalmente com a Celeste. E ainda no meio disso tudo, ainda tem espaço para uma espécie de triângulo amoroso, que não é bem um triângulo exatamente ...

"Você pode olhar para trás agora e ver como você poderia ter visto, mas você estava focada nos fatos ao invés dos sentimentos."

Amor Fora do Ar tinha tudo para ser apenas um livro clichê, mas ele foi muito além disso. A autora não foca apenas no romance, mas também em questões familiares. Ela não usa o fato de a protagonista ser uma estudante para focar o cenário no ambiente universitário como inúmeros livros por aí, ela foca no cenário familiar, nos dramas de uma família cheia de mistérios. A Jessica Park nos depara com temas complexos de uma maneira sutil, natural, ao mesmo tempo que nos proporciona um romance fofo e divertido. Essa autora é maravilhosa . O livro é maravilhoso . Os personagens são maravilhosos e apaixonantes. Os diálogos são maravilhosos . O enredo é maravilhoso e inteligente. A escrita é maravilhosa e super fluída. Os status no Facebook dos personagens são maravilhosos (precisava falar disso, porque sim). Tudo no livro é maravilhoso e incrível e enquanto escrevo essa resenha estou quase indo ler o livro de novo, porque, bom, ele é maravilhoso, mas eu já disse isso, né? 

"Sempre foi você. Eu pensei que era outro alguém, mas era você. Você é a pessoa pela qual eu me apaixonei."

Enfim, por favor, leia esse livro, sinta esse livro, se apaixone por ele, aprenda, chore, ria, sofra, se alegre com ele. E se por acaso você o ler e não gostar, por favor, me passe o seu endereço depois, porque vamos precisar ter uma conversa séria, que taaalvez envolva tortura . Até! 

Não sou nenhuma expert. O que diabos eu entendo sobre namorados e amor de qualquer modo? A única maneira que vou aprender é tentando.”


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Amor Fora do Ar
Flat-Out Love # 1
Ano: 2015
Páginas: 368
Editora: Pandorga
Sinopse (Skoob):
Ele era alto, pelo menos 1,80, com cabelos loiros sujos que pendiam sobre os olhos. Sua camiseta dizia “Nietzsche é o meu garoto”.
Então, esse era Matt. De quem Julie Seagle gosta. Muito. Mas há também Finn. Que ela ama.
Complicado? Estranho? Completamente.
Mas, realmente, como esta recém-transferida estudante de Boston e caloura da faculdade deveria saber que ela acabaria vivendo com a família de uma velha amiga de sua mãe? Isso tudo deveria ser temporário. Não estava previsto Julie ser tão importante para os Watkins, nem se apaixonar pelos irmãos Matt e Finn. Especialmente Finn, que ela nunca viu pessoalmente. Mas isso realmente importa? Finn a entende como ninguém nunca o fez antes. Eles têm uma conexão.
Mas esse é o caminho do amor, em todas as suas estranhas mudanças, ele sempre coloca algumas curvas. E ninguém escapa ileso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!