Follow Us @soratemplates

24/06/2019

Resenha :: O Preço da Fama

junho 24, 2019 0 Comentarios

Olá, faroleiros.

Trouxe hoje a resenha de O Preço da Fama, da escritora Mari Monni. Já adianto aos amantes de histórias fofas que vocês estão diante de uma delas e que irão se apaixonar por ela, assim como eu.


Conhecemos, logo no início da leitura, Julie Storm. A cantora Pop de sucesso internacional está prestes a tomar uma decisão radical que vai mudar sua vida: ela resolve dar um tempo na sua carreira e aproveitar a vida normal de uma garota simples.

Aplausos, gritos, choros. É difícil eu chegar sendo apenas recebida com um simples “Oi, tudo bem?”. Sempre quando eu apareço em algum lugar, as reações são extremas. Não importa a situação, a Fama berra meu nome. Ela, tão onipotente na minha vida. Ela, que me toma por completo quando me enxerga. Ela, que dá na mesma proporção que toma.

Keith Blackwood, BK é o irmão mais velho de Aria. Ele está no último ano da UW e é jogador de hóquei. Seu maior sonho é jogar profissionalmente e para isso conta com uma ótima temporada, mesmo com os problemas com a equipe de treinamento. Ele é um rapaz sério, compenetrado e um sucesso entre as mulheres.

Só que a notícia de Julie Storm não mexe só com a sua vida. Aria, uma grande fã da cantora está em casa com seu irmão Keith e acompanha o anúncio ao vivo da interrupção da sua carreira. Keith tenta consolar a irmã caçula, pois sabe o quanto ela venera Julie Storm. Até ele confessa curtir a cantora famosa.

Aria é muito fã da Julie Storm. Na verdade, é difícil conhecer alguma garota entre doze e vinte anos que não seja muito fã da cantora. O pior é que ela é o tipo de pessoa que todo mundo gosta. Mulheres querem ser iguais a ela e homens a enxergam como um símbolo sexual.

As férias da faculdade chegam ao fim, Keith retorna a UW levando a irmã Aria que cursará seu primeiro ano lá. Super protetor e preocupado com Aria, Keith entra em contato com a garota que irá dividir o quarto com ela. em busca de informações sobre dela. A princípio, Anne tranquiliza o irmão da sua colega de quarto e esclarece que ela é reservada e tem o objetivo de estudar. Keith e Anne passam a trocar mensagens desde então e um sentimento entre eles começa a surgir. Os dois ficam ansiosos para se encontrarem na faculdade e finalmente se conhecerem pessoalmente.

K: Não vou dizer que senti sua falta, senão você vai ficar se achando demais. Inclusive, vai poder usar a mensagem como uma prova contra mim no futuro. Não posso correr o risco. A única coisa que digo é que estou a caminho da UW agora. Estarei lá em algumas horas e… estou louco pra te conhecer.
A: Poxa… Eu ia fazer uma camiseta com essa mensagem. Existe uma forma melhor de chegar na faculdade do que dizendo pra todo mundo que Keith Blackwood é meu amigo virtual? E que loucura é essa de estar me mandando mensagem enquanto dirige?
K: Quero te conhecer.
A: Eu não deveria, mas também quero.

O que ninguém sabe é que Anne e Julie Storm são a mesma pessoa. Ela resolveu começar a sua vida normal indo à faculdade, frequentando aulas como uma garota qualquer e dividindo o quarto com uma colega. Será que Anne vai conseguir enganar a todos com seu disfarce?


O Preço da Fama é o primeiro romance da série Paparazzi. Nós acompanhamos a tentativa de Julie Storm de cursar faculdade quando ela anuncia uma pausa em sua carreira. Mas ninguém sabe porque a cantora famosa, no auge da sua carreira, resolve parar. Acho que nem ela mesma sabe no primeiro momento. Enquanto ela foge da fama, seu affair Keith está em busca dela. Podemos ver, ao mesmo tempo, duas posições distintas dos personagens centrais e fazer a comparação. Afinal, a fama é ou não boa?

Mas como Anne Thompson, estou me permitindo um pouco mais. É claro que os muros ainda estão erguidos ao meu redor. Não é fácil deixar de lado todas as inseguranças que permearam minha vida. Só que, pouco a pouco, estou tentando. O fato de eu ter aceitado sair com Keith é prova disso.

A trama é marcada por grandes momentos como a chegada de Anne no alojamento feminino acompanhada de Nora, sua segurança disfarçada de aluna da UW. Afinal Aria reconhece ou não seu maior ídolo? O encontro de Keith e Anne também é muito esperado. Depois de tanta afinidade nas trocas de mensagem, os dois terão o mesmo sentimento quando estiverem frente a frente? Ele irá reconhecê-la? O dia a dia de Anne na faculdade e sua dificuldade em se decidir o que quer cursar também nos deixa ansiosos.

Tudo começou com uma amizade virtual, mensagens aleatórias que acabaram se tornando muito mais. Algo em Anne me atrai no nível mais primário possível, e tudo que eu quero é estar perto dela. Passar um tempo ao seu lado me faz bem. Sinto sua falta quando não estamos juntos e quero compartilhar com ela o que acontece nos meus dias. Pensei que gostar de alguém e ter o sentimento retribuído fosse o suficiente para dar o primeiro passo em um relacionamento.

Outro ponto abordado na história é a relação de confiança e intimidade de Anne com as pessoas ao redor. Pelo fato dela ser uma cantora famosa, não convive com muitas pessoas intimamente. Ela nem mesmo havia beijado um cara de verdade antes. Isso se mostra como um aspecto negativo e que só a atrapalha.

Quem é você, Anne Thompson?

Mas o que rouba a cena nos livros da Mari Monni são os seus casais. E em O Preço da Fama não poderia ser diferente. A química do casal protagonista é muito boa, intensa e crescente. Mesmo com a pisada de bola de Keith e o segredo da verdadeira identidade de Anne, que pode abalar o relacionamento dos dois, torcemos loucamente para que tudo se resolva no final.


Terminei a leitura com gostinho de quero mais e aguardo ansiosa o próximo livro da série Paparazzi.

A maldita da Fama pode até tentar me derrubar, mas encontrei alguém por quem lutar e que estará ao meu lado durante toda a caminhada.


Nota :: 

Informações Técnicas do livro

O Preço da Fama
Paparazzi #1
Ano: 2019
Páginas: 400
Editora: Amazon
Sinopse:
O que acontece quando a Princesa do Pop resolve deixar tudo de lado e ser... normal?
Julie Storm está farta dos holofotes. A Fama tem sugado todas as suas forças e agora ela se encontra à beira do abismo. Em vez de se render, ela decide dar um novo rumo à sua vida e tentar a sorte na faculdade. Mas, para isso, mudanças se fazem necessárias.
Adeus, Julie Storm. Olá, Anne Thompson.

Keith Blackwood não aguenta mais fazer parte de uma equipe perdedora. Tudo que ele mais quer é ser um jogador profissional de hóquei. Com a chegada de um novo técnico e a faixa de capitão no braço, ele não vai medir esforços para que seu sonho se torne realidade.
Mas quando conhece a nova amiga de sua irmã, Keith tem certeza de que apenas o esporte não será capaz de satisfazê-lo.

Uma popstar cansada da fama.
Um jogador de hóquei em busca do sucesso.
Muitos segredos.
Mais química do que eles são capazes de controlar.

Alerta: fique longe deste livro se você não gosta de atletas deliciosos, suados e que sabem usar o taco muito bem. Você foi avisado.
---
Este é o primeiro livro da série Paparazzi. A história tem um final definido, mas haverá um outro livro, que será lançado em breve, com ainda mais informações sobre este casal, além de outros com os demais personagens.


Para comprar O Preço da Famaclique aqui .

22/06/2019

Resenha :: International Guy – Londres, Berlim e Washington

junho 22, 2019 0 Comentarios

Oi, faroleiros!!! Ansiedade define a leitura intercalada de uma série como esta e a felicidade por ter três histórias lançadas a cada livro é imensa. Estamos então no terceiro livro, International Guy – Londres, Berlim e Washington O final do segundo livro (resenha aqui) me deixou numa expectativa positiva quanto aos rumos futuros e, para minha felicidade, o terceiro livro começou muito bem.


Como são doze contos, narrando à vida dos personagens, tendo como personagem central o Parker, a autora pode abordar temas diversos nos trabalhos da International Guy, bem como nos relacionamentos dos personagens, fazendo com que a série, no geral, tenha um desenvolvimento no enredo, a meu ver bem legal, mas definitivamente não é o meu estilo preferido. Curto mais livros únicos ou séries, onde cada personagem tem uma história. Esta série é como um seriado de TV, cada conto um episódio.

Skyler aperta minha coxa, e, apesar de termo recebido uma notícia horrível e estarmos com o coração partido (...), conseguimos encontrar momentos para aproveitar o bom da vida. Acho que às vezas a questão é esta: viver o momento.

Na primeira parte, a Guy irá para Londres auxiliar uma escritora que está sofrendo um bloqueio emocional para escrever o último livro da sua série que faz tanto sucesso que há a proposta de virar filme. Este conto foi um dos que mais gostei... afinal como não amar uma história sobre literatura?! Há outras coisas bem legais que acontecem também no decorrer da história, então fiquem na curiosidade.

Geneva agita a mão e vai até uma porta, que parece levar a um depósito. Quando abre, há fileiras e fileiras de prateleiras com cópias de seus livros. Ela sorri conforme Sky passa os dedos pelas lombadas e quase baba nos títulos. Leitores e seus livros... Esquisito, mas legal.

No segundo conto, os três membros da Guy vão para Berlim, pois eles terão que trabalhar de forma bem rápida para agilizar uma campanha de marketing de uma indústria automotiva. Neste conto temos um aprofundamento na história da Wendy e seu noivo, o Michael, o que eu gostei bastante. Temos também o aparecimento de um personagem já citado na história, nos trazendo uma nova surpresa.

Já no terceiro e último conto deste livro, o Parker contrata uma advogada, conhecida deles da época da faculdade, para auxiliá-los nos contratos, afinal eles estão crescendo, porém, histórias do passado mal contadas e conversas apressadas no presente, fazem com que a contratação desta advogada crie um novo drama entre os amigos na Guy, mas eles terão que superar, pois ela é fundamental para este trabalho que será em Washington com uma indústria farmacêutica. Neste conto a autora nos traz outro assunto bastante polêmico e real nas causas dos animais e do meio ambiente. Achei o final bem fofo.

Como não poderia faltar, a autora criou um novo drama para o Parker e a Skyler que permeou todo o livro e ficou com aquele suspense para o próximo e também nos trouxe um novo suspense, mas que envolve o Royce.


No geral este foi o livro que mais gostei até agora, mas não falarei o porquê para não dar spoiler. Sendo assim minha nota foi de 4,5/5. A leitura fluiu de maneira rápida, como os anteriores e continuo na expectativa para o último. Vale destacar também que estes livros são bem hot, mas de uma maneira legal.

Bjs!!!!

Carolina Finco


Nota ::  4,5


Informações Técnicas do livro

International Guy: Londres, Berlim, Washington
International Guy #3
Ano: 2019
Páginas: 434
Editora: Verus
Sinopse:
International Guy é a agência de Parker Ellis, um dos maiores especialistas do mundo em vida e amor, que tem como missão ajudar as mulheres em questões tão diversas quanto se sentir sexy e poderosas, aprender a administrar um império empresarial ou conquistar o homem dos seus sonhos. 
Parker e seus dois sócios atendem mulheres ricas do mundo todo, como atrizes de Hollywood, membros da realeza e CEOs de multinacionais bilionárias. E, às vezes, eles não podem evitar que as coisas esquentem e vão parar na cama de suas clientes. Literalmente.
Parker adora sua vida de playboy e não está procurando compromisso. Afinal, há um mundo inteiro à sua frente: os negócios o levam de Paris a Milão, de Berlim ao Rio de Janeiro. Mas, conforme ele pula de cidade em cidade — e de cama em cama —, é possível que acabe encontrando mais que sexo ao longo do caminho...
No volume 3 da série, Parker viaja com Bo e Skyler até Londres para ajudar uma escritora best-seller a superar o bloqueio criativo. De lá a equipe vai para Berlim recriar a campanha de marketing de uma indústria automotiva — mas uma surpresa os aguarda. O cliente final é uma farmacêutica que levará os executivos a Washington e os fará se envolver com ética e política, em uma negociação em que o poder e o dinheiro falam mais alto. 

20/06/2019

Resenha :: O Véu Entre Mundos

junho 20, 2019 0 Comentarios

Queridos faroleiros, já li Graham: O Continente Lumúria  (resenha aqui) e Lazaro: A Maldição dos Mortos (resenha aqui) do autor paulista Vinicius Fernandes, mais conhecido pelo pseudônimo A. Wood. Só faltava O Véu Entre Mundos dele para ler.

Stephen King disse, em A Torre Negra, que há outros mundos além deste. E se o véu que divide esses mundos começasse a se rasgar? A partir dessa premissa, o autor desenvolve a história de Alice Limberger.


Alice está cansada de sua vida estressante. Ela estuda letras à noite e durante o dia trabalha em uma escola onde ensina inglês para crianças. Alice ainda tem que dividir sua atenção com o namorado Marco e a mãe que trabalha na lanchonete da família.

Alice e Marco se conheceram no colegial e já namoram há uns 3 anos. Os dois estavam fazendo piquenique no parque do Ibirapuera quando viram surgir um portal em pleno ar.

O frio aumentou de supetão e, por um momento, a moça não soube distinguir se o que via era real ou se ela estava tonta e prestes a desmaiar. A área que a separava do namorado parecia estar borrada [...]. Mas, na fração de segundos após isso, o barrão sumiu e houve um barulho de implosão, como se o próprio ar tivesse se consumido.

Esses portais sobrenaturais começam a aparecer aleatoriamente em diversos lugares do planeta, provocando o desaparecimento de várias pessoas e o aparecimento de fadas, seres que até então só existiam em livros de fantasia.

Gosto muito da forma como o autor conduz suas histórias. Ele começa devagar e aos poucos você vai se envolvendo com a narrativa e se afeiçoando aos personagens. Em Graham e Lázaro há personagens gays, mas o foco da história não é a sexualidade deles. É apenas uma de suas características. Acho isso bem inovador. Não temos um personagem gay em O Véu Entre Mundos, mas Alice precisa conhecer a sua história, saber quem realmente é, para poder se aventurar entre os mundos. (Não é exatamente isso que os gays precisam fazer?)

Comprei a obra direto com o autor. A edição tem boa diagramação, páginas amarelas e um mapa do Reino de Fäerie. No início de cada capítulo há uma ilustração de dois belos unicórnios. O livro que recebi, devidamente autografado <3 , não tem orelhas, mas sei que a editora Selo Jovem lançou alguns títulos nas duas versões: com e sem orelhas.

Mais uma vez o autor A. Wood entrega uma fantasia bem construída que se passa em plena São Paulo, com personagens imperfeitos e uma boa dose de ação.

Fiquei sabendo que o autor vai relançar Graham: O Continente Lumúria em uma edição ilustrada e com final alternativo pela editora Pandragon. Além disso, temos uma nova história saindo do forno para a Bienal do Rio deste ano.

Com amor, André


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

O Véu Entre Mundos
Ano: 2016
Páginas: 208
Editora: Selo Jovem
Sinopse:
"O andarilho sorriu satisfeito mais uma vez. Aquele não era o seu mundo. Tudo ali era muito diferente do que aquilo com que estava acostumado. Mas isso não significava que já não tivesse visto aquelas coisas antes. Ele estudara por muito, muito tempo.
E agora finalmente conseguira.
Havia cruzado a barreira entre dois mundos."

Nós não estamos sozinhos no Universo.
Quando Alice Limberger e seu namorado, Marco, têm um estranho encontro com uma fada no parque do Ibirapuera, suas vidas e a de todos os moradores da cidade de São Paulo começam a mudar da noite para o dia. Portais sobrenaturais se abrem misteriosa e aleatoriamente em diversas regiões, ocasionando no sumiço de pessoas e no aparecimento de seres que até então só existiam em livros infantis. Como e por que esses portais estão aparecendo, Alice não consegue explicar, mas descobrirá que é apenas o começo de uma reação em cadeia na qual ela está envolvida no centro de tudo.


A editora Selo Jovem é uma empresa independente, que atua no mercado do livro desde 2013. É uma editora com base sólida e confiável, pois o objetivo da Selo jovem é publicar obras com 100% de qualidade literária, sem pressa e trabalhando duro na revisão dos textos; sem jamais desistir, para ganhar experiência e amadurecer a cada dia.

18/06/2019

Resenha :: Alma? (O Protetorado da Sombrinha #1)

junho 18, 2019 0 Comentarios

Como falar da melhor série de Steampunk de todos os tempos? Bem, aproveitando que a editora já publicou todos os volume da série (ainda na esperança do spin-off), vou começar a maratona de reler a série e comentar com vocês aqui no Clube. Porque a vontade é só falar dele com quem já leu para se esbaldar nos spoilers... risos... E para você que não conhece o estilo Steampunk quero te apresentar a esse universo maravilhoso!

Steampunk  — Embora não seja uma regra, a maioria das histórias nas quais esse tipo de ficção científica é explorado se passa na era vitoriana, período britânico do governo da Rainha Vitória (1837-1901), quando o vapor era o principal meio de produção. Graças a ele, houve avanços tecnológicos e criações incríveis para a época, como robôs a vapor, diligências  turbinadas, além de cientistas “loucos” e por aí vai. As maiores influências literárias para o Steampunk são: Mary Shelley, Júlio Verne, H.G. Wells...

Eu comecei a ler por indicação, sem saber nada do que significa Steampunk e ainda sim fui capturada pela sinopse e a capa do livro. Depois de todos os livros com vampiros que circularam, ler um onde os vampiros, lobisomens e fantasmas não só são de conhecimento público como convivem em sociedade com os humanos e são altamente civilizados e corteses como o "chá das 5", me deixou no mínimo curiosa.

A personagem central desse livro é  Alexia Tarabotti, solteirona, decente de pai Italiano, suspeita de assassinato contra um vampiro e sem alma.

... é um dom, de sem alma ser capaz de anular os poderes sobrenaturais.

Não ter alma pode ser visto como uma maldição ou um dom, por quê? Só por estar no título, já deixa claro ser extremamente importante para história. Já de cara amei Alexia, inteligente, divertida, esfomeada e sua condição de ser sem alma deixa tudo ainda mais interessante pelo fato dela atrair confusão como um ímã e sua imensa capacidade de tanto causar como ser o motivo da confusão.

A Srta. Tarabotti costumava manter sua condição de não ter alma em segredo, até mesmo para a própria família. Contudo, não era uma morta-viva, e sim um ser humano, que respirava e simplesmente... carecia de algo.

À medida que os personagens são apresentados, você vai si sentindo confortável com eles e a história já de cara te mostra que não é uma história com vampiros e lobisomens como tantas outras que você tenha lido.

Lorde Maccon é escocês, temperamental, bagunceiro, lindo de morrer e lobisomem, sem falar no responsável para investigar o assassinato do vampiro.

— Têm uma queda pelas mulheres, aqueles animaizinhos adoráveis, apesar de serem um bocadinho rudes. — Ele estremeceu de um jeito lascivo. — Sobretudo Lorde Maccon. Tão grande e bruto. — O vampiro deu um leve rosnado.
A Srta. Tarabotti riu. Não havia nada mais engraçado que ver um vampiro tentando imitar um lobisomem.

A convivência do sobrenatural e de humanos na sociedade londrina deixa o livro com uma história maravilhosa e a escrita me fez lembrar dos seriados Dr. Who e Torchwood (seriados esses que recomendo), e que também têm ligação a essa época. E a curiosidade de porque a descendência ou país de origem causar mais problemas que o fato de ser um ser sobrenatural.

Outra curiosidade é a dinâmica da sociedade com os seres sobrenaturais inseridos ser maravilhosa. Eu nunca curti romance de época e me vi amando esse livro antes do primeiro chá ser servido. Toda a pompa e circunstância de um reinado convivendo com os atos “animalecos” de homens-lobo e vampiros bebedores de sangue, além de os fantasmas causarem medo e desconforto apesar de serem vistos a luz do dia.

Quem leu A Seleção ou Jogos Vorazes vai entender cada uma das “espécies” como se fossem uma casta da sociedade, eles convivem, mas têm leis e dinâmicas próprias que os outros sabem e respeitam até certo ponto para manter a convivência.

Será que Lorde Maccon descobrira o mesmo que ela? pensou. Será que suspeitava apenas dos membros do clube ou da Real Sociedade também? A Srta. Tarabotti duvidou de que o conde, apesar de suspeitar de tudo e de todos, fosse tão longe.

Outro fato que me chama a atenção foi quando o Clube Hypocras é apresentado, fica claro para mim que nós seres humanos e comuns somos muito ligados à evolução da espécie e sempre tentaremos sobreviver e manter a raça humana na qualidade de não extinta. Não que isso signifique que sempre serão usados métodos aceitáveis para isso.

Mas foi bem engraçado, porque peguei o livro para escrever essa resenha e acabei relendo... risos... Sim, a escrita da autora é leve, divertida, ela não fica dando voltas e voltas para contar alguma cena, cada personagem apresentado tem seu final. Não, ela não abandona nenhum personagem pela história. E os que fazem parte do enredo principal vão apresentando novas surpresas ao longo dos próximos livros. 

A edição para mim é perfeita, porque a capa é um bônus para quem leu o livro, a diagramação, tradução e edição estão perfeitas, as orelhas são um presente pra quem lê de capa a capa e, claro, a ansiedade para o próximo livro te deixa como no último episódio da sua série favorita! Então aproveite que todos estão publicados e embarque comigo na leitura do próximo livro da série: Metamorfose?.


Confira o Book Trailer do Livro:



Nota ::  


Informações Técnicas do livro

Alma?
Um Romance Sobre Vampiros, Lobisomens e Sombrinhas
O Protetorado da Sombrinha #1
Ano: 2013
Páginas: 308
Editora: Valentina
Sinopse:
Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana.
Em primeiro lugar, ela não tem alma. Em segundo, é solteirona e filha de italiano. Em terceiro, acaba sendo atacada sem a menor educação por um vampiro, o que foge a todas as regras de etiqueta.
E agora? Pelo visto, tudo vai de mal a pior, pois a srta. Tarabotti mata sem querer o vampiro ― ocasião em que a Rainha Vitória envia o assustador Lorde Maccon (temperamental, bagunceiro, lindo de morrer e lobisomem) para investigar o ocorrido.
Com vampiros inesperados aparecendo e os esperados desaparecendo, todos parecem achar que a srta. Tarabotti é a responsável. Será que ela conseguirá descobrir o que realmente está acontecendo na alta sociedade londrina? Será que seu dom de sem alma para anular poderes sobrenaturais acabará se revelando útil ou apenas constrangedor? No fim das contas, quem é o verdadeiro inimigo, e... será que vai ter torta de melado?
A série de STEAMPUNK mais cultuada do mundo!


Para a Editora Valentina, leitura é, acima de tudo, entretenimento.
Olho vivo e faro fino.
Esse é, na verdade, o lema de todo grande editor. E a pinscher dessa editora encarna esse lema como ninguém.

14/06/2019

Série :: Romance is a Bonus Book

junho 14, 2019 0 Comentarios

Olá, faroleiros!

A indicação de hoje é da série Romance is a Bonus Book, que ganhou meu coração por apresentar ao expectador de forma minuciosa e simples o dia a dia de uma editora. Isso mesmo, Romance is a Bonus Book é uma série que parte da sua trama se passa numa editora de livros! Tem romance? Tem sim!

Kang Dan Yi e Cha Eun Ho são amigos de longa data que tomaram rumos diferentes na vida. Enquanto ela se casou logo cedo, Cha Eun Ho se formou na faculdade e virou editor e escritor. Acabou protagonizando um mistério envolvendo o desaparecimento de seu mentor, um escritor coreano famoso, e herdou os direitos autorais e financeiros das suas obras. Com este dinheiro alavancou financeiramente a Editora Gyeoroo, onde ele é editor-chefe e fundador, com mais quatro sócios.


Os anos passam e Dan Yi retorna a vida de Cha Eun Ho. Divorciada do marido, com despesas da filha na escola e sem emprego, a mulher começa a trabalhar secretamente na casa dele. Enquanto ela finge que outra pessoa faz a faxina, Dan Yi mesmo cuida do serviço e fica com o dinheiro. Ao mesmo tempo procura emprego nas empresas da cidade. Ela é formada em marketing e publicidade, mas os sete anos paradas por causa do casamento não dão credibilidade a sua competência e inteligência.

Frustrada, cansada, com contas a pagar e despejada da própria casa, Dan Yi vaga pelas ruas até conhecer o Senhor Guarda-chuva, um homem gentil que a ajuda quando ela perde o único sapato que tinha e se embriaga na rua para esquecer os problemas (Fiquem atentos porque ele vai protagonizar um triângulo amoroso com o nosso casal principal).


A sua chance surge quando a empresa de Cha Eun Ho abre vagas para funcionários temporários. Dan Yi vê a oportunidade perfeita de conseguir um emprego. E ela consegue. Comovido pela sua situação, Cha Eun Ho oferece seis meses de abrigo, até Dan Yi se estabilizar e conseguir um lugar para ela.

Só que por trás desse gesto se esconde o coração de um cara apaixonado, que nunca esqueceu a garota que se escondeu no carro dele no dia do próprio casamento.

Lutando para se reerguer e encontrar seu lugar na empresa, Dan Yi vai conhecer pessoas muito legais, com personalidades diferentes. A equipe da Gyeoroo é alegre, dinâmica, divertida e, muitas vezes, atrapalhada. Mas o que todos eles nutrem em comum é a paixão pelos livros.


Entre estantes recheadas de lançamentos e originais a serem analisados, Dan Yi e Cha Eun Ho vão viver as emoções e frustrações do mundo literário. Nesse meio tempo aprenderão que o amor pode ser um livro que você lê uma, duas e até mesmo três vezes, até o momento em que você descobre que está viciado na leitura e quer sublinhá-lo por inteiro.

Não é à toa que a Netflix, cada dia que passa, tem investido mais nos Doramas.  As séries asiáticas caíram nas graças do público e arrebataram fãs fiéis. Seus romances leves, com histórias simples e a apresentação de uma cultura rica são alguns dos atrativos que chamam a atenção quando paramos algumas ou muitas horas do nosso dia em frente à TV.


Em Romance is a Bonus Book não é diferente. O que mais me chamou a atenção é que parte da trama acontece dentro da editora e nós temos o gostinho de apreciar o dia a dia de uma empresa desse ramo, mesmo sendo coreana. Foi uma delícia. Confesso que amei a escolha da ambientação. Aposto que só isso foi suficiente para conquistar boa parte do público apaixonado pelos livros.

Apesar das cenas engraçadas, a série também trouxe à tona questões sérias de forma leve, mas que não podem ser ignoradas. Por exemplo, podemos sentir na própria vivência da Dan Yi como é preconceituosa e machista a cultura coreana. A nossa personagem teve de abandonar o trabalho quando se casou. Isso prova que mesmo com a evolução do ser humano em todos os âmbitos certas coisas precisam mudar.


Trazendo tantos ingredientes interessantes, Romance is a Bonus Book está no meu Top 5 de Doramas preferidos da vida e eu super indico a série para vocês. Ela estreou agora em janeiro e encontra-se completa. Está disponível em uma temporada na Netflix e seus dezesseis capítulos têm uma hora de duração cada, em média.


Informações Técnicas da Série

Romance Is a Bonus Book
Original NETFLIX
Ano de lançamento: 2019
N.º de temporadas: 1 temporada
N.º de episódios: 16
Duração: 63 minutos por episódio (aproximadamente)
País de origem: Coreia do Sul
Gêneros: Séries coreanas, Séries dramáticas, Comédias para a TV, Séries românticas
Estrelando: Lee Jong-suk, Lee Na-young, Jung Eugene
Sinopse (Netflix):
Escritor talentoso e o mais jovem editor-chefe da história de sua editora, ele acaba envolvido na vida de uma redatora desesperada por trabalho.

Não recomendado para menores de 16 anos.