Follow Us @soratemplates

04/04/2020

Resenha :: O Café da Praia

abril 04, 2020 0 Comentarios

Olá, faroleiros, seguindo minhas leituras dos romances de hoje da Arqueiro, resolvi ler O Café da Praia e confesso ter começado a rir sozinha após perceber a coincidência dos dois livros lidos até o momento por mim desta série envolverem comida... Duas coisas que gosto muito, aliás, pão e café.

Confesso ter algumas dificuldades com leituras que envolvem o estilo chick-lit e por isso tenho lido apenas um livro de cada autora que está sendo lançado, mas tenho tido muita sorte nas leituras que fiz, principalmente porque vale destacar que o livro em si não é todo neste estilo literário, tem muito do romance e drama junto, na maioria das vezes apenas a personagem principal do livro é que chick-lit.


Evie é a personagem central desta história e também a narradora da mesma. Eu achei o início do livro um pouco devagar, porque demorei a sentir empatia com a personagem, sua narrativa declarando ser a ovelha negra da família não me convenceu muito não, eu a achei mesmo foi acomodada com suas escolhas e com falta de força para manter suas vontades e jogando para cima da família a desculpa de suas decisões.

Mas a partir do momento em que ela herdou o café na praia da Cornualha de sua querida tia Jo, ela começou a mudar, em minha opinião, para melhor e a história começou também a engatar e ganhar um ritmo bacana. Então se você se sentir como eu, não desista da leitura.

Ela resolve assumir o café contrariando a expectativa de todos de sua família, mas contando com o apoio de sua melhor amiga, personagem por sinal que gostei bastante, principalmente por ela dizer a Evie o que eu estava pensando à medida que lia a história... Oh, vontade que me dava de dar uns tapas na Evie por seus pensamentos! E aqui vem o meu principal problema com o chick-lit, passar raiva com as atitudes da mocinha.

Enquanto ouvia as histórias dos feitos do papai na jardinagem e as novidades sobre a última aventura do cachorro, minhas palavras a respeito do café ficavam voltando a minha mente. Eu havia percorrido um longo caminho num curto espaço de tempo, reconheci, com uma onda de prazer e orgulho. E o melhor de tudo era que, pela primeira vez na vida, tinha encontrado um trabalho e um estilo de vida pelos quais realmente me sentia apaixonada.

Este livro, assim como o da padaria e creio que também com os outros livros desta série de Romances de Hoje, mesmo sendo de autoras diferentes, trata-se sobre o crescimento e empoderamento da mulher. Mulheres que após os trinta precisam mudar e repensar suas vidas, que precisam lutar para serem felizes profissionalmente, consigo mesmas e, por último, em um relacionamento amoroso. Neste livro, por exemplo, o foco está todo centrado na Evie, tudo gira em torno dela.


Foi uma leitura surpreendente e emocionante. Chorei numa determinada parte no final do livro, pois já estava tão conectada com a personagem que me senti no lugar dela. Percebi como é importante cultivarmos boas coisas ao nosso redor, ter boas atitudes sem pensar em ganho pessoal, ter boas amizades, buscar viver bem com todos. O retorno de boas atitudes sempre vem quando precisamos e de formas surpreendentes. Creio estar me identificando um pouco com cada personagem destes romances por causa da idade e questão da tomada de decisões pessoais. Lições aprendidas.

Uma leitura que pode não ter começado muito animadora, porém terminou de forma maravilhosa. Nota 4/5. Vale destacar que a capa está um primor e a diagramação interna muito boa. Super recomendo este livro.

Boa leitura e até a próxima.

Carolina Finco


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

O Café da Praia
Uma receita para o desastre ou uma receita para o amor?
Romances de Hoje
Ano: 2019
Páginas: 336
Editora: Arqueiro
Sinopse:
Em uma praia paradisíaca, Evie Flynn tem a chance de começar do zero…

Evie sempre foi a ovelha negra da família: sonhadora e impulsiva, o oposto das irmãs mais velhas bem-sucedidas. Tentou fazer carreira como atriz, fotógrafa e cantora, mas nada deu muito certo. Às vezes, ao pular de um trabalho para outro, ela tem a sensação de que lhe falta um propósito.
Quando sua tia preferida morre em um acidente de carro, Evie recebe uma herança inesperada, um café na beira da praia na Cornualha. Empolgada com a oportunidade de mudar de vida, ela decide se mudar para lá, mas logo descobre que nem tudo são flores: os funcionários não são dos melhores e o local está caindo aos pedaços. Tudo bem diferente dos tempos em que passava as férias de verão com a tia. 
Apesar das dificuldades, pela primeira vez Evie está determinada a ter sucesso. Ao lutar pelo café, ela busca secretamente dar um novo rumo à sua vida e, assim, pode acabar conquistando bem mais do que esperava no trabalho...  e também no amor.

02/04/2020

Resenha :: Um Amor de Dorama (Antologia)

abril 02, 2020 1 Comentarios

Olá, leitores!! Comecei a leitura desse livro, porque minha filha começou a se interessar pela cultura dos Doramas e K-Pop. E eu aproveitei a seleção de contos românticos inspirados na cultura asiática contemporânea para entender um pouquinho do fascínio que tem causado nela. Para quem, como eu, desembarcou pela primeira vez nesse universo, aviso que o livro tem um glossário com os termos que são próprios desse universo da cultura pop oriental, mas vale eu dizer que: 

Dorama — drama japonês, também nomeado como j-drama, é a designação dada aos dramas televisivos em língua japonesa realizados pela televisão do Japão. Todas as principais redes de televisão do país produzem uma variedade de séries dramáticas, incluindo romance, comédia, histórias de detetive, horror dentre outros. E que o K-Pop   é um gênero musical originado na Coreia do Sul, que se caracteriza por uma grande variedade de elementos audiovisuais, tal qual as boy-bands que conhecemos.

Devidamente explicados os termos, vale dizer que os contos têm um jeito diferente e isso é legal porque tira da zona de conforto sem ser uma coisa desconfortável, mas sim curiosa. Para mim o mais complicado foram os nomes, rs. Soam quase como uma frase inteira, mas até o estranhamento passou depois do primeiro conto.



Só Uma Chance
(Ana Cleide da Silva)

Apesar de corrido o conto não apela para o triângulo amoroso, mostra um conhecimento bacana do universo coreano, mas eu teria preferido, ao invés do glossário, os significados dos termos como notas de rodapé. Apesar do final um pouco corrido trouxe surpresas e reviravoltas, que deixaram o gostinho de “adorei” no fim da leitura.


Coisas do Destino
(Mia Antiere)

Eu sinceramente me diverti nesse conto, que tem uma pegada de comédia romântica, e cada reencontro foi uma rodada de surpresas e até boas risadas. A narrativa da autora, leve e fluida, deixou a leitura ainda mais prazerosa.


Fan Meeting You
(Sâmella Bridges)

Conto com narrativa masculina, tem aquela pegada gostosa de alguém que não queria estar onde estava, mas que decide se divertir e não estragar tudo para si e para a irmã a qual foi como acompanhante. Outra coisa gostosa foi se passar em um show “especial”, onde os fãs interagem mais com os ídolos. Esse, com certeza, foi um dos que mais curti.


Um Dia Com Meu Ídolo
(Ninah Schmutz)

Quem nunca se apaixonou por seu ídolo que atire a primeira pedra. E, claro, quem nunca sonhou em transformar em realidade que atire a segunda. Nesse conto os sonhos podem ser reais e deixam aquele gostinho que as histórias ficam ainda melhores quando eles acontecem.


Aprendendo a Amar — Não Há Momento Certo Para o Amor
(Laura Castro)

Esse foi o conto que menos me conquistou, porque acontecem coisas demais em pouco tempo, acho que daria um livro incrível, mas que no conto ficou meio surreal.


Primeiro Amor
(Dominique Guarnieri)

Foi muito legal acompanhar uma amizade que virou amor e quase deixa de existir por medo de perder o que já tem e não ganhar o que deseja. Com uma narrativa simples e delicada, foi muito legal acompanhar o fim, ou melhor o começo dessa história de amor.


Um Coreano Flechado Pelo Cupido
(Jaque Salema)

Mais uma vez, temos o gostinho da comédia romântica, quando o cupido resolve resolver suas questões pendentes acertando, em uma flechada só, dois de seus casos mais perdidos, afinal eles fogem dessa flecha a algum tempo. E agora é a vez do cupido deixá-los para lidar com o problema que não é mais seu. Acho que o único defeito é não se parecer tanto com um Doroma, focou mais nos personagens e esqueceu  um pouco da ambientação.


A Secretária
(Alison M. King)

O drama fica bastante em primeiro plano e coloca uma lição valiosa sobre o que é realmente importante e o que pode deixar seguir seu curso natural. Entretanto, eu senti uma empatia grande pelo sofrimento da personagem por entender que na cultura dela aquela atitude é a esperada, a ensinada. Como o final agradou muito, eu acabei curtindo a história bem mais do que pensei.


DRAMARAMA
(Lilly Belmount)

Achei uma divertida brincadeira com quem se mantém longe do mundo dos Doramas e acaba caindo do sonho à realidade dentro desse universo tão particular.


Casamento Arranjado
(Kiara Vargas)

Leve, divertido e, mesmo com o toque de mistério não sendo para surpreender, rendeu uma história bem gostosa de acompanhar, afinal quem disse que tudo precisa sempre dar errado, não é mesmo?


O Destino de Choi In Há
(Ana Cleide da Silva)

Esse conto encerra bem a antologia, gostei em especial do ar de conto de fadas que a história tem. Após a leitura dos outros contos, eu já esperava pelo final e não me decepcionei com a expectativa que tinha criado.



Concluo dizendo que para nós não acostumados nesse universo algumas vezes é estranho a trama e o desfecho e, justamente por isso, quero explicar que: é um humor feito pensando em crianças, visto que os Doramas de comédia romântica têm, em sua maioria, uma classificação etária por volta de 12 anos. Então, lendo com a expectativa correta, você vai se divertir muito com essa antologia e suas histórias de amor, uma dose de tragédia e seus finais fofos.


Nota ::  3,5


Informações Técnicas do livro

Um Amor de Dorama
Antologia
Mia Antiere, Ana Cleide da Silva, Sâmella Bridges, Ninah Schmutz, Laura Castro, Dominique Guarnieri, Jaque Salema, Alison M. King, Lilly Belmount e Kiara Vargas
Ano: 2019
Páginas: 172
Editora: The Books
Sinopse:
Uma seleção de contos românticos inspirados em Doramas e K-Pop.
Uma viagem pela cultura asiática contemporânea.


Para comprar:

Livro Físico
E-book

31/03/2020

Resenha :: Legalmente Atraído (Família Villazza #2)

março 31, 2020 0 Comentarios

Em janeiro, eu li Negócio Fechado (resenha aqui), primeiro livro da série Família Villazza, da J. Marquesi e publicado pela 3Dea Editora. Tony é um personagem encantador e o romance dele com Marina é daqueles que deixam o coração bem quentinho. Por isso, fiquei surpreso pelo irmão de Tony, Frank Villazza, ser tão... tão... acho melhor deixar ele mesmo se apresentar para vocês.

Eu sou Francesco “Frank” Villazza, tenho 39 anos, sou boa-pinta, saudável, inteligente, CEO de uma das maiores – que está para se tornar a maior em breve – redes hoteleiras da América do Sul, rico e bem-humorado. Resumindo: eu sou FODA!

Sim, ele é bem convencido e sei que vocês já devem estar cansados de histórias com CEOs fodões. Tudo poderia ser mais do mesmo, se a autora J. Marquesi não fosse mestre em criar personagens que são mais do que aparentam ser.

Em Legalmente Atraído, Frank precisa solucionar um grande escândalo envolvendo a empresa da família. Dez ex-funcionárias denunciaram Hans Baden, o Diretor de Recursos Humanos da rede de hotéis que tentou prejudicar o romance de Tony e Marina, pelo crime de assédio sexual e, além da ação penal, ingressaram na Justiça do Trabalho com ação indenizatória na qual a empresa figura como ré.

O advogado que estava cuidando do processo sofreu um ataque cardíaco e veio a falecer, fazendo com que o escritório mande a Dra. Isabella Romanza para substituir o falecido. A advogada é logo rechaçada por Frank que, de forma preconceituosa, não acredita que ela seja capaz de cuidar de um processo tão importante.

Quando Tony faz Frank cair na real, ele decide que quer a Dra. Isabella no caso a qualquer custo e é aí que o jogo começa!

Só espero não estar catando seus caquinhos no dia em que você encontrar alguém tão cínico quanto você.

Isabella Romanza é uma mulher independente, capaz e determinada, que sempre batalhou para se tornar a melhor advogada na sua especialidade, mas por trás disso tudo existe uma garota magoada por um segredo de família.

Adorei o casal! Eles já estão concorrendo na categoria de Melhor Casal do Ano. A dinâmica entre eles é bem tensa e sensual, porque os dois são muito teimosos e orgulhosos. Muitas vezes precisam da interferência de Tony, Marina e da secretária, Alice, para um não explodir com o outro. Adorei a Alice!! A relação de Tony com o irmão Frank é muito bonita de se ver, assim como a relação de Marina para com o cunhado.

São esses pequenos detalhes e sentimentos que a autora sempre traz em suas obras que me encantam. A narrativa é tão envolvente e os personagens tão carismáticos que nos conquistam logo de cara.

A edição da 3Dea Editora é muito boa. O livro tem orelhas, páginas amarelas e boa diagramação. Todo início de capítulo tem uma faixa decorativa que dá um toque todo especial.

Só em escrever essa resenha, relembrar dos personagens e de algumas passagens, já me deu vontade de reler esse romance erótico apaixonante.

Com amor, André


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Legalmente Atraído
Família Villazza #2
Ano: 2018
Páginas: 315
Editora: 3Dea Editora
Sinopse:
Frank Villazza é conhecido como CEO playboy. Satisfeito com a vida que leva, charmoso, rico e bem-sucedido, ele não quer compromisso, e seus casos costumam não passar de uma noite. As únicas coisas que lhe importam são sua família, sua guitarra e suas amadas motos... e todas as mulheres gostosas que, como ele, queiram apenas diversão. Só que o destino traz uma advogada sexy e temperamental para trabalhar em sua empresa, deixando-o louco pelo desafio de torná-la mais uma em sua cama. O que o playboy não sabe é que ninguém pode controlar o destino (ou o coração).
Isabella Romanza sempre batalhou para se tornar a melhor advogada em sua área. É vista como uma mulher independente, capaz e determinada, mas por trás disso se esconde uma garota que foi magoada por um segredo que envolve a sua família e pela rejeição do homem que amava. Quando conhece Frank “Galinha” Villazza, teme que venha a se apaixonar e se dar mal novamente, portanto resolve não entregar seu coração, apenas seu corpo, ao sedutor cafajeste. Terá ela sucesso na empreitada de curtir sem se apaixonar?

27/03/2020

Resenha :: Férias

março 27, 2020 0 Comentarios

Raquel tem muitos problemas, e o maior deles é que ela é a única pessoa que não entende isso. Ela acha que tem a vida perfeita e que seu maior problema é calçar o número 40 e o fato de ela beber e se drogar, em todos os momentos possíveis, a faz agir como se ela só fizesse isso para se divertir e curtir a vida aproveitando tudo do jeito que pode. Com sua vida perfeita e um namorado que a adora, tudo isso vem abaixo quando ela tem uma overdose e seu pai decide que o único jeito de resolver o problema é interná-la em uma clínica de desintoxicação. O que para Raquel era algo sem propósito e sem fundamentos.


E como se recusa a aceitar o tratamento é dispensada por Luke, que é quem a encontra desmaiada e chama por socorro e avisa a seu pai.

Quando descobre que a clínica já foi frequentada por gente famosa, ela se convence de que essa é uma ótima oportunidade para tirar umas merecidas férias.

Depois de pensar bem no assunto, um centro de reabilitação me pareceu uma boa ideia. Uma ótima ideia. Eu não tirava férias há séculos. Bem que andava precisada de um descanso, um pouco de paz e serenidade… Já me fantasiava passando horas a fio sentada, envolta numa toalha enorme. Imaginava a sauna, as massagens, as sessões de talassoterapia, os tratamentos à base de algas, esse tipo de coisas. Eu comeria frutas e mais frutas, prometi a mim mesma, nada mais do que frutas, legumes e verduras. E beberia litros de água, pelo menos oito por dia. Para dar uma boa descarga no meu organismo, purificá-lo.

No início estava tudo muito bom e ela se sentia em um SPA. Raquel não está disposta a admitir um problema que ela tem certeza de que não tem.

A convivência com os outros internos e com seus problemas a faz ter uma atitude diferente e pensar que talvez sua vida não fosse tão perfeita assim e que talvez seu namorado, sua melhor amiga e colega de quarto e sua família só a internaram porque queriam o seu bem.

Então Raquel resolve dar a volta por cima e dar um ponto final nessa confusão que virou a sua vida.

Ela custa, mas entende que na vida as coisas nem sempre são fáceis e que fugir da realidade não é a solução.

Passamos a gostar de Raquel, conforme vamos conhecendo ela melhor.

Sempre detestei ouvir o que as pessoas pensavam de mim. Minha vida inteira fora uma tentativa de fazer com que as pessoas gostassem de mim, e era difícil ouvir a extensão do meu fracasso.

A história é cheia de tiradas hilárias com as gafes e as maluquices que Raquel apronta.

O livro é uma lição de vida e de superação. Com um final lindo e apaixonante. Luke é um personagem encantador que ela pinta como vilão, mas, aos poucos, vamos vendo que não é bem assim.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Férias
As Irmãs Walsh #2
Ano: 2003
Páginas: 560
Editora: Bertrand Brasil
Sinopse:
Um romance que é, a mesmo tempo, comovente, forte e muito, muito engraçado
Após perder o emprego em Nova York, ser deixada pelo namorado Luke Costello e quase morrer de overdose, Rachel Walsh (irmã de Claire, de Melancia) é obrigada pelo pai a se internar em uma clínica para dependentes químicos na Irlanda. Pensando que iria para um spa curtir férias, Rachel se revolta quando descobre que está internada em um centro de reabilitação, e se recusa a admitir que tem sérios problemas. Ela precisará atravessar uma intensa jornada até reconhecer seus erros e reconquistar as pessoas que mais ama.