Follow Us @soratemplates

26/05/2018

Resenha :: Os Livros de Esteros — As Crônicas de Fedors

26 maio 0 Comentários

Olá! Começo dizendo que ficou uma resenha em duas etapas, então leia minhas primeiras impressões, e depois essa resenha. Porque aqui me atenho às crônicas desse primeiro tomo da série.

Você pode começar simplesmente pela narrativa de Fedors, e ainda sim ser envolvido pela história de uma forma única. Como toda a criação do universo foi recontada e recriada, o autor contou com toda liberdade para criar a trama e os personagens como pretendeu, sem precisar se preocupar com realismos desnecessários, deixando tudo único e irretocável. Preciso deixar claro que Esteros não é a reinvenção da fantasia, mas no meu modo de ver foi feito algo inédito a partir do universo comum ao gênero fantástico. Toda a trama é bem amarrada e deixa aquela curiosidade no ponto certo para as respostas que virão neste nos próximos livros da série e também para as próximas perguntas. Dito isso, vamos às Crônicas de Fedors.

As Crônicas de Fedors  — como o título já revela — é uma narrativa histórica que expõe os fatos seguindo uma ordem cronológica, o que preciso dizer foi perfeito para essa história. Porque simplifica para o leitor menos experiente e deixa uma leitura prazerosa para os acostumados com fantasia medieval.

Com a história contada por Fedors em seu encontro com Salazar, os fatos são propositalmente narrados a alguém que nada sabe da história, o que deixa tudo de tal forma que não existe a preocupação em conhecer os personagens, a medida que são apresentados o leitor vai identificando cada um. Tudo feito de forma tranquila e detalhada o suficiente para colocar o leitor na história sem deixa-la em nenhum momento superficial ou cansativa. Muito pelo contrário, deixa aquela sensação de só mais uma página... risos (sim essa mesma, não tem como largar...), afinal esse é "só" o primeiro livro, então prepara-se para já querer o próximo.

Devo dizer, que você esquece de que a história está sendo contada e isso é mágico, logo é você que está visitando os castelos, a academia e acompanhando o crescimento e treinamento dos filhos do rei. Achei interessante o fato de a história conter elfos, orcs e outros seres conhecidos, porque facilitou a imaginação dos personagens, porém de uma maneira diferente daquela encontrada em outros livros. Explico: mesmo imaginando um elfo como "Legolas" eu não poderia em momento nenhum dizer que a Rainha Elfa aqui seria Arwen, ela assim como todos os personagens tem características muito distintas e únicas.

Com a história contando a partir da infância dos filhos do rei, podemos ver como cada um já eram diferentes entre si, como cada personalidade já demonstrava muito sobre o caráter de cada criança. O treinamento dos jovens príncipes na academia de Petrus e a vida no castelo é uma introdução ao mundo medieval das conquistas e das guerras. Já que em um temos o ambiente do Poder e do acolhimento na família e em outro o treinamento das habilidades que formam o guerreiro e o líder, deixando claro como as escolhas moldam o futuro e revela quem cada um realmente é.

Fiquei impressionada com a capacidade de demonstrar como o mal se alastra na mente e no coração de qualquer ser que deixe uma pequena semente desse mal brotar dentro de si. Toda a sutileza dos mais simples erros até às verdadeiras intenções por trás de falsos elogios são bem apresentados. O papel de "Aurélio Destrus" ou Destructor, o eracicto que viu no aviso do Mago Panderios ao Rei Mustafar a chance pela qual vinha ansiando e no erro do “errei em não ouvir tal aviso sua grande oportunidade”.

O garoto que me segue demonstra interesse pela batalha, sonha com o poder e admira sua espécie.

E assim, momentos depois, em um batismo de luta e sangue, nascia Vamcast, o impiedoso. E morria a inocência do menino. Abrindo as portas para a guerra e a morte, o destino de todo o Reino começava a ser selado e o mistério por trás da figura apodrecida de Fedors fica cada vez maior.

— O maior inimigo da  verdade não é a mentira deliberada, planejada, desonesta, mas sim o mito persistente, intolerante e irreal. O mal sempre existiu, sempre esteve ali.

À medida que o mal cresce o ritmo da história fica intenso e não dá vontade nenhuma de largar até descobrir tudo que ainda tem para acontecer, afinal Andor, príncipe de Naires não era mais nenhum menino e contava com a companhia de Angel, Bardor e Mandorados já não via o mundo da mesma maneira. Porém esse conhecimento do mundo não seria suficiente para parar os fatos que iriam acontecer a seguir, e devo avisar que nem de longe o final desse livro pode ser imaginado, até porque ele é o primeiro e não realmente termina quando acaba.

— Morte a morte! Guerra à guerra! Vida à vida! Ódio ao ódio. Esse será apenas o começo de uma era obscura. Que a sua morte se torne o início.

Toda a narrativa do texto flui muito bem, deixando a leitura instigante e num ritmo perfeito, quase cinematográfico mesmo, porque é fácil imaginar os cenários e os personagens vivendo neles. Todo o texto é bem estruturado com as pontas bem amarradas, seja para aumentarem a curiosidade ou encerrar alguma parte da trama. Eu gostei bastante dos diálogos, porque não são do tipo que me deixaram confusa durante a leitura, mesmo seguindo a linha medieval e as formalidades da realeza ou da hierarquia militar.

Sobre livro em si, preciso dizer que a encadernação é maravilhosa, a impressão e o papel são perfeitos e a diagramação ficou linda, sério gente. O livro está todo com um acabamento perfeito, com ilustrações lindíssimas entre os capítulos.


Nota ::  4,5 


Informações Técnicas do livro

Os livros de Esteros
As crônicas de Fedors #1
Ano: 2016
Páginas: 305
Editora: Selo Jovem
Sinopse (Skoob):
“A minha consciência é atormentada por milhares de vozes e cada uma traz-me milhares de histórias, e em todas elas eu sou o vilão condenado. Voltarei no tempo para consertar meus erros. Eu quero me redimir, ofertarei o meu reino, todo o meu ouro, e se necessário, a minha própria alma.” 

Esteros nos leva para um mundo medieval, onde reis se tornam homens individualistas, crianças são incentivadas a fazer o bem acima de qualquer coisa, e até mesmo o mal deixa de ser temido. Entretanto, a inocência é algo inevitável para um povo que só preza a paz. 

Vamcast, o menino que desejou dominar o mundo aos 13 anos não tinha amigos e buscava constantemente o afeto do pai que era um homem frio e descuidado. Por ser assim errou na criação do seu filho. O governante descuidado traz o caos ao seu povo, mas um homem sensato precisa corrigir seus próprios erros. 

Compre o Livro Físico no site da editora, clicando aqui!


_____Sobre o Autor_____

Aldemir Alves

 Facebook / Blog / Twitter / Wattpad

Aldemir Alves nasceu em 1981 em Uberlândia /MG – Brasil. Atualmente trabalha como Design gráfico e co-editor na Editora Selo Jovem. É um autor brasileiro contemporâneo, logo com o seu primeiro livro publicado  em 2011 começou a se destacar no cenário de fantasia, tendo novas oportunidades para publicar seus livros em algumas editoras. Escreveu histórias de fantasia épica, sobrenatural, e contos baseados no mundo de Esteros. Um de seus livros de mais sucesso é "As crônicas de Fedors". Aldemir é fã das criações de Stan – Lee, do mestre Tolkien  e do brasileiro Maurício de Souza. Os seus livros prediletos sempre foram ficção científica e Fantasia.

25/05/2018

Review :: 13 Reasons Why (2º Temporada)

25 maio 0 Comentários


 Atenção: esse post está relacionado apenas à segunda temporada da série e contém spoiler. Se você ainda não terminou, tenha cuidado. Caso tenha interesse em ver sobre a primeira temporada, deixo aqui o link para lê-lo e aviso que é basicamente a resenha do livro: Resenha :: Os 13 Porquês.


Se você mora em Atlantis talvez não saiba, mas na última sexta-feira, dia 18, a Netflix disponibilizou a segunda temporada completa de 13 Reasons Why. Como era esperado, os espectadores do serviço de streaming foram a loucura e logo a hashtag da série foi parar em primeiro lugar no Twitter. Senti um misto de euforia e hesitação já que fui veementemente contra essa segunda temporada por achar que a história já era completa. E, no meu caso, a segunda temporada foi um pouco decepcionante.

13 Reasons Why é uma série adaptada do livro de mesmo nome, escrito por Jay Asher e conta os motivos que levaram Hannah Baker a cometer suicídio. A série foi nessa mesma pegada e foi simplesmente perfeita durante toda a temporada de estreia. Causando um grande debate e realmente ajudando as pessoas, já que o número de ligações para centros especializados subiram astronomicamente.

Com todo sucesso, vem o dinheiro. Tenho minhas dúvidas se produzir uma segunda temporada foi só lance de grana. Mas que o assunto pesou ninguém pode negar. Vou tentar explicar porque eu fiquei decepcionado com a volta da série.

Primeiro vou falar como se fosse um crítico. Mas que fique bem claro que estou longe de ser um. Embora a trama se passe, praticamente toda, focada no julgamento da Hannah, os detalhes técnicos e as atuações continuaram ótimos. A bola fora foi que personagens como Clay, Zach, Courtney, Ryan e até o grande vilão, Bryce, quase não foram desenvolvidos. Esperava um pouco mais nesse quesito. Fora que o julgamento foi demasiado lento já que muita gente foi ouvida. Faltou desenvolvimento e agilidade. E foco no estupro que Hannah, Jéssica, Chlöe (personagem nova) sofreram pela mesma pessoa, Bryce, e Nina (também personagem nova). Um grande erro os produtores só terem comentado e ainda “terem colocado a culpa na vítima”. Vou explicar melhor.

Essa série é uma das minhas favoritas de todos os tempos. Por isso esse “ódio” todo. Como eles tiveram a audácia de colocar toda culpa na Hannah, o estupro e bullying, e, no caso das outros vítimas, o estupro. Como? Uma série tão importante como essa não poderia ter feito essa lambança. Que mensagem isso passa? Beleza que na vida real é isso que acontece. É fato. Todavia, precisamos achar um fio de esperança em algum lugar. E não vai ser nessa segunda temporada. E olha que a Netflix junto com os produtores fizeram um grande apelo, campanhas, para fazer isso. Um erro imperdoável para mim. Foi horrível ver que durante todo o julgamento eles colocaram a culpa na Hannah e nas outras vítimas. Sequer os estupradores foram vistos com outros olhos. E todos os outros do bullying. O personagem do Tyler foi a grande vítima da vez. Chegando ao ponto extremo até de ele virar um atirador. Gente, apesar de terem passado outra grande mensagem, eu não gostei. Não chega a ser contraditório o que eu falei, pois não precisava. Acho que a história da Hannah Baker é a do livro e eles tinham que passar esperança. Essa é a palavra. E eles não passaram. 

Agora eu torço para que voltem com uma terceira temporada para consertarem o que, para mim, foi um erro e falem: “Tenham esperança. A culpa nunca, jamais será de vocês”. Não adianta estar só no roteiro. E quero reiterar que essa é minha opinião. É óbvio que não sou dono da verdade. Espero que entenda e deixe seu ponto de vista.

Confira o trailer:



Informações Técnicas da Série

13 Reasons Why (Segunda Temporada)
Original NETFLIX
Ano de lançamento: 2018
N.º de episódios: 13
Duração: 60 minutos por episódio (aproximadamente)
Criador: Brian Yorkey
País de origem: EUA
Gêneros: Séries teen, Séries dramáticas, Dramas sobre julgamentos para TV, Séries dramáticas sobre crimes, Dramas adolescentes para TV, Séries de mistério
Estrelando: Dylan Minnette, Katherine Langford, Kate Walsh…
Sinopse (Netflix):
Lembranças de Hannah assombram Clay. No julgamento, os testemunhos dos alunos revelam segredos surpreendentes.

Não recomendado para menores de 16 anos.

23/05/2018

Resenha :: Um Ano Sabático

23 maio 2 Comentários

Olá pessoal! Prometi que voltava e voltei!

Hoje iremos conversar sobre um livro muito forte e profundo: Um Ano Sabático da querida autora Renata R. Corrêa. Acompanho a Rê desde o início e posso afirmar que seu crescimento como autora é mais que incrível na obra aqui apresentada!

Quem nunca viveu com mil coisas para fazer em um dia de apenas 24h? Muitas vezes (quase sempre) estou assim... E a leitura de hoje está me fazendo refletir – muito, sobre toda essa agitação da vida. Bora lá?


Em Um Ano Sabático, conhecemos Rafaela, uma jovem que saiu de uma cidade do interior e veio para a cidade grande, pois iria cursar a faculdade de fisioterapia. O tempo passou e Rafaela – Rafa, já está formada e trabalhando em uma clínica voltada para sua área. Mas, o que ela não esperava era que todo o acúmulo de trabalho somado ao seu defeito de não saber negar as coisas fossem lhe causar tanto mal.

Já falei do Bruno? Então, ele é o namorado da Rafa... Só que o Bruno anda meio querendo coisas (casar e filhos) que a Rafa não está muito afim no momento... Tá bom ou quer mais? Isso tudo já é mais que suficiente para uma pessoa ficar meio saturada, né?

Meu ano sabático estava começando... um fim para o começo.

Rafa anda muito nervosa e agitada, pois seu trabalho está “sugando suas forças” e o pouquinho que resta seu namorado faz questão de desperdiçar com brigas sem futuro. Certo dia, Rafa está no trabalho quando é pega por uma crise de nervos. Assim, Rafa é obrigada a viver seu ano sabático... É isso aí! Ela foi obrigada a “pisar no freio” da vida.


Mas não foi simplesmente uma pausa, o que a Rafa tem é ainda mais sério. Ela descobre que esta sofrendo com a Síndrome de Burnout. Ela dá então início ao seu ano sabático - de uma forma meio forçada, né?

— O Burnout, Rafaela, além de ser caracterizado por um estresse intenso, tem algumas outras características muito parecidas com a depressão e ansiedade — falava calmamente. — Geralmente se desenvolve depois de um esforço excessivo no trabalho, quando o desejo de realização profissional se transforma em obstinação e compulsão.

Cansada de viver da maneira que estava, Rafaela está determinada a mudar de vida e dar um basta em tudo que não lhe faz bem. Justamente nesse ponto da história, Rafa sai em busca de uma vida melhor, tranquila e principalmente feliz.

Em meio às mudanças, Rafaela encontra um novo amor. Um amor que não cobra, pelo contrário, um amor que soma e ajuda.

Pontos finais, muitas vezes, significam justamente novas oportunidades.

Narrado em primeira pessoa, podemos viver e sentir as coisas pela óptica de Rafaela. No meu ponto de vista esse é o melhor livro da autora até o momento.

Um Ano Sabático é de fato uma leitura para se refletir a vida. Pensar e analisar como estamos levando nossa vida.

É CONCLUINDO UM CICLO QUE SE INICIA OUTRO.

Vocês podem conferir o book trailer da obra aqui:


E conhecer mais da autora em: www.autorarenatarcorrea.com

Um Ano Sabático pode ser adquirido em formato digital na plataforma Amazon, clicando aqui!

Beijos e até mais!


Nota :: 

Informações Técnicas do livro

Um Ano Sabático
Renata R. Corrêa
Ano: 2017
Páginas: 264
Editora: Independente
Sinopse (Skoob):
Quando os sonhos de Rafaela, uma jovem fisioterapeuta, se transformam em pesadelos, ela é diagnosticada com Síndrome de Burnout. De repente, nada mais em sua vida parece fazer sentido, e na busca de si mesma e da felicidade perdida ela precisará ter coragem para recomeçar do zero.
No seu ano sabático, um tempo de descanso, aprendizado e recomeços, ela se redescobrirá, encontrando coisas que se perderam com o tempo e tentará resgatar a simplicidade dos valores importantes da vida. No meio dessa encruzilhada, que definirá o rumo do seu destino, ela conhecerá o amor verdadeiro. Tudo isso serão pilares fundamentais para sua recuperação e, quem sabe, para encontrar a verdadeira felicidade.

21/05/2018

Resenha :: Legend (Trilogia Legend #1)

21 maio 0 Comentários

Legend foi uma daquelas trilogias que enrolei bastante para ler, já tinha ouvido ótimas recomendações, mas como distopias ultimamente estão muito com receitas certas e poucas grandes mudanças, pensei que não estava perdendo muita coisa.

O que é contraditório é que só comecei a ler depois de ver uma resenha que comparava a trilogia com outra saga que eu gosto, “Os Sete Reinos”, apesar de essa segunda ser medieval e não distópica, e afinal são bastante diferentes, mas a relação dos personagens de “mundos” diferentes e a forma de narrativa dividida entre os dois principais, me lembrou um pouco sim e eu gostei principalmente por isso.

Digo a mim mesma: A lógica acima de tudo. A lógica sempre salva, quando nada mais salva.

Bom à história em si não vou mentir e dizer que foi surpreendente no quesito novidade. A República é um região totalmente totalitária e militarizada, e temos nossos dois protagonistas, June e Day.

“June” que é uma prodígio da República, aos 15 anos já é completamente adiantada na faculdade e se torna uma alto soldado depois do assassinato do irmão. “Day” vem de uma região pobre e é o criminoso mais procurado e famoso da República. Quando os caminhos deles se cruzam, as coisas em que acreditavam acabam sendo colocadas em xeque, e reviravoltas começam a aparecer.

Poucas pessoas matam pelas razões certas, June. A maioria faz isso pelas razões erradas. Só espero que você nunca se encontre em alguma dessas categorias.

O que mais eu gostei nesse primeiro livro foram os personagens, Day que é difícil não amar e June, que apesar da grande raiva que tive por suas decisões que vão marcar os dois durante toda a trilogia, ela tem uma força que não nos deixa a odiarmos eternamente, rs, e ela tem um crescimento como personagem muito rápido.

Palavras parecem se prender na minha língua e se recusam a sair.

Na verdade esse é  um livro bem curto, o que acaba fazendo que as coisas aconteçam de uma forma bem rápida. Achei a escrita da autora bem objetiva, não se tem muita enrolação, o que é bom por um lado, mas fez com que eu sentisse falta de algo, talvez um pouco mais de ênfase nos personagens secundários. Mas pelo desenvolvimento dos outros dois últimos livros senti que esse foi mais uma introdução para que nós possamos conhecer os personagens e o ambiente e eles se conhecerem.

Então leiam e continuem porque a história só melhora!!

Porque cada dia significa novas vinte e quatro horas. Cada dia quer dizer que tudo é possível de novo. Você pode aproveitar cada instante, pode morrer num instante, e tudo se resume a um dia após o outro. (...) E aí você tenta caminhar sob a luz.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Legend
A verdade se tornará lenda
Trilogia Legend #1
Ano: 2014
Páginas: 256
Editora: Rocco
Sinopse (Skoob):
A série Legend é ambientada na República, instalada numa região outrora conhecida como costa oeste dos Estados Unidos, e conta a história de June, uma garota de 15 anos nascida numa família de elite e que possui impressionantes habilidades militares, e Day, um garoto pobre considerado o criminoso mais procurado do país. 
Quando o irmão de June é assassinado, os caminhos desses dois jovens de origens distantes se cruzam, dando início a uma trama de forte conteúdo político e repleta de ação, reviravoltas e romance. 

19/05/2018

Resenha :: Do Outro Lado do Oceano

19 maio 1 Comentários


Essa história foi meu primeiro contato com a escrita da autora Laís Rodrigues, mas fiquei apaixonada pela capa e pela sinopse. Aproveitei que está disponível no Kindle Unlimited e comecei a leitura. O começo é mais calmo com a apresentação dos personagens e também algumas explicações, mas, à medida que a história cresce, ganha um ritmo perfeito de acontecimentos e ação.

— Querida, é difícil acreditar nisso, porque somos programadas a acreditar em príncipes encantados, mas sua felicidade independe de ter um homem ao seu lado. Não existem contos de fada.

Uma das coisas que amei foi o fato da autora ter conseguido me fazer ficar apaixonada por ambos os casais me mantendo presa à leitura de ambas as histórias. Lady Cathy (Catherine), uma jovem inglesa, tem o tom exato entre a ingenuidade e a atitude de uma mulher com pensamentos a frente do seu tempo. Não vou contar sobre o belo e sedutor estrangeiro, só que será um casal que você vai torcer muito para ficarem juntos e, com certeza, vai se encantar por todas as aventuras que eles viverão.

Lady Catherine Morland havia sido criada para ser doce, recatada e submissa às vontades de seu pai, como uma verdadeira dama deveria ser. Entretanto, seu coração parecia não conseguir obedecer aos ensinamentos que a sociedade lhe impunha.

Afinal de contas, muitos segredos e mistérios estão acontecendo e precisam ser resolvidos antes que alguém morra e eles consigam enfrentar a oposição do pai de Lady Cathy à união deles. O fato de ter um mistério a ser resolvido, além de aumentar a curiosidade sobre a história, também cria várias situações que mantem o ritmo da trama com humor, intrigas e a torcida por um final feliz. Mais um ponto positivo foram as passagens, onde a descrição dos locais e cenários foram no tom perfeito para situar a história sem ser descritivo demais ou de menos.

Com um tempo perfeito de mudança entre as histórias que acontecem de forma simultânea, fiquei com a melhor das impressões sobre a autora que escreve super bem, o texto é fluido, tem romance na medida para não ser cansativo, o enredo é ótimo. Afinal duas histórias estão sendo contadas e nos dias atuais somos apresentadas a Americana Cathy Murray, que, graças à ajuda de seu irmão, deixa de escrever suas histórias apenas para si e as publica em um blog sob um pseudônimo, porém seu talento secreto é descoberto por uma das maiores editoras da Europa e ela tem a oportunidade de mudar-se para a Inglaterra, onde conhece um fascinante estrangeiro  que deixa Cathy encantada e fascinada por ele, porém a família dele é rodeada por segredos e mistérios e logo ela se vê cercada por esses mistérios e no centro de todo o segredo.

Cathy não era uma aristocrata inglesa, uma garota com poderes sobrenaturais ou uma grande guerreira. Ela era uma jovem normal, de uma cidade normal, com uma vida irritantemente normal.

Não quero contar sobre a história para não correr o risco de estragar as doces surpresas que tive ao ir descobrindo o que a sinopse não nos conta. Porém posso dizer que a história conta com vários personagens secundários maravilhosos, com histórias que são no ponto certo da realidade e dos dias atuais. Cada um te faz torcer por eles sem tirar o foco da história central o que é ótimo, convenhamos. O fato de alguns personagens serem de locais diferentes do mundo, também acrescentam algumas informações culturais legais à trama, que de certo modo somos apresentados, como os cenários da história de época acabam sendo os dos dias atuais (Inglaterra, Escócia...), temos aquele gostinho de viagem entre tempos, como era e como é.

A autora coloca no texto várias referências a livros e séries, o que coloca o leitor dentro da história e arranca alguns sorrisos e aquele reconhecimento gostoso. Curti bastante os romances e a descoberta dos vários mistérios foram muito legais, com algumas reviravoltas que tiram aquela sensação de algo comum.

Sobre a edição: Cada começo de página tem uma citação da Jane Austen e isso não deixa de ser o tom perfeito para ambas as histórias. E sim, vou ler o livro Primeiras Impressões que a autora escreveu e foi publicado pela mesma editora. Como li em e-book, digo que está formatado para melhor experiência de leitura e com a qualidade Pedrazul de revisão.

Espero que você leia essa história e venha conferir comigo as aventuras dessa garota da Califórnia.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Do Outro Lado do Oceano
Laís Rodrigues
Ano: 2018
Sinopse (Skoob):
Intermediando passado e presente, duas grandes histórias de amor. Lady Catherine foi criada para ser submissa, recatada e para se casar com um rico aristocrata. Porém, a despeito de seu contínuo esforço e da educação rígida de sua preceptora, ela não consegue se comportar como uma perfeita dama. Para piorar, acha todos os cavalheiros enfadonhos, até conhecer um belo e sedutor estrangeiro. Quando uma tragédia choca a pequena cidade de Backhan, Lady Catherine vê-se em uma encruzilhada: deve buscar a verdade, mesmo que isso a faça perder as pessoas que ama? 
No presente, Cathy Murray é uma garota tímida e sonhadora de uma cidade pacata da Califórnia que escreve e publica contos usando um pseudônimo. Quando seu talento secreto é descoberto por uma das maiores editoras da Europa, ela tem a oportunidade de mudar-se para a Inglaterra, onde conhece um fascinante estrangeiro, Apesar de sua desconfiança em relação ao sexo oposto, Cathy encontra-se cada vez mais envolvida por um homem que mal conhece, e cuja família é rodeada por segredos e mistérios.

Editora Pedrazul atualmente é a editora que mais se dedica à tradução e à publicação de obras mundialmente consagradas, algumas ainda desconhecidas no mercado editorial brasileiro, como os autores que influenciaram o estilo da mais famosa escritora inglesa de todos os tempos, Jane Austen. Também atua no segmento romance histórico e de época escritos por autores contemporâneos. 

Adquira o e-book de Do Outro Lado do Oceano na Amazon, clicando aqui!

17/05/2018

Resenha :: Duas Vidas (Recomeço #1)

17 maio 0 Comentários

Amigos Faroleiros, estava dando uma olhada nas postagens da página Lendo na Amazon quando uma delas chamou a minha atenção. Era sobre Duas Vidas, e-book escrito por J. Marquesi. Pesquisei sobre o livro e só li resenhas positivas, então, acabei passando-o na frente dos livros que havia colocado na TBR de maio.

Analiz Castro, ou simplesmente Liz, vive com o avô Paulo que é caseiro na ilha Raj, um pedaço de terra cercado por um mar azul e profundo na baia de Ilha Grande, em Angra dos Reis. A família Palmer sempre passava as férias de verão na ilha quando Liz era adolescente. Desde então ela conhece os gêmeos Eric e Thomas Palmer.

Dois homens iguais, duas vidas marcadas por um jogo do destino.

Um grave acidente de carro mata um dos irmãos e o outro precisa reaprender a viver, a lidar com a culpa e com as limitações físicas e mentais após sair do coma. Liz batalhou bastante e conseguiu se formar em fisioterapia. Ela ama o que faz e o destino acaba fazendo com que ela tenha que enfrentar o seu passado ao tratar do irmão sobrevivente.

Não depende de você querer ou não, Liz. Se é parte do seu caminho o que está acontecendo, você terá que trilhá-lo!

Usei apenas as informações que aparecem na sinopse para contar a história de Duas Vidas porque é muito legal conhecer os personagens e descobrir os acontecimentos desse romance aos poucos. Até o momento do acidente a gente não sabe qual dos irmãos morre, por exemplo, e esse suspense torna tudo mais interessante.

A escrita de J. Marquesi é fluida e envolvente. Ela conseguiu me emocionar e me deixar angustiado em vários momentos. Já para o final do livro estava lendo andando do quarto para a sala e da sala para o quarto. Não conseguia ficar parado de tão nervoso que estava. As cenas hot são bem escritas e a autora se utiliza dos clichês de forma inteligente. A gente nunca sabe se ela vai seguir o clichê ou nos enganar com eles.

É perfeito? Não! Há uma pequena barriga na metade do livro, mas necessária para criar o envolvimento romântico e a autora se estende um pouco no final. Pela capa, este é o primeiro livro de uma série, mas pode ler sem medo porque a história tem uma conclusão sem deixar pontas soltas.

Como disse, o livro tem falhas, mas que se tornam tão pequenas quando a autora consegue fazer com que a gente se envolva e shippe o casal central. Torci realmente por eles e alguns plot twists me deixaram com o coração na mão.

Amei e realmente indico Duas Vidas.

Com amor, André.


Nota :: 

Informações Técnicas do livro

     
Duas Vidas
J. Marquesi 
Ano: 2018
Páginas: 669
Editora: Amazon
Sinopse (Skoob):
Dois homens iguais, duas vidas marcadas por um jogo do destino.
Eric e Thomas Palmer são gêmeos e, desde crianças, as pessoas os confundem, porém, embora idênticos na aparência, ambos não poderiam ser mais diferentes em personalidade.
Eric, o mais velho por 17 minutos, é um homem centrado, responsável, que leva a vida de maneira distinta da que sonhou, mas se acostumou a não contrariar as expectativas do pai, Bill Palmer.
Thomas sempre foi o mais frágil dos dois, por isso foi protegido e mimado por sua falecida mãe e, após perdê-la para o câncer, ele se revoltou contra todos, cultivando ódio pelo pai e ainda mais ciúmes e inveja do irmão.
Um grave acidente coloca em xeque a vida dos dois, e um só tem uma segunda chance. O sobrevivente precisa reaprender a viver, a lidar com sentimentos confusos, culpa e com as limitações físicas que o acidente lhe deixou.
Analiz Castro é uma mulher independente e segura. Não quer se envolver emocionalmente com ninguém e preza por sua carreira. Criada no interior do Rio de Janeiro, passou a infância e adolescência em uma Ilha na baía de Ilha Grande, onde os avós eram caseiros de uma família estrangeira. Liz batalhou até se formar em fisioterapia, o que ama de paixão, mas de repente se vê sem emprego e sem condições de continuar morando na cidade do Rio de Janeiro.
O destino os reúne, dando a possibilidade de um recomeço para ambos.

[+18 anos] Contém descrições eróticas