Follow Us @soratemplates

20/09/2019

Resenha :: A Filha do Sangue (Trilogia das Joias Negras #1)

setembro 20, 2019 0 Comentarios

Este é o primeiro livro da Trilogia das Joias Negras e eu fiquei completamente encantada com este mundo diferente, as joias, o poder adquirido conforme a cor das joias e tudo mais. Porém se trata de um livro bem complexo, mas pode ler sem medo, pois a autora fez um trabalho fantástico e, conforme vamos mergulhando neste novo mundo, vamos entendendo melhor do que se trata.


Vou tentar explicar do melhor jeito possível, pois, como eu já disse, a historia é complexa e difícil de tudo que já li. Tem muitos personagens, de personalidades interessantes e bem diferentes. Divididos em reinos e mundos paralelos, entre senhores supremos, príncipes senhores da guerra, rainhas e princesas, senhoras, serviçais e escravos. Então o melhor jeito de entender a historia é lendo o livro mesmo, mas vou tentar dar uma resumida.

... Como é que uma criança capaz de criar borboletas, de mover uma estrutura do tamanho do paço e de construir um escudo psíquico que mantinha afastado somente determinados seres poderia ser tão inábil em arte básica?

Há um mundo composto de três reinos e cada reino é dividido em territórios, que são regidos por suas respectivas Rainhas. Neste mundo, as mulheres são as governantes e os homens são seus guardiões, segundo no comando e coisa e tal. As joias são adquiridas por direito de progenitura (nascimento), e depois de certa idade e treinamento, fazem a oferenda às trevas, e assim adquirem a joia "principal". Quanto mais escura é a joia, mais poder ela tem, sendo a joia negra a mais poderosa. E é muito raro alguém receber esta joia negra.

Os personagens têm idades elevadas, mesmo tendo a aparência de jovens. Por isso, logo no início do livro, uma feiticeira tem a visão de que um dia a rainha virá, e que terá o poder de unir os territórios em guerra. Ela vai ser uma Rainha Negra, com mais poder do que alguém jamais viu. Ela será a rainha dos sonhos de quem, ao longo dos séculos esperou por uma rainha justa para governar.

Passados mais ou menos 700 anos, é que tem o surgimento desta rainha, uma menina que surge aos 7 anos pela primeira vez, e vamos acompanhando a sua evolução durante os anos. E quando ela completa 12 anos, Jeanelle, começa a mostrar que realmente é merecedora do destino que a aguarda.

... é bom sermos todos diferentes, senão o Inferno seria um lugar horrivelmente desinteressante.

O meu conselho para quem pretende ler o livro é: “mantenha a mente aberta durante a leitura”. As pessoas no livro são diferentes do mundo normal, todas possuem magia, uma pessoa com um poder maior pode entrar na mente de outra pessoa pela teia do pensamento (geralmente através do sexo), e quebra-la desestruturando-a ou levando-a a destruição. Não tem cenas de sexo, só insinuação de que algo aconteceu ou acontecerá. Porém, tem momentos "estranhos" (mas acho que quem já leu ou conhece Game Off Thrones, pode se chocar, mas nem tanto), pois, como eu disse, não mostra as vias de fato, mas sabemos o que está acontecendo, tipo : incesto, pedofilia, assassinatos de crianças e outras coisas mais.

Os nossos “mocinhos” têm grande paixão e admiração por Jeanelle, mas a respeitam muito acima de tudo. Eles têm fortes sentimentos por Jaenelle, porque é o poder das Trevas nela que está convocando os machos para proteger e servir sua Rainha com devoção. E isso explica bastante e nos faz entender a diferença entre eles amarem sua futura rainha e estarem apaixonados por uma criança.

Lucivar reteve a respiração e voltou-se para o circulo de Zuultah. Da última vez que as rainhas foram pouco cuidadosas em mantê-los separados, ele e Daemon tinham destruído uma corte durante uma briga que começara numa desavença sobre a qualidade do vinho que estava sendo servido...

E as atitudes da menina também explicam os vários momentos em que eles têm vontade de esgana-la, afinal ela pode ser a futura rainha deles, mas ainda é uma adolescente, cheia de vontades e rebeldia e curiosidade, mas também cheia de bondade e ternura. Jeanelle possui um poder extraordinário e, apesar da facilidade que tem com as artes de magia mais difíceis e elaboradas, ela  também tem muita dificuldade nas artes mais simples, e é aí que entra o Seatan, o Senhor Supremo do Inferno, orientador, protetor e um dos servos mais leais de Jeanelle. Seatan tem dois filhos bastardos: Lucivar, que infelizmente aparece pouco neste livro, e Deanon, o Sádico, que é escravo e terá que lutar contra os seus próprios demônios, para proteger sua futura rainha, e isso não será uma tarefa nada fácil.

O bem e o mal existem em todos os povos.  Atualmente, quem domina é o mal que existe entre nós.

Este é um livro onde as pessoas morrem e são mortas em mais de um sentido; as crianças são abusadas; os escravos são torturados, independente de status ou cor de suas joias; o sexo é usado tanto como luxúria, como para quebrar uma pessoa; e muita coisa fica obscura e sombria no decorrer do livro. Mas não deixe que nada disso seja um obstáculo para você ler este livro. É uma história simplesmente diferente e sensacional...   Um livro que nos transporta para fora de nossa realidade de conforto.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

A Filha do Sangue
Trilogia das Joias Negras #1
Ano: 2014
Páginas: 432
Editora: Saída de Emergência / Arqueiro
Sinopse:
“Tremendamente sensual, rico em detalhes, um mundo em que se subvertem todos os clichês do gênero fantástico. Simplesmente genial.” – Library Journal

O Reino Distorcido se prepara para o cumprimento de uma antiga profecia: a chegada de uma nova Rainha, a Feiticeira que tem mais poder que o próprio Senhor do Inferno. Mas ela ainda é jovem, e por isso pode ser influenciada e corrompida. Quem a controlar terá domínio sobre o mundo.
Três homens poderosos – inimigos viscerais – sabem disso. Saetan, Lucivar e Daemon logo percebem o poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. Assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, no qual as armas são o ódio e o amor. E cujo preço pode ser terrível e inimaginável.

18/09/2019

Resenha :: Outros Mistérios

setembro 18, 2019 0 Comentarios

Guardei essa resenha por ansiar o próximo livro, contudo o mês mais brasileiro do ano merecia esse presente. Espero que goste de saber o que Outros Mistérios reserva ao leitor. O segundo volume da trilogia, que você conferiu aqui a resenha da primeira história  Mistério em Sampa , começa com a apresentação do nosso autor parceiro do Clube, Romulo Felippe, e a promessa do autor que em breve teremos o livro que fecha a série e  fico no aguardo ansiosa por Mistério Final.


A maneira do autor de apresentar os personagens continua original e interessante. Porque ao invés de um "convite" a empatia, somos levados a acompanhar o personagem em seu cotidiano e construir uma "amizade" ao longo da trama.

Enquanto o primeiro livro nos leva a São Paulo, aqui estamos no Rio de Janeiro. E antes do 3° capítulo, já espere por surpresas que farão você repensar a história que, ao invés do clichê esperado, começa a se revelar tão surpreendente quanto o livro anterior.

Sinceramente o detetive da trama é o ponto alto da trilogia, porque não cai em momento nenhum nos clichês americanos ou no Sherlock Holmes, mas igual a este único usa da inteligência e intuição para criar um método próprio e nada ortodoxo de investigação, que eu realmente adorei.


Max ficou ali a pensar como entrar no caso, e a decisão foi clara como sempre, entrar na vida do cara, desde o começo.

Esse livro, como o anterior prometia, é ainda melhor. Afinal já conhecemos o investigador, sua mania de mudar de nome e o porquê de agir assim. Agora com a alcunha de Marcus, e seu jeito peculiar nos arranca boas risadas enquanto acompanhamos seu método de ação de que de tão simples é genial. Começar do começo, não do caso e sim da vida do envolvido no mistério.

Outro ponto alto é saber mais sobre o investigador, origem, família, vida pessoal e até mesmo o motivo que o faziam fugir das sombras e evitar ser rastreado pela constante vigilância das câmeras, que são quase onipresentes nos dias atuais.


Ele, às vezes tinha essa necessidade de ser sincero por alguns momentos, como a lembrar da própria existência, que cada vez mais, se confundia em sua cabeça.

Em minha opinião, nessa história, ainda mais que a anterior, os fatos que permeiam e norteiam a vida do autor em suas várias habilidades e facetas, enriqueceram de uma forma grandiosa a história, trazendo não apenas veracidade, mas também toques de cultura e pontos de referência que deixaram a história ainda mais emocionante e fascinante.

A vida não tem preço. o valor que as pessoas dão ao meu trabalho também não tem.

O desfecho mostra um personagem que não tem nenhuma vontade de ser famoso, e sim faz a busca pelo bem mais precioso de ajudar alguém ao encontrar a resposta. Repleto de passagens que memoram o valor da vida e de se viver, o final do livro é na exata medida para que o leitor aguarde ansioso para o desfecho da trilogia e, sem dúvida, o encontro de nosso investigador com seu passado.


A edição, o texto e a diagramação estão impecáveis; fonte e espaçamento promovem conforto, proporcionam uma leitura fluida e prazerosa, apesar das páginas brancas, que por fim nada interferem no prazer de ler o texto. 


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Outros Mistérios
Trilogia Mistérios #2
Ano: 2018
Páginas: 278
Editora: Editora GSA
Sinopse:
Empresário de metalurgia e sua amante são sequestrados e levados para um cativeiro distante. No decorrer da investigação acontece um trágico acidente. Os mistérios multiplicam-se e chega o momento do ativo investigador particular Marcus sair á caça da verdade.

16/09/2019

Resenha :: Sobres Deuses e Seres Rastejantes — A Balada de Gundrum

setembro 16, 2019 0 Comentarios
Às vezes, só o mal pode se opor a um mal ainda maior...

Olá, faroleiros! A resenha de hoje é de um livro de fantasia distópica muito interessante. Quem me conhece aqui sabe que esse é o meu segundo gênero preferido, depois do romance.


Em um mundo deixado à própria sorte, seres das mais variadas espécies vivem em suas vilas, com costumes e tradições próprias. Minotauros, homens-insetos, nekwanes, gigantes, elfos, orcs, leonídeos, e até humanos, entre outros tantos ocupam a vasta extensão de Aldaman. Todos foram abandonados pelos deuses, que após ver tanta ganância, luxúria e egoísmo dos povos resolveram larga-los à própria mercê.

Pelo menos era isso que acreditavam até fatos estranhos começarem a acontecer. Em uma vila de minotauros, o bruxo Gundrum, um ser diferente, sem pelos, de cor alaranjada e sem chifres, descobre que após a volta de um soldado da vigília, seu povo fora infestado por vermes e seus corpos possuídos. Sem entender o que de fato acontecia, ele juntamente com Morween, uma meio-orc e meio elfo, e Makk, seu javali de estimação, partem em busca de explicações.

Poderia ser uma ideia ruim, mas naquele momento não tínhamos nenhuma outra. Além disso, eu e Morween estávamos unidos pelo terror de que se abatera sobre o único lar que conhecíamos, mesmo que não fosse o melhor lugar do mundo.


Nessa peregrinação sinistra temos a oportunidade de conhecer a geografia de Aldaman, as vilas que também foram afetados pelos estranhos seres e compreender o que de fato assolou aquele mundo. Nosso protagonista tem a ajuda de outros seres que também partilham da mesma busca, a fim de destruir as forças que desejam dominar os povos.

Pensem pelo lado bom, pessoal. Se vencermos, haverá histórias em nossa homenagem. Se perdermos, também, mas elas serão bem mais tristes.

Nessa jornada eles se juntam a Tuhin, um idaji (um amaldiçoado que se transforma em hiena), Katta, a gigante, Hoak, o homem-inseto, Tombrood, a gosma amórfica, e Okimo, o gorila xamã. E esse grupo inesperado é a melhor chance do seu mundo. Bem, nem sempre as respostas são exatamente as que procuram e nem toda jornada é eficiente. Uma coisa é certa em toda essa teia de dúvidas e incertezas: o mal pode ser maior do que eles acreditam e ele pode habitar lugares inusitados. Nem todos são totalmente bons e alguns carregam desejos profundos que sequer imaginam. Gundrum será colocado à prova e tentado por demônios. No final, quando você só tem uma escolha e ela parece certa, o mal que pode proporcionar se torna um mero detalhe.

Os deuses que existiam seguiam regras, eram previsíveis. Vocês podiam operar nas entrelinhas dos contratos, mas e agora? O ser que rasteja e seus irmãos não hesitarão em eliminar vocês para evitar concorrência. Eles não compreendem qualquer conceito de moralidade, são só animais famintos, animais muito inteligentes e famintos.

Já deixo bem claro que não há romances aqui. Isso se trata de fantasia pura! A leitura dessa obra foi uma viagem em um mundo inusitado e cheio de personagens peculiares. A trama é muito bem elaborada e nós nos envolvemos nas descobertas do nosso protagonista. Confesso que no início da jornada, a gente fica um pouco confuso com tantos nomes estranhos de personagens e lugares, mas quando nos conectamos aos acontecimentos, e os mistérios começam a ser revelados; como quem é de fato o mal que quer dominar os povos, esse incômodo inicial dá lugar a uma curiosidade e empatia pela história e a solução do problema.


A única coisa que realmente me surpreendeu, sem dar spoiler é o destino de determinados personagens. No meu ponto de vista, Piaza Merighi sacrifica um de seus personagens mais cativantes na reta final. Isso me desapontou e deixou dúvidas no ar do porquê ele o fez.

No demais, podemos contar com uma ótima fantasia, um mundo distópico incrível e personagens fortes e bem estruturados. Super recomendo a leitura para quem curte o gênero e adora mergulhar em jornadas misteriosas!


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Sobres Deuses e Seres Rastejantes — A Balada de Gundrum
Piaza Merighi
Ano: 2019
Páginas: 288
Sinopse:
Aldaman é um continente que foi abandonado pelos deuses, uma terra selvagem deixada à própria sorte, onde humanos e raças bestiais convivem em desequilíbrio. Gundrum, um de seus habitantes, é um minotauro franzino e deformado que ocupa o posto de bruxo de sua aldeia, lidando com rituais e feitiços para proteger seu povo, mas sendo desprezado pela natureza maligna das forças que ele manipula. Quando um arauto de aberrações além da compreensão decide iniciar uma cruzada fanática por todo o continente, afetando a sua aldeia, Gundrum deve se unir a improváveis aliados e colocar seu conhecimento e sua força à prova para descobrir o que está por trás dos sinistros cultos propagados pelo estranho clérigo.


 _____Sobre o Autor_____

Piaza Merighi


Advogado, morador de Porciúncula, no interior do RJ (pode não parecer, mas apesar do nome é uma cidade real), nerd assumido, leitor inveterado e agora escritor. (Fonte)


*Exemplar cedido pelo autor

14/09/2019

Resenha :: Destinos Quebrados

setembro 14, 2019 0 Comentarios

Vamos falar de um livro que nos leva de volta ao início da série e nos deixa com o coração repleto dos mais belos sentimentos, que nos mostram mais uma vez o porquê do amor pela escrita da Sofia Silva, e de onde vem o orgulho de #souquebrada.

Começo alertando que para ler esse livro não é preciso ter lido o primeiro da série, mas é fundamental ter lido o livro anterior, porque as histórias se entrelaçam em determinado momento e seguem juntas. Fazendo muito mais sentido a quem conhece o livro anterior e evitando spoilers do que houve e, de certo modo, tendo te preparando para o que virá.


Essa história começa nos contando sobre a ida de Rafaela, como jovem prodígio, a Portugal para estudos e que, desde o início, as coisas não sairiam exatamente como planejado. Assim vamos conhecendo e entendendo todo o idealismo, garra e coragem que fizeram a clínica que conhecemos no primeiro livro Sorrisos Quebrados (clique aqui para ler a resenha) existir e receber pessoas como a nossa Paola; mostra também o caminho que não foi fácil. O mistério do porquê do fim do relacionamento dela com Leonardo, um final de relacionamento amargo, sofrido, Rafaela e Leonardo seguiram as suas vidas. Ela no Brasil e ele em Portugal.

O amor é um sentimento único. Amamos ou não, e isso é o importante. Tudo que eu quero é ser feliz, mais nada.

Em meio a essa parte da história, Sofia Silva habilmente prepara nossos corações para o que já de antemão sabemos que virá. Mas o que é brilhante nessa parte é que ela mostra várias facetas sobre um relacionamento que começa. Como o preconceito para com o estrangeiro, as dificuldades em absorver uma nova cultura e a solidão que acompanha quem deixa tudo para trás em busca de um sonho, um lugar ao sol ou simplesmente de se encontrar.


Como sabemos em Corações Quebrados (clique para ler a resenha), a vida mais uma vez acrescenta dor ao coração de Rafaela, onde ocorre um acidente,  tendo como vítimas a família de sua irmã, trazendo para a clínica a jovem Emília, sem conseguir lidar com o que houve e sem grandes avanços em seu tratamento. Forçando a Rafaela a abrir mão de sua cautela quanto ao passado e buscar um reencontro que ela sempre soube que seria doloroso, caso viesse a acontecer.

Dentro dessa narrativa, a história mostra outra faceta do amor, o que somos capazes de fazer por quem amamos, para ajudar ao nosso próprio sangue mesmo sabendo que isso terá grandes consequências. Mas que nunca, mesmo nos pensamentos mais pessimistas, poderia ter imaginado as reais consequências que teria sobre sua vida presente e futura. Afinal ela, assim como Leonardo, acompanhava a carreira um do outro, sem conseguir seguir com a vida por carregarem um peso do passado, um assunto mal resolvido que faz com que o presente exista, mas um novo futuro não.

Essa Flor perdeu todas as pétalas. Hoje sou espinhos afiados e não sei se algum dia poderei ser algo diferente.


Resiliência. Que no dicionário significa, “a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas — choque, estresse, algum tipo de evento traumático, etc. — sem entrar em surto psicológico, emocional ou físico, por encontrar soluções estratégicas para enfrentar e superar as adversidades”; e que nesse livro poderia ser definido como Rafaela.

Não existe uma maneira doce de dizer o quanto Rafaela se dobra para não quebrar, o quanto ela busca dentro de si o motivo para continuar seu sonho, e como ela se torna uma sombra do que foi e que passa a viver através da clínica, que resume em si seu propósito de existir. Que de tanto não viver, não consegue permitir que vejam sua dor e a ajudem a colocar os pedaços de volta em seu lugar e fazer com seu sorriso chegue aos olhos.

— (...) Há um tempo você disse que todos temos o direito de quebrar, mas se esqueceu de dizer que poucos nos ajudam a unir os cacos que ficam soltos dentro de nós.

Mas antes que você me pergunte porque amei tanto essa história, deixo aqui a maior lição que tiro de cada livro da Sofia, ESPERANÇA. Enquanto existir vida, existe a chance de que ela possa ser vivida de uma forma plena mesmo com suas dores. Que à medida que deixamos no passado o pior do que vivemos e trazemos para nosso presente apenas o aprendizado; o amor e o perdão serão a liga que unirá os pedaços em que nosso coração foi partido. Que nos perdoar é tão importante quando liberar o perdão e que o amor, mesmo que perdido, pode ser reencontrado, não no passado, mas em um novo presente que vai construir o futuro em que será vivido.


É de uma forma brilhante e verdadeira que a Sofia Silva entrelaça as histórias de seus personagens anteriores e futuros numa trama que emociona e fascina desde as primeiras páginas. Que mostra de forma brilhante e bem construída uma história de amor, que começa e termina e que luta para recomeçar e permanecer. Que mostra que o amadurecimento, tanto físico quanto emocional, pode ser necessário para superar a cegueira dos nossos conceitos pré-concebidos e o orgulho que nos impede de ver a verdade a frente dos nossos olhos.

Não falamos uns com os outros porque, às vezes, é no silêncio mais comum que vivemos os momentos mais extraordinários.

Por fim, eu quero deixar registrado que Sofia conseguiu escrever lendo a alma de seu personagem, colocando nas páginas algo que só quem viveu sabe a dor que é passar por aquilo. E mais uma vez, me senti representada, entendida, acarinhada. Obrigada, Sofia, por mais uma bela história sobre ser humana e sobre como encontrar o próprio caminho para ser feliz, apesar de tudo.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Destinos Quebrados
Há amores que nunca terminam
Série Quebrados #3
Ano: 2019
Páginas: 248
Editora: Valentina
Sinopse:
Há um tempo você disse que todos temos o direito de quebrar, mas se esqueceu de dizer que poucos nos ajudam a colar os cacos que ficam soltos dentro de nós.
Após um final de relacionamento amargo, sofrido, Rafaela e Leonardo seguiram as suas vidas. Ela no Brasil e ele em Portugal.
Embora renomados profissionais, ambos continuam presos a um passado que os atormenta. A questões que ficaram sem resposta.
Dez anos depois, são forçados a um reencontro doloroso sem imaginarem que esse momento trará consigo segredos que ficaram enterrados. E, talvez, alguns devessem permanecer por lá.
DESTINOS QUEBRADOS é um romance dramático sobre a construção e destruição do amor pelo orgulho e pelo preconceito. Sobre a nossa capacidade de resiliência e perdão.


Para a Editora Valentina, leitura é, acima de tudo, entretenimento.
Olho vivo e faro fino.
Esse é, na verdade, o lema de todo grande editor. E a pinscher dessa editora encarna esse lema como ninguém.


 _____Sobre a Autora_____

Sofia Silva


Sofia Silva nasceu em Vila Nova de Gaia, Portugal. É licenciada em Ensino Básico (1º Ciclo) pela Universidade de Aveiro.
Amante da literatura, em especial da poesia e, nela, de Pablo Neruda. Sempre gostou dos sentimentos contidos nas palavras e do poder que exercem sobre os leitores. Ávida devoradora de romances, com predileção pelos dramáticos de final feliz, desde jovem participa ativamente do meio literário.
Em dezembro de 2014, iniciou-se na ficção através da plataforma online Wattpad com a Série Quebrados, cujo foco são histórias sobre violência doméstica, deficiência física e abuso sexual.
Com mais de 1 milhão de leituras e o apoio fervoroso das leitoras brasileiras, publicou, dois anos depois, o seu primeiro livro na Amazon, Sorrisos Quebrados, atingindo o top 10 de vendas em ebook no Brasil.
Para o futuro, deseja continuar a dar voz aos problemas da sociedade através de personagens que ultrapassam inúmeros obstáculos e merecem ser felizes.