Follow Us @soratemplates

17/01/2018

Especial :: Série Segredos

17 janeiro 8 Comentários

Olá, Clube do Farol! Prazer, sou Renara e essa é minha primeira vez aqui! Então, paciência comigo, certo? Hoje vou apresentar para vocês (para aqueles que não conhecem ainda, claro.) a autora Cinthia Freire. Na verdade, hoje vamos conhecer um pouco sobre a Série Segredos.

Conheci a série no começo do ano passado, e posso falar com toda a certeza que conhecer tanto a série como a autora foi um lindo e grato presente que 2017 me deu. Mas agora chega de conversa e vamos falar da série. Borá Lá? A série é composta até o momento por 3 livros, sendo cada livro a história de um casal diferente. E por 3 contos lindíssimos.

Os livros são de publicação independente, todos os livros possuem uma qualidade excelente. A diagramação feita sempre com muito cuidado e atenção. E as capas? Uma mais bela que a outra.  Resumindo, fico me perguntando por  que nenhuma editora ainda não publicou essa série?

15/01/2018

Resenha :: O Oráculo Oculto (As Provações de Apolo #1)

15 janeiro 0 Comentários

Para quem já estava com saudade do Acampamento Meio-Sangue, de mitologia grega com alguns personagens que amamos (Percy *-*), não pode deixar de ler esse livro. Ele se passa depois dos eventos de Sangue do Olimpo, último livro da saga Heróis do Olimpo, então para quem ainda não leu a saga Percy Jackson e os Olimpianos e a saga Heróis do Olimpo, corra para ler e depois se divirta com mais uma saga maravilhosa que Rick Riordan nos presenteia.

EU ERA UM DEUS DRAMÁTICO. Achei minha última frase bem impactante. Por isso esperava olhos arregalados, talvez música de órgão ao fundo. As luzes se apagariam antes que eu dissesse mais alguma coisa. Momentos depois, eu seria encontrado morto com uma faca nas costas. Seria incrível! Espere aí. Eu sou mortal. Assassinato me mataria. Deixa pra lá.

Nesta saga, Zeus expulsa Apolo do Olimpo e o torna mortal. Ele se vê jogado em uma caçamba de lixo no meio de Nova York, sem poderes e o que é pior ainda para ele, sem sua beleza imortal e com espinhas rs. E, depois de um momento bem ruim, ele encontra a ajuda de Meg McCaffrey, uma semideusa de 12 anos, sem teto, que vai deixar ele maluco ou ele vai a deixar maluca. Apolo com certeza é um ex deus que não está acostumado a fazer as coisas por conta própria, sempre teve os semideuses para se sacrificarem por ele, ou como ele mesmo diz terem a honra de o ajudar, o que torna a história melhor ainda, a evolução dele é muito boa.

Sufoquei um gritinho. Não devia ter ficado surpreso por eles estarem falando de mim. Por milênios, imaginei que todo mundo sempre estivesse falando de mim. Eu era tão interessante que as pessoas não conseguiam evitar.

Com uma narração maravilhosa e engraçada, esse livro me surpreendeu, apesar de amar os livros de Rick Riordan, pensei que voltar para esse universo, sem já o protagonismo de Percy (que apesar de matarmos um pouco a saudade, não aparece tanto como eu desejaria), mas de um ex deus do Olimpo, seria uma coisa meio forçada e cansativa, e culpo a minha falta de expectativa as narrações de Piper e Jason em Heróis do Olimpo, que nunca me agradaram muito. Mas Apolo traz algo completamente diferente, o amor dele por si mesmo (põem amor nisso, rs), as suas crises de ex deus e sua relação com seus filhos e com Meg só deixaram tudo mais divertido.

Fiz uma oração silenciosa prometendo que, se chegasse ao fim da corrida vivo, sacrificaria um touro em minha homenagem e possivelmente até construiria um novo templo para mim. Sou louco por touros e templos.

Nesse livro vemos que as coisas não andam tão bem quanto deveriam desde a morte de Gaia, o Oráculo de Delfos ainda não voltou a funcionar, e as provações de Apolo vão se mostrar maiores do que ele pensava. Ele vai ter que ter a honra de ajudar a si mesmo, rs. E as surpresas desse livro são as melhores, deu para matar muito a saudade. Quem sabe o que a continuação nos reserva, talvez um Apolo mais humilde? Rsrs. Melhor não. 

Então é isso... Leiam!!!

- IMPOSTOR! EU SOU O VERDADEIRO APOLO! VOCÊ. É FEIO! Ah, querido leitor, você não sabe como foi difícil gritar essas palavras para o meu próprio rosto lindo, mas eu realmente fiz isso. Para você ver como eu era corajoso!


Nota ::  


Informações Técnicas do livro

O Oráculo Oculto
As Provações de Apolo #1
Ano: 2016
Páginas: 320
Editora: Intrínseca
Sinopse (Skoob):
Como você pune um deus imortal? Transformando-o em humano, claro! Depois de despertar a fúria de Zeus por causa da guerra com Gaia, Apolo é expulso do Olimpo e vai parar na Terra, mais precisamente em uma caçamba de lixo em um beco sujo de Nova York. Fraco e desorientado, ele agora é Lester Papadopoulos, um adolescente mortal com cabelo encaracolado, espinhas e sem abdome tanquinho. Sem seus poderes, a divindade de quatro mil anos terá que descobrir como sobreviver no mundo moderno e o que fazer para cair novamente nas graças de Zeus.
O problema é que isso não vai ser tão fácil. Apolo tem inimigos para todos os gostos: deuses, monstros e até mortais. Com a ajuda de Meg McCaffrey, uma semideusa sem-teto e maltrapilha, e Percy Jackson, ele chega ao Acampamento Meio-Sangue em busca de ajuda, mas acaba se deparando com ainda mais problemas. Vários semideuses estão desaparecidos e o Oráculo de Delfos, a fonte de profecias, está na mais completa escuridão.
Agora, o ex-deus terá que solucionar esses mistérios, recuperar o oráculo e, mais importante, voltar a ser o imortal belo e gracioso que todos amam.

12/01/2018

Resenha :: Água para Elefantes

12 janeiro 0 Comentários

"Mesmo quando nosso corpo nos trai, nossa cabeça o desmente."

Jacob Jankowski é jovem estudante de veterinária que larga a faculdade quando recebe a notícia do falecimento dos seus pais. Jacob sem ter dinheiro e nem para onde ir, resolve pegar um trem sem nem saber para onde vai e descobre que aquele trem é de um circo. O circo "Esquadrão Voador do Circo Irmãos Benzini - O Maior Espetáculo da Terra". Sem ter talento circense, Jacob acaba virando veterinário, mesmo tendo abandonado a faculdade no dia da prova final.

Jacob logo passa a ser reconhecido por “ser” um veterinário e começa andar com os administradores do circo e é quando conhece Marlena. Uma artista jovem e bela, mas casada com August, o rapaz responsável por sua entrada no circo. E é assim que começa a jornada turbulenta de Jacob em salvar os animais e buscar o amor de Marlena.

"Só me resta passar o tempo esperando o inevitável, observando os fantasmas do meu passado se agitarem em volta do meu presente insignificante. Eles se chocam e se esbarram à vontade, principalmente por não haver nenhuma resistência. Parei de lutar contra eles."

A história demora a engrenar e é absolutamente cheia de partes desnecessárias. Isso acabou me deixando um pouco frustrado. É um típico livro de amor à primeira vista. Mas esse é sem cabimento algum. É tão superficial que tem partes que você está lendo e quando vai para outra linha a história parece que muda.

“Quanto mais perturbadora a lembrança, mais persistente a sua presença.”

As melhores partes são quando tem o espetáculo com os animais que é muito real e do velho Jacob contando sua história. O livro é narrado pelo Jacob só que depois de velho. Ele com 93 anos em uma casa de repouso lembrando-se de seus tempos áureos. Deu-me uma pena dele. E como eu disse antes, as partes dos animais me pareceram as mais reais e no final do livro eu me deparo com a nota da autora dizendo que foi inspirado em fatos. Muito mágico. Isso só deixou claro que quando se tenta forçar uma história, o romance pra vender o livro, fica superficial e acaba estragando todo o resto.

Nota :: 

Informações Técnicas do livro

Água Para Elefantes
A vida é o maior espetáculo da terra
Ano: 2007
Páginas: 272
Editora: Arqueiro
Sinopse (Skoob):
Desde que perdeu sua esposa, Jacob Jankowski vive numa casa de repouso, cercado por senhoras simpáticas, enfermeiras solícitas e fantasmas do passado. Por 70 anos Jacob guardou um segredo. Ele nunca falou a ninguém sobre os anos de sua juventude em que trabalhou no circo. Até agora.
Aos 23 anos, Jacob era um estudante de veterinária. Mas sua sorte muda quando seus pais morrem num acidente de carro. Órfão, sem dinheiro e sem ter para onde ir, ele deixa a faculdade antes de prestar os exames finais e acaba pulando em um trem em movimento - o Esquadrão Voador do circo Irmãos Benzini, o Maior Espetáculo da Terra.
Admitido para cuidar dos animais, Jacob sofrerá nas mãos do Tio Al, o empresário tirano do circo, e de August, o ora encantador, ora intratável chefe do setor dos animais.
É também sob as lonas dos Irmãos Benzini que Jacob vai se apaixonar duas vezes: primeiro por Marlena, a bela estrela do número dos cavalos e esposa de August, e depois por Rosie, a elefanta aparentemente estúpida que deveria ser a salvação do circo.
"Água para Elefantes" é tão envolvente que seus personagens continuam vivos muito depois de termos virado a última página. Sara Gruen nos transporta a um mundo misterioso e encantador, construído com tamanha riqueza de detalhes que é quase possível respirar sua atmosfera.


11/01/2018

Resenha | Amigas

11 janeiro 2 Comentários

Oi Faroleiros, não tinha lido nenhum romance lésbico até o momento. Estou mais acostumado a ler romances gays por me identificar com os personagens e suas experiências. A pedido da Bete, li Amigas, escrito pela paulistana Diana Rocco

Me surpreendi pela empatia que senti por Brigite, uma menina tímida durante a faculdade, que se revela, vinte e seis anos depois, que sempre foi apaixonada por uma de suas melhores amigas.


Eu me sentia trancada dentro de mim, não sei se dá pra entender.

Amanda estava indo de carona com Brigite para a chácara de Cibele em Ibiúna, onde resolveram se reencontrar após tanto tempo separadas. Durante a faculdade, Amanda, Brigite e Cibele eram inseparáveis, mas as escolhas da vida fizeram com que cada uma seguisse o seu caminho. Amanda e Cibele são casadas e Brigite é a única com uma carreira. A morena deixou a timidez para trás e hoje é uma mulher decidida e independente. Quando o carro enguiça durante uma tempestade, Brigite se revela lésbica e a amiga fica transtornada.


É estranho pensar que uma pessoa que você julgava sua amiga íntima, não é a pessoa que você julgava ser.

A autora consegue discutir sobre sexualidade e envelhecimento de forma muito bacana. Não tem como o leitor não refletir também, independente da opção sexual, afinal a sexualidade não define quem somos. Somos apenas seres humanos em busca de felicidade.

Diana Rocco insere músicas durante toda a história. As letras se encaixam perfeitamente no que os personagens estão sentindo. Temos Elis Regina, Sinéad O’Connor, Adriana Calcanhoto, entre outros. Apenas quando ela insere Only You, tema romântico do filme A Jovem Rainha Victoria, é que se excede um pouco. Em outro momento, entretanto, Amanda está refletindo como as músicas de sua juventude soam para os filhos como as músicas de seus pais soavam para ela.

A autora usa algumas artimanhas para manter o par romântico juntos em alguns momentos decisivos. Apesar de ser um pouco clichê e forçado, isso não me incomodou. Fiquei focado nas reflexões que existem durante toda a narrativa e que tornam Amigas, uma história que merece ser conhecida.
Beijos, 
Que notícias me dão dos amigos?
Que notícia me dão de você?
Sei que nada será como está,
Amanhã ou depois de amanhã...

Nota:


Informações Técnicas do livro

Amigas
Diana Rocco
Ano: 2017
Páginas: 111
Capa: Fotografia e Arte - Fabi Mendonça
Editora: Kindle Direct Publishing
Comprar na Amazon
[+18 anos] Contém descrições eróticas


Sinopse (Skoob)
Aurora, Brigite e Cibele se reencontram após vinte e seis anos. A autora parte desse mote para nos trazer um enredo de reflexões sutis sobre a meia-idade, as transformações do corpo e do desejo. Ao longo da história muitos se identificarão com as situações vividas pelas personagens, e esta é uma das características de Diana Rocco: trazer o prosaico da vida para as histórias que escreve, e nos mostrar como o banal pode ser cheio de surpresas e profundas transformações.
Um amor maduro, um conto de fadas moderno.


_____Sobre a Autora_____

  

Ðiana Řocco nasceu em São Paulo em 1965, pouco após o golpe militar de 1964. Cresceu durante a ditadura e aprendeu que o silêncio e a prudência podem salvar vidas. 
Em seu processo de desenvolvimento identificou-se progressivamente como bissexual, lésbica, andrógina até compreender-se como uma pessoa sem gênero definido. Sua vivência despertou o interesse em estudos de gênero e sexualidade humana, campos nos quais possui formação sólida. É autora de contos que abordam o amor entre mulheres e a transgressão de gêneros.

09/01/2018

Resenha :: Amityville

09 janeiro 5 Comentários

“Gostaria de dar uma sugestão a vocês. Na maioria das vezes, as pessoas que descobrem como os espíritos são acabam gostando de conviver com eles. Elas não querem que eles se percam ou que partam. Mas neste caso acredito que a casa deva ser purificada ou exorcizada.”

Creio que muitos de você já ouviram falar sobre a famosa casa mal-assombrada de Amityville e, talvez, tenham visto uma de suas várias adaptações cinematográficas (confira a lista ao final da postagem). Já havia procurado este livro para comprar anteriormente, mas não o encontrava por nada, então quando a Darkside Books anunciou a publicação eu fiquei muito feliz.

George e Kathleen Lutz eram um casal feliz, tinham três filhos e desejavam uma casa maior, enquanto procuravam a casa dos sonhos, um anúncio chamou a atenção: uma casa enorme com um preço bem abaixo do valor de mercado. Os Lutz entraram em contato com a corretora e agendaram a visita. A casa localizada no número 112 da Ocean Avenue em Amityville, satisfazia todos os desejos do casal, George quis saber o motivo da casa possuir um valor tão baixo, e a corretora o informou que ela havia sido o palco de um assassinato, o casal conversou e não sendo superticiosos, fecharam a compra da casa dos sonhos.

Na noite de 13 de novembro de 1974, por volta das 03:00h, Ronald DeFeo Jr. assassina seu pai, mãe e quatro irmãos com tiros de carabina, todas as vítimas estavam curiosamente dormindo de bruços e os disparos não foram ouvidos pelos vizinhos. Ronald foi preso e condenado e, segundo registros, ainda está cumprindo a pena nos Estados Unidos.

“A história trágica do número 112 da Ocean Avenue não fazia diferença para George, Kathy ou para os três filhos do casal: aquela continuava sendo a casa de seus sonhos.”

No dia 18 de dezembro de 1975 os Lutz fazem a mudança para sua nova casa e, para evitar quaisquer tipo de problemas espirituais, chamam o Padre Frank Mancuso, que era de sua confiança, para realizar uma benção em seu lar. Assim que chegou à casa, o Padre sentiu uma “sensação ruim”, assim que aspergiu as primeiras gotas de água benta e iniciou os gestos para o ritual  pode ouvir uma voz masculina dizer com terrível clareza “Saia daqui!”.

Desde então, a vida do casal passa a ser marcada por acontecimentos um tanto quanto bizarros como: George sentia muito frio, mesmo o termostato marcando sempre 26ºC; eles ouviam vozes e passos; por vezes sentiam cheiro de perfume ou odores muito intensos; os membros da família sofriam alterações bruscas de humor, entre outros fenômenos.

“Quando observou a imagem, seus olhos se arregalaram de terror. Estava sentindo ânsia de vômito por causa do cheiro podre, mas não conseguia desgrudar os olhos do crucifixo – agora pendurado de cabeça para baixo!”

Narrado de forma linear e objetiva, Jay Anson descreve com riqueza de detalhes o que aconteceu com o casal Lutz e seus filhos durante os 28 dias que eles passaram na casa número 112 na Ocean Avenue, além disso também há relatos do Padre Mancuso e as provações que ele sofreu durante o período. A família Lutz abandonou a casa após os 28 dias, deixando para trás todos os seus pertences pessoais, móveis, eletrodomésticos e utensílios e não retornou para buscá-los.

“Aquela trilha não tinha sido deixada nem por um homem, nem por mulher. As pegadas foram feitas por cascos fendidos – como os de um porco enorme.”

Acreditar ou não na história de Amityville pode alterar drasticamente sua experiência de leitura, por se tratar de uma história envolvendo o sobrenatural existe muito ceticismo sobre o que é real ou não, além de todas as teorias conspiratórias que surgiram ao longo dos anos.

Aos fãs de terror regados a elementos sobrenaturais, eis aqui um clássico. Devorei o livro rapidamente e gostei muito, real ou não a história é instigante e intrigante, a narrativa de Jay Anson é bem objetiva, sem rodeios e sensacionalismos, o que me agradou muito. Este é um livro classificado como Horror/Terror e faz jus a categoria, possui uma aura obscura e em alguns pontos é angustiante (e talvez até pavoroso) imaginar-se no lugar dos membros da família Lutz.

Como dito anteriormente, a obra serviu de inspiração para diversos filmes, caso alguém se interesse, estes são os títulos em inglês e o ano de lançamento de cada um: The Amityville Horror (1979); Amityville II: The Possession (1982); Amityville 3-D (1983); Amityville: The Evil Escapes (1989); The Amityville Curse (1990); Amityville: It’s About Time (1992); Amityville: A New Generation (1993); Amityville Dollhouse: Evil Never Dies (1996); The Amityville Horror (2005 – remake do clássico de 1979); Amityville: The Awakening (previsto para junho de 2017).

DarkSide Books trouxe o livro em uma belíssima edição em capa dura, fita em cetim vermelho para marcar as páginas, as plantas da casa maldita estão no livro que possui páginas amareladas e uma excelente diagramação.

Nota :: 

Informações Técnicas do livro

Amityville
Ano: 2016
Páginas: 240
Editora: DarkSide Books
Sinopse (Skoob):
Depois de passar algumas décadas fechada, a propriedade no número 112 da Ocean Avenue no subúrbio de Nova York finalmente abre as portas para os leitores da DarkSide® Books. Cercada pela natureza, com janelas amplas e uma sacada espaçosa, ela poderia ser uma casa de bairro tranquila como todas as outras, não fosse seu passado devastador e sangrento. Em 1975, George e Kathleen Lutz resolveram recomeçar a vida em uma nova residência que compraram por uma pechincha. Vinte e oito dias depois, os cinco membros da família fugiram aterrorizados, deixando a maior parte de seus pertences para trás. Estranhos eventos começaram a acontecer, afetando a vida dos Lutz e indicando que uma presença maligna habitava a casa. Embora tenha sido amplamente divulgada pela mídia, em especial nos jornais e nas revistas da época, muitas vezes de maneira sensacionalista, a história da casa nunca havia sido contada com riqueza de detalhes — até Jay Anson decidir reconstruí-la e transformar seu livro de não-ficção em um dos relatos paranormais mais importantes e conhecidos de todos os tempos.
Baseado nas experiências sobrenaturais reportadas pelos Lutz durante o mês de dezembro de 1975 e o começo de janeiro de 1976, Amityville é um dos livros mais aguardados pelos leitores da Caveirinha. Por isso mesmo, muito mais do que dar apenas aquela demão de tinta, a DarkSide® Books vai fazer uma reforma completa na casa, apresentando a sombria construção em detalhes, do quarto secreto no porão às verdadeiras manchas nas portas e nas paredes escondidas pelas tintas do tempo — tudo exatamente como aconteceu, com todos as entidades e vozes que habitaram o sótão, o porão e demais cômodos da casa —, em uma edição assustadora e com o cuidado quase sobrenatural da editora mais dark do Brasil. Adaptada várias vezes para o cinema e contando também com diversos spin-offs, a história de Amityville hoje é amplamente conhecida e é considerada um dos mais importantes relatos sobre casas mal-assombradas da cultura popular.

05/01/2018

Resenha :: Tenebris - A Herdeira do Sheol

05 janeiro 2 Comentários


Trilogia Tenebris - Livro #02

Olá faroleiros, hoje vou compartilhar com vocês sobre a leitura do segundo livro da trilogia Tenebris. A resenha do primeiro livro você encontra aqui! Tenebris #1: O Fim é Apenas o Começo. Eu gostei bastante do primeiro livro, pelos motivos que você leu na resenha anterior e esperava uma ótima história na continuação, e novamente a Erika entregou algo melhor do que o esperado.

Depois dos eventos Naiara tinha sua família em segurança, enfim o que seu pai Helyel tanto havia desejado estava acontecendo, mesmo pensando não ser merecedor, mas ainda assim estava completo, inteiro novamente. O domínio dos três reinos estava em suas mãos e nada poderia destruir sua posição ou família. Porém nem tudo poderia ser flores ou não teríamos um segundo livro não é mesmo? 
Mas Heylel se esqueceu que acima dele existia uma soberania, a guarda daquele que é o Criador de todas as coisas, o último feito de sua filha chamou a atenção celestial, não iriam permitir que ela se levantasse como Herdeira do Sheol. Nesse ínterim temos que lidar com a adolescência de Naiara, que como toda boa adolescente simplesmente é capaz de tirar a paz de qualquer santo. (Desculpa, não resisti).

Enquanto ela lida com as questões do coração, anjos se armam contra demônios e a guerra esperada se aproxima, o fim estava sendo anunciado e os preparativos para festa de 18 anos e plenitude dos poderes da herdeira também. Nesse ambiente de "aparente" normalidade alianças precisam ser formadas, crenças precisam ser restabelecidas, em meio ao caos máscaras caem e revelam que nem todos que deveriam ser luz, escolheram iluminar e aqueles que carregam as trevas decidiram mudar por amor. 

"O coração é um terreno difícil, como areia movediça, ele te enlaça, prendendo sua razão e quanto mais tenta se mexer, quanto mais tentar entender, mais afunda."

O primeiro grande passo de Naiara é a auto aceitação enquanto herdeira do poder e do trono e seu primeiro grande ato é aceitar o seu povo, enquanto reino. Nada de disfarces ou ilusões, apenas a verdade no meio do inferno. Mesmo que o fato de todas as descobertas a seu respeito e o de sua família, sejam ainda mais difíceis de lidar com a perda de seu grande amigo Gabriel.

A cada 20 páginas prepare-se para ter um mine infarto ou um ataque cardíaco semi-grave. Por ser um livro intermediário o "normal" seria um livro com eventos arrastados e claro algumas definições de destinos empurradas para o terceiro livro, mas estamos falando de Tenebris, caros faroleiros. Não só existe várias batalhas antes da guerra, como definições estabelecimento de fronteiras e lados, existe também a entrega do coração e da alma ao destino.

"Você abala todo o equilíbrio entre os mundos Naiara, por isso, sua existência é uma ofensa para os celestes e uma arma para os daqui." 

Nesse livro, vamos descobrir o que aconteceu a Gabriel, após seu desaparecimento e que assim como para Naiara ele também precisa lidar com descobertas sobre si mesmo e decidir de que lado vai estar na guerra. Eu sinceramente lamentei muito pelo Gabriel e suas escolhas, tentei ao máximo dar um desconto porque afinal ele é um adolescente assim como a Naiara, mas não deu. Somos sempre responsáveis pelas escolhas que fazemos.

Sabe aquele casal que vou shipou no livro anterior, então.. boa sorte. Aquele crush, bom você pode não continuar com ele; enfim, nada escapa ao teclado da justiça de nossa autora. Ela coloca surpreendentemente um anjo totalmente diferente do "convencional" pendendo para o lado errado das forças e te leva a indagar várias atitudes durante o livro, o que torna a leitura ainda mais maravilhosa. 

"Naquele momento, quando pela primeira vez ele conseguiu de sua amada um sorriso sincero, sem maldade e sem troca de farpas, ele entendeu Heylel, sentiu o calor do próprio sol o invadindo e derretendo o gelo de sua existência, ela era tudo o que ele precisava."

Antigos vilões e novos inimigos dão a trama aquele tom de dinamismo e agilidade. Novos personagens que entram na trama, trazem novos caminhos e talvez um rumo que não te agrade, mas te mostre que o seu sofrimento de leitor será apenas esperar pelo próximo livro para encerrar a trama. Onde tudo, tudo pode acontecer. Afinal a Erika surpreende até Heylel!!!
Nota :: 4,5

Meu agradecimento a autora por me aceitar como parceira pelo Clube do Farol, com todo carinho e a total liberdade de dizer o que eu achei da obra. 

Informações Técnicas do livro

Tenebris: A herdeira do Sheol
Trilogia Tenebris #02
Ano: 2017
Páginas: 268
Editora: Indie

Sinopse (Skoob):
Sua família estava segura, enfim o que ele tanto havia desejado estava acontecendo, sabia que não era merecedor, mas ainda assim estava completo, inteiro novamente. O domínio dos três reinos estava em suas mãos e nada poderia destruir sua posição ou família.
Mas Heylel se esqueceu que acima dele existia uma soberania, a guarda daquele que é o Criador de todas as coisas, o último feito de Naiara chamou a atenção celestial, não iriam permitir que ela se levantasse como Herdeira do Sheol.
Anjos contra demônios, a guerra se aproxima, o fim estava sendo anunciado. Alianças precisam ser formadas, crenças precisam ser restabelecidas, em meio ao caos máscaras caem e revelam que nem todos que deveriam ser luz, escolheram iluminar e aqueles que carregam as trevas decidiram mudar por amor.
Seria possível a compaixão do Criador alcançar as profundezas?
Seria possível em meio a destruição, existir esperança ?
Até onde pode-se ir por amor ?
Até onde o pecado pode ser perdoado?
Prepare-se para o começo do apocalipse e surpreenda-se com cada revelação. Tenebris A herdeira do Sheol, vai impactar você.

Sobre a Autora



Erika Gomes

Mãe, esposa, profissional, dona de casa, e, antes de tudo, autora.
Mãe de três filhos, casou cedo e aos 22 anos já era mãe. Uma daquelas mães que se faz mãe até daqueles que nem mesmo idade para serem seus filhos tem.
Sempre foi apaixonada por outras vidas, outros mundos, coisas sobrenaturais sempre lhe despertaram a atenção. Qual outro universo lhe permite ir além de você mesmo se não os livros?! Infelizmente, quando mais nova, a situação financeira não lhe permitia dar asas as suas vontades e compulsão por livros, mas a independência financeira enfim chegou e com ela o começo da sua coleção literária.
Aos poucos notou que uma nova Erika nascia em si. As ideias passaram a respirar e se mover, como uma criança sendo gerada. Sentia os movimentos de uma nova ideia, o crescer de um novo sonho. Em menos de um ano, assim como uma gestação, nasceu Tenebris.