Follow Us @soratemplates

07/07/2020

Resenha :: Procura-se

julho 07, 2020 0 Comentarios
*recebido em parceria com o Grupo Editorial Coerência

Olá, faroleiros! Venho escrever para vocês sobre mais um livro, na realidade são dois em um, recebido da nossa parceria com a editora Coerência, as histórias de Procura-se, da autora Giovanna Vaccaro.

Confesso que estou bastante feliz com as leituras que tenho feito desta parceria e que os livros recebidos são lindos. Estou apaixonada pelas duas capas deste livro, sem falar dos detalhes nas páginas. Está uma impressão primorosa. Particularmente, toda vez que eu pego um livro para ler que tenha todos estes detalhes na impressão, sinto a leitura ser bem mais prazerosa.


Este livro foi uma total surpresa para mim, além de não conhecer a autora e nunca ter lido nada dela, também não conhecia sobre a história, comecei a lê-lo sem ter lido sequer a sinopse e fui pega de surpresa logo no início ao saber que a personagem principal sofre de uma doença no coração. Fiquei receosa com o final, pois já estava conectada com a narrativa e curiosa com o enredo da história, além de estar curtindo a personagem, fui fisgada logo nas primeiras páginas, me perguntei então se a autora iria fazer alguma merda que acabaria com a história para mim e fui logo atrás de uma importante informação, “tem final feliz??” Sim!!!!!! A história tem um final maravilhoso e por isso li o livro com muita satisfação, mesmo que tenha chorado para caramba.


O primeiro livro, que é o Procura-se Um Coração, narra a história de Ariane Sparks, uma jovem de dezessete anos que sofre de coronariana em estado grave. Ela não sonha com o seu futuro, devido a sua doença vive um dia de cada vez, desejando poder fazer qualquer coisa que lhe desse mais liberdade e menos preocupação para seu pai e seus familiares. Ela tem um irmão mais velho que já é casado e uma irmã caçula. Fora a sua família, somente sua melhor amiga, Callie, e a diretora da escola, sabem sobre sua doença. Apesar de andar sempre com seu remédio para o caso de ter alguma crise, busca constantemente não ficar pensando nela.

– Se eu tiver medo, Miles, eu não vou conseguir me levantar todos os dias. (...) – Eu preciso esquecer que tenho todos esses problemas para conseguir viver minha vida como uma garota normal.

A vida de Ari sofre uma grande mudança quando Miles Bennet retorna para o colégio, após sete anos morando em outro lugar, e os dois são escalados pela professora de história para fazerem um trabalho juntos. Ela não procurava um relacionamento, mas não podia ignorar os diferentes batimentos de seu coração toda vez que ele estava perto. E ela também não conseguia acreditar que aquele rapaz, que voltou tão diferente, tão bonito e agora popular, quisesse justamente ficar com ela, ser seu amigo. Mas as coisas se complicariam ainda mais e ela não conseguia acreditar que o destino poderia ser tão cruel.


– Hayley – chamei – você já me deu muito mais do que um simples coração. Você me deu amor. É minha família e eu te amo por isso.
Ela sorriu, ainda parecendo desolada.
– Ainda não é o bastante, Ariane, Eu vou arrumar uma solução, prometo.
Eu acreditei em Hayley. Ela fazia com que eu me sentisse calma e capaz. Capaz de enfrentar esses problemas. Ou você intimida o mundo ou o mundo intimida você. Eu precisava intimidá-lo.


Em Procura-se Um Amor, o segundo livro desta duologia, temos esta mesma história pela visão do Miles, ela é bem mais resumida, pois o intuito é narrar justamente os sentimentos dele, seus momentos, e narrar em detalhes o que aconteceu com ele que não é narrado no primeiro livro. Eu gostei bastante, mesmo com as repetições de cenas, pois nela o foco agora era ele. O livro é mais curto, então você lê super rápido e não se cansa, ficou um complemento bacana.


Não vou entrar em muitos detalhes, pois o bom ao ler este livro é que você se conecte com a história e com seus personagens. Aliás, toda vez que eu me estressava com alguma atitude da Ari, eu falava comigo mesma “ela é uma adolescente, sujeita a comportamentos estúpidos”... kkkkk... Apesar disto, eu gostei muito dela, criei uma empatia muito grande com seus sentimentos, repito ao dizer que chorei bastante. O Miles é um personagem especial, eu amei demais este garoto e o livro no seu ponto de vista só me fez gostar mais ainda dele. A Becky e a Callie são aquelas personagens secundárias que a gente ama e fazem toda diferença na história.


Tive vontade de matar a autora no final, quase enfartei com a surpresa que ela faz e fiquei encantada com o desenrolar científico (praticamente um milagre) que ela deu para os personagens. Foi um final fantástico. A Giovanna conseguiu se redimir após me fazer passar tantos sustos. Fiquei bastante surpresa ao ler na biografia da autora que ela escreveu esta história quando tinha 13 anos. Porém, como ela mesmo destaca, esta é uma versão melhorada e bastante modificada da primeira publicação. Um romance adolescente de ficção maravilhoso e dou nota 5/5.

Amei a impressão das duas histórias em um único livro, pois o segundo é realmente um complemento legal ao primeiro e assim o custo, tanto da editora, como o nosso, para ter os livros é bem menor.

Por fim, quero dizer que a autora nos dá um presente logo no início do livro que é a playlist dele que ela montou no Spotify. Quem gosta de ouvir música enquanto lê pode se divertir em dobro.

Boa leitura,

Carolina Finco


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Procura-se
Um Coração / Um Amor
Ano: 2017
Páginas: 444
Editora: Coerência
Sinopse:
PROCURA-SE UM CORAÇÃO
O tempo que Ariane tem de vida é bem menor do que se imagina. Desde os seis anos, sofre com a doença arterial coronariana, uma deficiência cardíaca genética; rara em pessoas jovens, mas fatal. Mantendo-se com a ajuda de remédios, ela conta com o apoio de seu pai e sua irmã, juntamente com sua melhor amiga.
Para agravar a situação, após uma crise de insuficiência cardíaca, ela recebe a notícia de que deverá passar, o mais urgente possível, por um transplante de coração, caso contrário, seus dias estarão por um fio.
Porém, ela tem uma nova razão para pulsar: Miles. Ariane se envolve em uma paixão “quase” perfeita — diante do difícil drama que enfrenta!
Juntos, eles tentarão encontrar uma saída e farão de tudo para congelar o tempo e eternizar cada segundo que lhe resta, como um fio de esperança que surge em seu futuro tão incerto.

PROCURA-SE UM AMOR:
Miles tem sua vida estabilizada em Indiana — considerando todos os fatos que o fizeram se mudar para essa cidade —, porém ele se vê preso à novos começos quando é obrigado a voltar para sua cidade natal: Nova York.
Contrariando todas as expectativas, Miles reencontra Ariane, por quem tinha uma queda desde criança. Ao saber que ela tem seus dias contados, ele decide arriscar tudo o que tem para ajudá-la. Ou pelo menos tentar.


Para comprar:

 Livro Físico
 E-book


Dinâmica, inovadora, eclética e arrojada, a Editora Coerência já chega ao mercado revelando seu diferencial: a divulgação dos autores nacionais, que têm tanta dificuldade em se fazerem notar.
Criada não apenas para viabilizar a publicação de autores (ainda) não renomados, a Coerência conta com toda uma equipe de revisores, diagramadores, ilustradores, capistas e assessores, que preparam a obra para que esta chegue com qualidade à casa de milhares de leitores em todo o Brasil.
Foi pensando em fazer com que sonhos tivessem vida que a editora-chefe, Lilian Vaccaro, formulou a Coerência, para que se tornasse não mais do mesmo, e sim um lugar onde o autor pode, acima de tudo, se realizar e ganhar experiência no mercado editorial.


Conheça mais sobre o Grupo Editorial Coerência
em seu site e redes sociais:
Site │ Instagram │ Facebook │ Twitter

04/07/2020

Resenha :: Simplesmente Irresistível

julho 04, 2020 0 Comentarios

Este livro foi muito bom e me surpreendeu um bocado. Logo de início conhecemos Georgeanne, que aos nove anos descobriu que jamais seria brilhante, pois a dislexia a fazia muito diferente das outras crianças. E então a sua avó a criou para ser uma pessoa adorável, mas que sempre dependeria de alguém, de preferência de um marido. Foi matriculada em cursos de balé, etiqueta, culinária decoração, etc... Tudo para suprir e esconder suas dificuldades que eram o seu maior segredo.

E Georgeanne acreditava que casar-se com um homem que pudesse sustenta-la seria a sua única saída. Mas daí a se casar com o atual noivo que tem idade para ser o seu avô, não está dando certo, essa não podia ser a sua única saída, ela entra em pânico e foge do próprio casamento, deixando o noivo no altar.


Em sua fuga ela se depara com John Kowalsky, um astro do hóquei que acaba aceitando lhe dar carona, mas quando em seu desabafo Georgeanne acaba falando que está fugindo de seu casamento, e que John percebe que está ajudando na fuga da noiva de seu chefe e dono do time em que trabalha, ele tenta se livrar dela. Mas como resistir a ajudar essa linda dama sedutora em perigo? Então, a contragosto, acaba a ajudando com a carona e um lugar para ficar, desde que o seu chefe não descubra e sua carreira vá pelo brejo.

Georgeanne sempre usou a sedução para conseguir o que quer, mas com John não está sendo fácil, ele é grosso, estúpido e vive bebendo. Mas ele não é de ferro e eles acabam tendo uma noite de sexo selvagem, e na manhã seguinte volta a ser o imbecil de sempre e parte o coração da garota, deixando-a sozinha na calçada do aeroporto com uma passagem para o Texas.

Ele sorriu e antes que Georgeanne gritasse, moveu-se como o atleta que era e bloqueou-a com o corpo, derrubando-a no chão. Ela deixou a areia cair, piscou e olhou para aquele rosto a apenas alguns centímetros do seu.
— Qual o problema com você? — perguntou John, demonstrando mais espanto do que raiva. Uma mecha escura de cabelo caiu sobre sua testa, tocando a cicatriz da sobrancelha.

Sete anos depois Georgeanne está totalmente modificada, sofreu muito, mas deu a volta por cima. Como sempre foi uma esplêndida cozinheira, acaba se empregando e virando sócia de um Buffet organizando festas, e ganhou a sua tão sonhada independência. John também mudou muito, ficou mais maduro, com uma carreira brilhante e parou de beber e tem pensado muito em ter filhos. E em uma obra do destino, John reencontra Georgeanne e ele descobre que eles têm uma coisa em comum, uma filha.

Ele tentou parecer chocado.
— Você não acredita no coelhinho da páscoa?
— Não.
— Por que não?
Lexie olhou como se ele fosse um idiota.
— Porque os coelhos possuem patas pequenas e não conseguem pintar ovos.
— Ah, é verdade...
Novamente, ficou impressionado com a lógica dos seis anos dela.
— Então, aposto que você é muito velha para acreditar em Papai Noel?
Ela engasgou, escandalizada.
— Mas Papai Noel é de verdade, ora!

Lexie (que é uma fofa completamente apaixonante) é uma tagarela de seis anos que foi escondida pela mãe por todos esses anos. E ele quer a todo custo recuperar este tempo perdido. Então começa um relacionamento conturbado, cheio de desentendimentos, eles não se suportam, mas terão que aprender a conviver juntos pelo bem de Lexie.

Georgeanne ajeitou vários cachos do cabelo de Lexie atrás dos ombros dela. Queria pegar a filha e abraçar bem apertado.
— Se me der um pouquinho de dengo, deixo-a em paz. — disse.
Lexie virou-se automaticamente, ergueu o rosto e enrugou os lábios vermelho escuro.
Georgeanne beijou-a e segurou o queixo dela na palma de sua mão.
— Andou usando o meu batom de novo?
— Não, mamãe esse é o meu.

O livro é clichê e bem previsível, mas isso não tira o charme e o encanto da história. Este livro é exatamente do jeito que gosto, um romance com um toque de humor, que não te deixa desgrudar até a última página, e com um final simplesmente irresistível. E realmente não resisti e devorei o livro em menos de 24hrs (o que, quem me conhece sabe, é muuuito raro).


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Simplesmente Irresistível
Ano: 2013
Páginas: 392
Sinopse:
Cheia de romantismo, humor e picardia, esta história da inigualável Rachel Gibson começa com o casamento, no Texas, da recém-formada Georgeanne com o milionário Virgil, um homem três vezes mais velho que ela. Os únicos talentos de Georgeanne são cozinhar e falar muito, mas o que Virgil realmente aprecia nela é o corpo curvilíneo e perfeito.
Percebendo que não é capaz de desposar um homem com idade para ser seu avô, Georgeanne larga o noivo no altar e foge com o astro do hóquei John Kowalsky, que joga no time do qual Virgil é proprietário. John não faz ideia da encrenca em que se meteu, e só percebe que está ajudando a noiva do seu chefe quando já é tarde demais. Uma longa noite se estende diante deles, e nenhum dos dois resiste à tentação de passá-la juntos. Mas, no dia seguinte, John dispensa Georgeanne para não comprometer sua carreira, deixando-a com o coração partido e sem rumo.
Sete anos depois, os dois se encontram novamente. Georgeanne é sócia numa empresa de catering em seattle e ele deixou os dias de rebeldia para trás. Outra surpresa aguarda John: ele descobre que aquela noite de amor produziu uma filha adorável e incorrigível, de cuja vida ele quer fazer parte. A paixão por Georgeanne renasce; mas será que ele vai se arriscar, novamente, a incorrer na cólera do seu patrão? Ela, vai aceitá-lo, depois de ter levado um fora dele?
Diversão garantida também é o romance de Mae e Hugh, amigos dos protagonistas, nesta trama hilária, cheia de personagens impagáveis, de uma das autoras mais lidas e apreciadas da atualidade.

01/07/2020

Resenha :: Ó, o Globo!

julho 01, 2020 0 Comentarios

Com uma narrativa ora intimista e ora em terceira pessoa, a autora conta a história de um símbolo Carioca. Como capixaba, a analogia que posso fazer é com a fábrica de chocolates Garoto, localizada no coração da cidade de Vila Velha.

Confesso que eu fiquei ainda mais curiosa sobre ambos, biscoito e livro, em minha ida a Bienal no RJ em 2019, porém só esse ano consegui finalmente saciar minha curiosidade. Degustei o biscoito enquanto lia o livro e, posso adiantar, recomendo ambos. Agora vamos ao livro.


Recomendo a todo não carioca ler esse livro, quase como um bom manual para entender um pouco de que é feito o carioca da gema, e para o   carioca que vá ler um jeito de se entender nessa trindade que parece fazer parte do DNA de todos eles: sol, mar, mate de barril e biscoito.

As conversas, as risadas e as lembranças que surgem entre todos são uma evidência de que a mesma medida que o biscoito leva de polvilho em sua receita leva também de paz, amor e união.

A autora começou a história como toda boa história deve começar: pelo início, de forma sucinta e explicativa, com o surgimento da cidade do Rio de Janeiro e os eventos que propiciaram o aparecimento do homem que deu origem a empresa de biscoitos Globo.

Uma das características que admiro em biografias é sempre fazer o trajeto oposto. Do sucesso ao início da ideia. E conhecer assim o caminho que trouxe ao ponto presente e desmitificar a ilusória sensação que o sucesso veio fácil.

Algo que achei marcante, durante toda a história, são os laços de amizade que duram, perduram anos e décadas. Como a empresa de embalagens que é a mesma desde sempre, funcionário que começou e se aposentou na empresa. Para mim esse é um dos segredos desse biscoito. Mas a exceção à regra foram os primeiros casamentos que não resistiram à dura jornada de trabalho, aliviadas “pela esticada” para encerrar a jornada com um copo de cerveja.


Administrar, para eles, além de gerir pessoas e desenrolar toda a burocracia da empresa, incluía também conhecer e executar todas as etapas da produção e da comercialização.

Conforme a leitura prossegue, fica claro que a  história da empresa está intimamente ligada a da cidade do Rio e isso adiciona, além da tradição, pertencimento. Adicionando a isso o fato de que nenhum dos donos se manteve ao escritório. O conhecimento de cada etapa é algo que ainda nos dias de hoje acontece.

A receita preza pela simplicidade e o segredo é o ingrediente humano. Porque ao ler a explicação fica clara a diferença entre o biscoito globo e qualquer outro de polvilho de outra marca. Não tem concorrência, porque, após provar e comprar ambos, a diferença é absurdamente grande. O Globo é de longe mais saboroso.

O Biscoito globo tem sua própria vitrine circulando pela areia, no ombro de cada um dos 350 a 5000 ambulantes que carregam sacos transparentes de 70x90 cm exibindo sua marca bem na altura dos olhos de qualquer banhista. E, como se isso não bastasse, sua vitrine é ainda sonora "Ó, o Globo!", " Salgado e doce, olha aí!

O cuidado com que os vendedores ambulantes e autônomos são tratados é de uma delicadeza e humanidade louvável na edição. Fiquei impressionada e comovida de como, apesar de muitos, não são invisíveis aos donos e nem a autora.

Depoimentos de clientes selam de vez a união das histórias entre produto e consumidor. Afinal ninguém come biscoito, come Globo, seja salgado ou doce. É muito divertido ler os relatos de quem come os biscoitos. E assim, como deve ser, os personagens dessa história da vida real ganharam cada um o seu “desfecho”, sanando a curiosidade do leitor.


O trabalho gráfico da Editora Valentina para esse livro foi maravilhoso, a capa do livro é linda e o detalhe do recorte dá um charme ainda mais especial. Além disso, juntando as 2 orelhas, forma a embalagem do biscoito. A diagramação do livro está muito organizada e a revisão impecável. Com imagens e fotos que valorizam ainda mais o conteúdo. 

Se não bastasse tudo isso, o livro foi finalista do Prêmio Jabuti de Literatura na categoria Capa. Que quando lançado saiu com duas opções de capa disponível (doce e salgado em tiragem idêntica a de fabricação do biscoito 30% doce e 70% salgado). Esse ousado projeto foi pensado pelo designer Elmo Rosa.


Nota ::  4,5


Informações Técnicas do livro

Ó, o Globo!
A História de um Biscoito
Ano: 2017
Páginas: 192
Editora: Valentina
Sinopse:
Sou um ícone da carioquice, um amigo de infância, dizem até que já sou membro da família. Memória gustativa de 99,9% dos que no Rio de Janeiro vivem, viveram ou viverão. Sou repleto de curiosidades. Estreei por aqui no Aterro do Flamengo, fiz fama em Botafogo. Sou sessentão, mas nem pareço. Sou redondo e farelento, com muito orgulho. Sempre fresquinho, só ando de verde ou vermelho. Tem quem goste de mim bem bronzeado. A maioria me prefere salgado. O mate é meu melhor amigo, somos quase inseparáveis. Adoro praia, estou sempre no Maracanã, não importa qual time esteja em campo. É verdade o que dizem por aí, não circulo por rua pouco movimentada. Embora meus pais tenham raízes espanholas e portuguesas, sem mandioca eu nada seria. Detesto publicidade, “Pra quê?”, pergunto, “Se já sou tão querido!” Metido a iguaria, frequento festas descoladas, mas não perco as infantis, não mesmo. Tenho um parente que vive tentando me imitar, nem ligo. Sou saudável e nutritivo, pode me traçar sem culpa. Uns gostam, outros me adoram. Há até os que me idolatram, é sério (afinal, sou global). Bem, há um ianque que me detesta, lá em Nova York, tá out ele. Minha receita de sucesso? Sou feito com muito amor e carinho.


Para comprar:

 Livro Físico

 E-book


Para a Editora Valentina, leitura é, acima de tudo, entretenimento.
Olho vivo e faro fino.
Esse é, na verdade, o lema de todo grande editor. E a pinscher dessa editora encarna esse lema como ninguém.


Conheça mais sobre a Editora Valentina
em seu site e redes sociais:
Site │ Instagram │ Facebook │ Twitter

28/06/2020

Resenha :: Caminho Longo

junho 28, 2020 0 Comentarios

Oi, faroleiros, dia 28 de junho é o Dia do Orgulho LGBTQIA+, data lembrada em todo o planeta, que marca um episódio ocorrido em Nova York, em 1969. Naquele dia, as pessoas que frequentavam o bar Stonewall INN, que existe até hoje, reagiram contra a perseguição, discriminação e violência policial.


Eu adoro os livros do autor Vinícius Fernandes que assinou suas obras como A. Wood por um bom tempo. Considero Graham: O Continente Lemúria (resenha aqui) sua obra-prima e Caminho Longo é seu lançamento mais recente.

Vinícius Fernandes sempre apresentou diversidade em seus livros, mas de forma indireta, como sendo uma característica dos personagens nas histórias de fantasia, terror e ação. Isso sempre chamou a minha atenção de forma positiva. Caminho Longo é um drama LGBTQIA+ onde a homossexualidade é o foco dessa emocionante história.

Bruno sempre soube, desde pequeno, que havia algo de diferente com ele. Sofria bullying na escola e se sentia deslocado. Seu único e verdadeiro amigo é seu irmão mais velho. Bruno sabia que podia se abrir com Matheus e falar sobre tudo que passava pela sua mente e seu coração.

Esse mundo é cruel demais. Precisa de mais amor e compreensão. Só assim a gente vai para frente.

Mas a vida costuma passar uma rasteira na gente e foi exatamente isso o que aconteceu com Bruno. Matheus é morto em um assalto, afastando Bruno ainda mais de seus pais. Eles se isolam dentro da própria dor, deixando Bruno perdido em um momento de extrema necessidade.

Acompanhamos Bruno em sua jornada de autoconhecimento e sua busca pelo amor e pela felicidade. Tudo isso é narrado em primeira pessoa, misturando presente e passado. O legal é que nem sempre sabemos direito em que momento da linha do tempo estamos para nos surpreendermos em seguida.


Estamos falando de um drama LGBTQIA+ arrebatador, que só um autor own voices é capaz de escrever. Fiquei com um nó na garganta em vários momentos. Amei esse lado mais pungente de Vinícius Fernandes. O caminho pode ser longo e doloroso, mas tudo pelo que passamos durante a jornada da vida é o que nos transforma em quem somos hoje.

Estamos rompendo as barricadas e alcançando o sol
Somos guerreiros
Sim, isso é o que nos tornamos
(This is Me)

Com amor, André


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Caminho Longo
Ano: 2019
Páginas: 206
Editora: PenDragon
Sinopse:
Uma tragédia afastou para sempre Bruno de seu irmão Mateus. Sem seu melhor amigo e confidente, ele se prende a lembranças e tenta superar o luto. 
Entre angústias e o crescimento pessoal, ele precisará definir do que é possível abrir mão em nome da felicidade, mesmo que isso represente viver de um modo que seus pais podem não aceitar. 
Enquanto define o que deseja de seu futuro, Bruno irá descobrir que nossas existências são feitas de momentos e que cada um deles é um aprendizado nesse caminho longo chamado de vida.