Follow Us @soratemplates

23/10/2020

Resenha :: Graffiti Moon

outubro 23, 2020 0 Comentarios
*recebido em parceria com a Editora Valentina

Olá, pessoa. Quando vi a sinopse desse livro senti saudades dos dias em que morei em São Paulo. Além de ter ficado intrigada com a capa. E a vontade de ler só ficou maior. E, agora que li, posso dizer: “que bom que li!”. E nas próximas linhas espero explicar o porquê.


Essa história tem uma narrativa em primeira pessoa, porém alternando entre três personagens: Lucy, Ed e o Poeta, sendo que esse fala através de suas poesias. Então nem sempre a narrativa será feita por palavras, às vezes fica por conta da descrição das artes, em uma linguagem simples e clara, sem ser caricata em momento nenhum.



A autora nos coloca nesse romance urbano de uma forma envolvente e moderna, apesar de que os dramas são os mesmos desde que o mundo é mundo, quando ainda não se é adulto, muito menos criança. E, enquanto acompanhamos os personagens nessa zona cinza, vamos junto com Lucy tentar desvendar o mistério de “quem é o Sombra?”. Mas vamos por partes.

 

O livro começa nos apresentando Lucy Dervish. Filha de uma romancista/dentista e uma pai ator/mágico que, por tanto amarem as artes, apoiam sua filha a seguir seu grande amor, na arte dos vidros feitos por sopro. Somos apresentados ao básico dessa arte de uma maneira bastante gostosa e que nos leva a entender o fascínio de Lucy pelo grafiteiro Sombra.


É disso que gosto na arte, o que você vê às vezes diz mais sobre quem você é do que sobre o que está na parede.


Claro que o segredo é restrito a Lucy e quem está lendo logo vai ficar sabendo quem é o artista, que nos explica, além de sua arte, a diferença entre grafite e vandalismo. O que separa a arte da pichação e como, ainda sim, existem zonas em que ambas se encontram e se repelem.



Edward Phil Skye está sem emprego e precisa encontrar um novo caminho para si, porque o abrigo que tinha encontrado, após abandonar a escola, na amizade de Bert, amigo que lhe deu emprego e o carinho que nunca recebeu do pai ausente, se perdeu com a morte de Bert e a venda da loja, tornando as coisas ainda mais difíceis para ele, que tem nas pinturas a única forma de expressar seus sentimentos. Mas, enquanto ele tiver sua mãe e seu amigo Leo, ele sabe que de alguma forma as coisas ainda ficarão bem.

 

Eu curti os diálogos recheados de referências e um rodapé incrível para quem, como eu, não reconheceu todas. As conversas giram em torno dos eventos que ocorreram durante os anos do ensino médio. Mas, nesse dia, tudo o que importa é que o ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: nessa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade.


Eu disse que ele estava sonhando. Ele me respondeu que sonhar é o único jeito de se chegar a algum lugar.


Quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois, de repente, se juntam em uma busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.



Os diálogos muitas vezes ficam alternados nas narrativas e, ao contrário do que pode parecer, ficam mais fluidos e nem um pouco cansativos. Os personagens vão conquistando e cativando, à medida que vamos os conhecendo, porque a autora mostra a personalidade de cada um e vai, aos poucos, criando uma intimidade leve, mas forte o bastante para nos envolver em seus dramas e criar aquela torcida para que tudo dê certo e ainda tenha romance.


— Você é divertido, e não poderia ser se não fosse inteligente. Meu pai diz que é mais difícil fazer rir do que fazer chorar.

— Porque sempre se pode socar alguém pra fazer chorar.


Eu terminei a leitura extremamente animada, porque o livro me entregou tudo que prometeu ser: uma aventura emocionante e perigosa, como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro onde amigos, novos e antigos amores descobrem que uma noite tanto esconde, quanto revela os segredos e paixões, desde que se tenha o coração aberto para viver intensamente. Boa leitura e divirta-se!



Preciso dizer que a capa fica duas vezes mais bonita após a leitura. Os detalhes do título em relevo e as cores da capa ganham um novo significado, em uma encadernação e impressão ótimas, papel e fontes perfeitos para a leitura. Diagramação excelente e uma tradução que me agradou muito. Uma excelente revisão e todo o capricho da editora nas orelhas e detalhes.



Nota ::  4,5



Informações Técnicas do livro

Graffiti Moon

Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa?

Cath Crowley

Tradução: Marina Slade

Ano: 2015

Páginas: 240

Editora: Valentina

Sinopse:

Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro.

O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade.

A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida.

Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.



Para comprar:

 Livro Físico

 E-book


Para a Editora Valentina, leitura é, acima de tudo, entretenimento.
Olho vivo e faro fino.
Esse é, na verdade, o lema de todo grande editor. E a pinscher dessa editora encarna esse lema como ninguém.


Conheça mais sobre a Editora Valentina
em seu site e redes sociais:
Site │ Instagram │ Facebook │ Twitter

21/10/2020

Resenha :: Nand - Do Cárcere ao Triunfo

outubro 21, 2020 0 Comentarios

Oi, Faroleiros. Sabem quando a gente está em águas turvas, sem saber o que ler após um livro que nos arrebentou como uma onda gigante? Nada melhor do que uma ótima aventura fantástica e medieval, como Nand: Do Cárcere ao Triunfo

 

Governado por um rei justo no norte e um tirano no sul, Sieghard passa por um dos momentos mais conturbados de sua história. Na pacata vila de Tranquilitah, os estudantes do Centro Acadêmico de Atividades Militares Paternigro (CAAMP) estão inquietos. Correm boatos de que o rei do sul pretende lançar um enorme ataque que fatalmente atingirá a academia.


O rebelde Nand foge do CAAMP e parte rumo à fronteira dos reinos junto com os amigos Shunn (um lanceiro invocado), Berk (um cavaleiro mimado), Orvar (um besteiro gentil) e Nimat (uma maga enigmática) para impedir o ataque eminente.



A história se passa antes dos acontecimentos da duologia Maretenebrae (A Queda de Sieghard e O Flagelo de Dernessus). O autor L.P. Faustini conta com as belíssimas ilustrações de Pablo Murinelly, que assina como co-autor, para narrar os acontecimentos que levaram à unificação de Sieghard.



A rebeldia de Nand traz mais camadas para o personagem principal. Ele é malandro e briguento, mas possui boas intenções. Seus amigos também são bem construídos e tem bons momentos. Me diverti muito com as alfinetadas entre Shumm e Berk. 


Nand: Do Cárcere ao Triunfo é uma aventura juvenil leve e divertida, com um lindo projeto gráfico. O texto e as ilustrações nos levam direto para o Reino de Sieghard, onde acompanhamos a jornada desses jovens guerreiros. Já estou com saudades deles. Um livro para jovens de 8 a 80 anos.



Que tal apoiar o lançamento deste projeto maravilhoso através do Financiamento Coletivo no Catarse? Clique em: www.catarse.me/nand e saiba mais detalhes. Eu já apoiei, agora, só falta você!


Com amor, André



Nota :: 


 Conheça os Autores:


L.P. Faustini


Natural de Cachoeiro de Itapemirim - ES, é engenheiro mecânico, escritor e autor da saga Maretenebrae, universo do qual Nand faz parte. Atualmente mora em Vitória - ES, onde trabalha e curte o seu canto na presença de um piano e um PS4. É fã das obras de Michael Moorcock, apaixonado por música, idade média, H.P. Lovecraft, história da religião, mistérios antigos e filosofia.



Pablo Murinelly


Natural de Fortaleza-CE, é ilustrador e concept artist. Desde criança tinha no desenho sua grande paixão, porém, foi durante o período em que se formava em Cinema e Audiovisual na Universidade de Fortaleza (UNIFOR) que ele descobriu seu fascínio pela arte e decidiu que seguiria sua vida como artista. Hoje, aos 23 anos, Pablo participa de sua primeira grande obra literária.



Só lembrando: não deixe de apoiar o financiamento coletivo de Nand - Do Cárcere ao Triunfo. Ajude essa obra a bater a meta, apoiando o projeto no Catarse, clicando aqui.


19/10/2020

Resenha :: Deu a Louca no Sítio (Antologia)

outubro 19, 2020 0 Comentarios
*recebido em parceria com a Meus Ritmos Editora

Olá, pessoa. Você já pegou para ler algum livro que imediatamente te remeteu a sua infância? Aquelas memórias doces de um tempo em que a maior preocupação era acordar cedo para ir à escola? Pois é, essa antologia foi capaz de fazer isso comigo, só me conhecendo um pouco para entender. O primeiro livro que li na escola foi: Pedrinho e o Saci, de Monteiro Lobato. A curiosidade sobre o autor era grande por eu estudar em um colégio homônimo ao autor.

 

Assim, ao receber o livro Deu a Louca no Sítio, já despertou em mim várias emoções antes de abrir a primeira página. Essa antologia é uma obra literária que reúne 9 contos de autores nacionais que tiveram, de alguma forma, suas vidas influenciadas por Monteiro Lobato e foi organizada por Gusttavo Majory. Nessa homenagem a obra de Lobato, assim como eu ao ler, você vai conhecer os personagens que encantaram diversas gerações, de uma forma contemporânea para os pequenos leitores e, porque não, grandes leitores nos dias atuais.



Com um convite irresistível, Pedrinho, o aventureiro; Narizinho, a menina do nariz arrebitado; Emília, a boneca de pano mais tagarela do mundo; e os outros personagens do clássico de Monteiro Lobato estarão em novas e inéditas histórias.



Noite de Terror

(Radcliff Grimm)

 

Em uma noite sem luz, por causa de uma tempestade, o Visconde de Sabugosa se depara com vários mistérios, como um bebê que não para de chorar e olhos grandes e vermelhos que parecem surgir e desaparecer em um piscar de olhos. Além do porquê de apenas ele parece ter acordado com o choro.

 

Além do convite para desvendar esses mistérios, ainda é acompanhado de um divertido jogo dos sete erros.



Nova Reforma da Natureza

(Poliana Barboza)

Em uma visão bastante avançada a seu tempo, Emília discute planos com o Visconde para uma nova reforma da natureza, que, além das ideias mirabolantes dessa tagarela boneca de pano, tem um fundo de conscientização ecológica muito pertinente a nossos tempos e, claro, que só poderia render uma bela aventura, com direito a viagem no tempo e toda a turma do Sítio envolvida.

 

Fica aqui o chamado para você se aventurar nessa reforma sugerindo soluções e, claro, se divertindo muito nessa aventura.



O Sumiço de Narizinho

(Elisangela Medeiros)

 

Como seria o Sítio em tempos de internet? As brincadeiras nos pés de jabuticabas e no reino das Águas Claras perderiam espaço para o mundo virtual? Mas a novidade pode esconder outros perigos muito mais graves do que apenas esse.

 

Assim, o problema das crianças e o mundo virtual é abordado de uma forma lúdica e informativa, que velhos conselhos também se aplicam aos novos tempos.



As Confusões da Eterna Emília

(Maria de Fátima)

 

O tempo passou para os moradores do Sítio. E agora adultos, novos tempos regem aquele local de tantas histórias e lembranças. Mas nada que impeça de novas histórias serem vividas e darem continuação a magia do lugar.



A Cuca Virou Blogueira

(Maria das Graças Rocha)

 

Quando o Saci ganha destaque, a Emília e a Cuca não gostam nada de perderem espaço como centro das atenções para ele. Então cada uma pensa, a seu modo, como reconquistar o espaço. Para não ficar atrás do primo, Cuca decide ser famosa na blogesfera, contando com a ajuda da Emília para conseguir seus intentos.

 

Claro que qualquer associação com a Cuca não vai ter um bom resultado e pode sobrar até mesmo para um simpático papagaio.



A Festa da Emília

(Maria das Graças Rocha)

 

Parece mesmo que o bichinho do estrelato está com tudo no Sítio. E Emília, que nunca admite ficar para trás, providencia uma mega festa para promovê-la ao sucesso, visto ser a Marquesa de Rabicó. 

 

E, assim, todos os personagens do folclore brasileiro foram convocados para aquela celebração. Que pode ter dado origem a uma data muito especial de nosso calendário cultural. Porque nada que acontece no sítio deixa de ser grandioso, não é mesmo?



O Retorno de Narizinho

(José Neto)

Algumas decisões são inevitáveis, tanto as que nos fazem partir, quanto aquelas que nos fazem voltar. E a volta de Narizinho traz, além de uma nova criança ao Sítio, o sabor de rever um lugar amado e aprender a aceitar o resultado de antigas escolhas. Vem descobrir quem é essa criança e os motivos que levaram Narizinho a tomar as decisões que mudaram a sua vida e a de todo o Sítio.

 

Além de descobrir tudo sobre essa volta, você ainda pode se divertir pintando a sempre querida boneca Emília.



Capturando um Saci

(Gusttavo Majory)

A visita de um afilhado de Dona Benta movimenta o Sítio. O menino vindo do Amazonas logo se adapta às crianças do Sítio e o que antes era curiosidade, ganha ares de amizade verdadeira e que será recheada de lembranças e aventuras dessa visita. Tio Barnabé é convidado a contar as histórias de outros tempos e logo a conversa gira em torno das histórias de quando Barnabé ainda era menino e vivia suas próprias diversões por aquelas matas.

 

Vem ouvir essa história e, assim como as crianças do Sítio, descobrir que a contação de histórias é outra maneira de viver grandes e deliciosas emoções sem precisar sair do lugar. E, claro, caso ainda não saiba, descobrir como se captura um Saci.



Remodelando ao Contrário

(Claudio D'Amorim)

 

Uma ameaça ambiental recai sobre o Sítio e todos são convocados à uma reunião para discutir a situação. Claro que os tempos são outros, mas as coisas no Pica-Pau Amarelo sempre aconteceram de uma jeito próprio e cheio de magia.




Espero que tenha gostado de saber um pouco de cada história. A experiência de cada conto é diferente para cada pessoa e, posso garantir, que lendo com ou para crianças é ainda mais divertida. Como são contos, as histórias prendem a atenção e dão o toque de magia correto para ser uma excelente diversão para pais e filhos.


A edição tem uma proposta divertida e interativa, com um convite de interação além da leitura dos contos. Contém uma breve biografia do autor Monteiro Lobato e, claro, um incentivo à pesquisa de mais informações e detalhes. Com folhas decoradas e outras para escrita e anotações, a edição fica ainda mais divertida.




Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Deu a Louca no Sítio

Antologia

Organizador: Gusttavo Majory

Ano: 2020

Páginas: 90

Editora: Meus Ritmos Editora

Sinopse:

O Sítio do Picapau Amarelo, vivia em plena paz desde a última aventura de Emília e companhia e, acredite ou não, isso já fazia tempo, haviam até esquecido daquela sensação.

Até que certo dia, tudo virou de pernas pro ar e fez com que Dona Benta, tia Nastácia e tio Barnabé, voltassem a se preocupar com os perigos que as crianças insistiam em correr.

Pedrinho, o aventureiro; Narizinho, a menina do nariz arrebitado; Emília, a boneca de pano mais tagarela do mundo, e os outros personagens do clássico de Monteiro Lobato te convidam a acompanhá-los em histórias inéditas e conhecer novos personagens.


Sobre o Livro:


Deu a louca no Sítio é uma obra literária que reúne nove contos de autores nacionais que tiveram, de alguma forma, suas vidas influenciadas por Monteiro Lobato.

Em 2019, após a entrada em domínio público de todo universo lobatiano, a Meus Ritmos Editora e Produções Artísticas, em parceria com o autor Gusttavo Majory, viu a oportunidade de apresentar os personagens que encantou diversas gerações de uma forma contemporânea para os pequenos leitores da atualidade.

Este livro é um trabalho totalmente ficcional e destina-se a homenagear o escritor brasileiro Monteiro Lobato. De igual modo, é válido mencionar que de forma alguma esse livro substitui as obras originais do autor e tampouco tem o objetivo de plagiar as mesmas.




Para comprar:

 Livro Físico


A Meus Ritmos é nova no mercado editorial, mas é séria e preocupada não em publicar best sellers, mas sim em lançar livros com qualidade, dando oportunidade para novos autores publicarem suas obras.



Conheça mais sobre a Meus Ritmos Editora
em seu site e redes sociais: