Follow Us @soratemplates

14/12/2019

Resenha :: A Queda dos Anjos (Fim dos Dias #1)

dezembro 14, 2019 1 Comentarios

Nunca pensei sobre isso antes, mas tenho orgulho de ser humana. Temos tantos defeitos. Somos frágeis, confusos, violentos e lutamos contra tantos problemas... Mas, no fim das contas, tenho orgulho de ser humana.

Olá, faroleiros!

Mundo pós-apocalíptico, uma guerra entre os anjos, fuga em meio ao caos. Essa história vai tirar você do prumo e te prender na frente do livro. A Queda dos Anjos, de Susan Ee, é a mais recente fantasia que li e que me deixou vidrada na leitura.


Tudo que Penryn queria era manter sua mãe esquizofrênica e sua irmã paraplégica a salvo. Esgueirando-se por entre prédios abandonados e catando restos de alimento para sobreviver, a garota sabe que os anjos do apocalipse desceram a Terra e travam uma batalha sangrenta e matam qualquer um que entrar na frente deles, até os da sua própria espécie.

E essa jornada do terror não é fácil para a garota que tem de suportar as maluquices da mãe que repete frases sem sentido, acumula objetos como ovos podres, garrafas PET e uma coleção de bíblias.

Tem alguma coisa no silêncio que deixa meus nervos à flor da pele. Era para ter barulho; talvez o ruído de um rato, de pássaros, de grilos ou algo assim. Mas até o vento parece ter medo de soprar. O som do carrinho da mamãe é especialmente alto nessa quietude. Queria ter tempo para discutir com ela. Um sentimento de urgência cresce dentro de mim como se respondesse à tensão elétrica antes de um raio. Só precisamos chegar a Page Mill.

No meio da travessia, Penryn, sua mãe e a irmã Paige batem de frente com o que parece ser uma calorosa discussão entre anjos. Elas presenciam o que é a maior humilhação para um anjo que é a perda das asas. Para desespero delas sua mãe foge, deixando Paige indefesa na cadeira de rodas que ela usa para se locomover. Penryn, que está o outro lado empurrando o carrinho com a comida e toda a tralha da mãe, nada pode fazer quando os anjos que rasgavam as asas do outro anjo percebem a menina ali sozinha e a sequestram.

Começa para Penryn uma busca desesperada pela irmã. E para que ela possa saber para onde  sua irmãzinha foi levada, ela terá que ajudar seu inimigo, o anjo Raffe, que agora não possui suas asas, mas que está obstinado a recuperá-las de qualquer jeito.

— Você não percebeu que eu não era exatamente parceiro dos outros camaradas?
— Eles não são “camaradas”. Não chegam nem perto de humanos. Não são nada além de sacos cheios de vermes mutantes, assim como você. — Em questão de aparência, ele e os outros anjos eram mais próximos de deuses gregos, com feições e posturas divinas. Mas, por dentro, eram vermes, eu estava certa disso.

Até então o leitor pode dizer que esta é mais uma história de um protagonista em sua jornada do herói e tal, mas ENGANAM-SE! A Queda dos Anjos é um livro repleto de suspense, com uma pitada de terror e com reviravoltas surpreendentes. O anjo Raffe tem sua história própria no meio da guerra angelical. Obstinado a ter suas asas pregadas de volta, Rafe e Penryn partem no encalço dos Anjos que ficam aquartelados no Vale do Silício. Nesse meio tempo também acompanhamos o conflito da garota que se apaixona pelo anjo, a criatura que ela devia odiar e a convivência com ele torna seus sentimentos mais fortes a cada dia.

— Então — pressiono. — Resumindo, os anjos não têm permissão para se envolver com os humanos? Senão vão ser castigados?
— Exato.
— Que cruel. — Estou surpresa de ter compaixão pelos anjos, mesmo os das histórias antigas.
— Se você acha que é ruim, devia ver a punição das esposas.
A afirmação é quase como se ele me convidasse a perguntar. Aqui está minha chance de descobrir mais, mas me dou conta de que, na verdade, não quero conhecer a punição de me apaixonar por um anjo. Em vez disso, observo o macarrão instantâneo seco se quebrar debaixo dos meus pés quando andamos.

E tem muito mais! Há um grupo de resistência liderado por Obi, que tenta lutar contra os anjos do apocalipse. Eles ajudarão Peenryn e Raffe. Mas não darei mais detalhes, senão seria spoiler. Eu amei narrativa da Susan EE. A historia é narrada em primeira pessoa, na voz de Penryn. Senti falta de entender mais o mundo de Raffe, mas como temos uma trilogia, creio que as perguntas sem respostas serão respondidas nos próximos livros.

Não posso deixar de falar da mãe de Penryn, a personagem mais misteriosa, e suas esquizofrenias. Passamos todo o tempo tentando entender se ela é louca ou se conversa mesmo com demônios. Há muitos fatos do passado, inclusive o acidente que deixou Paige paraplégica, que nos deixam com a pulga atrás da orelha.  Também fico me perguntando como ela, mesmo sozinha no meio da floresta repleta de pequenos seres comedores de gente, consegue sobreviver e encontrar Penryn em diversos momentos da trama.


Ainda que não pareça, reconheço o medo em minha mãe quando a vejo. Se alguém que não a conhece a visse, pensaria que seu entusiasmo vem da maldade, mas é bem provável que ela nem reconheça as vítimas como pessoas. Provavelmente ela pensa que está presa numa gaiola no inferno, cercada de monstros. Talvez como pagamento por um acordo feito com o diabo. Talvez só porque o mundo conspira contra ela.

Uma dica importante: Fiquem ligados nos seres comedores de gente, os pequenos demônios. A surpresa que teremos com eles é de tirar o fôlego.

Já sabem que é indicação certa para quem gosta de fantasia apocalíptica, história de anjos, suspense e ação, né? Super indico A Queda dos Anjos para os leitores amantes desses elementos na leitura. Já aviso que podem esperar a resenha da sequência da série aqui pelo Clube do Farol! Obrigada e até a próxima.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

A Queda dos Anjos
Fim dos Dias #1
Ano: 2016
Páginas: 280
Editora: Verus
Sinopse:
Quando o mundo que conhecemos está prestes a ser arrasado, é preciso apostar tudo na redenção.
Os anjos do apocalipse chegaram — e vieram para aterrorizar a humanidade e acabar com o mundo moderno. Gangues de rua tomam conta do dia, enquanto o medo e a superstição dominam a noite. Quando anjos guerreiros sequestram uma menininha indefesa, sua irmã mais velha, Penryn, fará o que for preciso para salvá-la. Até mesmo um acordo com um anjo inimigo. Raffe é um guerreiro caído, que perdeu as asas. Depois de eras lutando suas próprias batalhas, ele é resgatado de uma situação desesperadora pela jovem Penryn, que concorda em ajudá-lo — desde que ele mostre a ela como encontrar sua irmã. Viajando por um mundo sombrio e perigoso, eles podem contar apenas um com o outro para sobreviver. Juntos, vão em direção à fortaleza dos anjos em San Francisco, onde Penryn arriscará tudo para resgatar sua irmã, e Raffe se colocará à mercê de seus piores inimigos pela chance de voltar a ser inteiro.

11/12/2019

Resenha :: Casada até Quarta (Noivas da Semana #01)

dezembro 11, 2019 0 Comentarios

Olá, faroleiros, estou aqui para trazer mais romances para a leitura de vocês. A série Noivas da Semana da Catherine Bybee me despertou grande interesse para sua leitura, em primeiro lugar pelas capas lindas, em segundo que depois de ler o primeiro livro, vi a semelhança com as histórias dos romances de banca que tanto amo e por isso comprei toda a coleção e apresentarei as resenhas deles aqui pra vocês.

Casada até Quarta é o primeiro livro da série e esta história se passa na cidade de Malibu, Califórnia. O enredo principal da série é uma empresa de casamento que disponibiliza “noivas” para o papel de esposas pelo período de um ano, totalmente acordado em contrato, mas que não envolve nenhum tipo de relacionamento mais íntimo, é tudo profissional e de fachada. Agora se os dois resolverem se relacionar de outra forma é consensual e particular entre eles.

Samantha Elliot é uma mulher que teve que aprender a reconstruir sua vida enquanto estava na faculdade com o fim de sua família e seu modo de viver na época. Ela é uma jovem linda e forte, que tem verdadeiros amigos e com isso conseguiu por para funcionar o seu negócio com casamentos arranjados, a Alliance. Ela trabalha com uma sócia e amiga, a Eliza. Ela necessita urgentemente fechar negócios com o Sr. Harrison, ele é a sua melhor chance para continuar cuidando de sua irmã.

Blake Harrison é um homem de caráter e para provar a si mesmo que podia e ao seu pai também e principalmente para fugir do seu controle, cortou suas relações com ele e construiu seu próprio império do outro lado do Atlântico, nos Estados Unidos. Só que seu pai nunca deixaria isso por menos e aprontou com ele após sua morte, para Blake poder herdar à herança que seu pai lhe deixou, principalmente a casa da família, o Ducado de Albany, e mantê-la para sua mãe e irmã ele precisa cumprir os desejos do pai em testamento que é se casar. Então antes que o prazo se acabe ele contrata a agência da Sam, porém depois de se surpreender com ela ao lhe conhecer, ele decide propor o casamento para ela própria. Ele só não esperava que a atração entre eles fosse ser tão forte. Talvez as coisas pudessem ser melhores do que planejava.

O desejo de Blake de provar ao pai que não precisava do dinheiro dele, nem do título, alimentava sua motivação. No entanto, o sobrenome Harrison havia aberto muitas portas ao longo dos anos, e abrir mão da maior parte de sua herança não era algo que ele estava disposto a fazer, especialmente porque o velho já estava morto havia muito tempo.

Porém muita coisa irá acontecer neste casamento, e fica a pergunta, durará mais que o ano do contrato?? Uma história pequena, um pouco clichê, mas até que bem divertida. O romance é bem legal. Só não gostei de um bordão que a autora colocou no livro que ficou se repetindo e na releitura me incomodou um pouco, mas talvez você nem perceba, já que eu só percebi na segunda vez.

Como disse, amei a capa do livro, essas impressões em folhas amarelas são excelentes e fica aquele gancho para o próximo livro, afinal sempre torcemos pelos amigos, né?! Dou nota 4/5, porque a história ficou bem contada e com uns ingredientes bem legais na trama. 

Boa leitura,

Carol Finco


Nota :: 




Informações Técnicas do livro

Casada Até Quarta
Noivas da Semana #1
Ano: 2017
Páginas: 196
Editora: Verus
Sinopse:
O contrato de casamento deles previa tudo... menos se apaixonar.
O primeiro livro da série Noivas da Semana
Blake Harrison: rico, nobre, charmoso... e precisando de uma esposa até quarta-feira. Para isso, Blake recorre a Sam Elliot, que não é o homem de negócios que ele esperava. Em vez disso, ele encontra Samantha Elliot, linda e exuberante, com a voz mais sexy que ele já ouviu.
Samantha Elliot: dona da agência de casamentos Alliance, ela não está no menu de pretendentes... até Blake lhe oferecer milhões de dólares por um contrato de um ano. Não há nada de indecente na proposta dele, e além disso o dinheiro vai ser muito útil para quitar as contas médicas da família dela. Samantha só precisa disfarçar a atração que sente por seu novo marido e evitar a todo custo a cama dele.
Mas os beijos ardentes de Blake e seu charme inegável se provam muito difíceis de resistir. Era um contrato de casamento que previa tudo... menos se apaixonar. Agora só resta a Samantha proteger seu coração até que o contrato chegue ao fim.

09/12/2019

Resenha :: A Menina da Neve

dezembro 09, 2019 1 Comentarios

Sua cabeça estava cheia de bobagens, uma professora alertou seu pai. Você a deixa ler livros demais.

Antes de tudo preciso dizer que decidi ler esse livro pela capa que é linda (fui superficial, me julgue! 👅), e não sei se me arrependo disso ou não, porque meus sentimentos por esse livro estão indefinidos. Não sei se o considero bom ou ruim, se o amo ou gosto pouco dele. Talvez eu consiga decidir a minha opinião em uma futura releitura. Mas, por enquanto, ele é o que é e pronto, acabou. 

Por que essas histórias infantis têm sempre de ser tão assustadoras, eu não entendo. Acho que, se um dia eu a contar para meus netos, vou mudar o fim e fazer com que todos vivam felizes para sempre. Podemos fazer isso, não, Mabel? Inventar nossos finais e optar pela felicidade em vez da dor?

O livro é baseado em um conto de fadas russo, onde um casal sem filhos faz um boneco de neve, uma menininha de neve na verdade, e ela ganha vida. Esse conto possui várias versões, mas esse livro não é apenas mais uma delas; a autora se inspirou no conto, porém escreveu um livro meio singular e único, que tem um ritmo meio lento, sem momentos eletrizantes e nem nada; sendo mais focado nos sentimentos, por vezes até melancólicos, que o fazem ter um certo drama, mas não do tipo que nos faz gastar várias caixinhas de lenços (pelo menos eu não gastei nenhuma 😂😂).

A história é narrada em terceira pessoa e se passa na década de 1920, no Alasca. Uma época e um lugar sem fogão a gás, sem energia elétrica, sem água encanada, sem aquecedor elétrico e, o que é mais surpreendente, sem micro-ondas 😱. Chocante, né? 

Podemos escolher nossos destinos, a alegria em vez da dor? Ou o mundo cruel só dá e tira, dá e tira, enquanto vagamos pela natureza inóspita?

Uma coisa que eu tenho certeza que gostei (sem indecisão em relação a isso) foi como a autora mostrou o modo de vida no Alasca naquela época, com personagens imperfeitos e simples, mas que não são irreais, tirando uma exceção ou outra, é claro. Mostrou como aquelas pessoas tinham que cultivar, plantar, colher, criar e caçar para sobreviver, não tinham espaço para frescuras; como que por muitas vezes se sacrificavam para suportarem mais um inverno.

E falando em inverno, que bela descrição dele! A descrição do ambiente é apaixonante, desde as cabanas simples, dos campos para plantio, das árvores, florestas, bosques... até cada floquinho de neve. É como se o Alasca fosse um personagem vivo e a neve tivesse personalidade própria, meio louco eu sei, mas foi o que eu senti. Sério, sou do tipo de pessoa que passa frio quando a temperatura está por volta dos 20°C, e eu quis estar no Alasca ao lado dos personagens para poder sentir o vento frio no meu rosto e ver tudo, cada detalhezinho, com meus próprios olhos que os seres de debaixo da terra hão de comer.

Na minha idade, vejo que a vida geralmente é mais incrível e terrível do que as histórias nas quais acreditávamos na infância e que talvez não haja nada de mau em encontrar um pouco de mágica entre as árvores.

Os personagens desse livro são um caso a parte. Em A Menina da Neve temos: Jack e Mabel, que são um casal sofrido, dignos de compaixão, que acabam se afastando por causa dos problemas; a menina de neve, Faina, que traz um certo mistério ao livro; os “vizinhos” George e Esther (que é um belo exemplo de mulher que não se deixa abater), com seus três filhos, com atenção especial para o mais novo deles, o Garret, que evolui muito durante a narrativa e meio que me conquistou 💙.

Não era necessário entender os milagres para acreditar neles (...). Para acreditar talvez você tenha de parar de procurar explicações e segurar a coisinha em sua mão o máximo possível antes que ela escorresse feito água entre seus dedos.

Jack e Mabel se mantêm afastados, com ele trabalhando sozinho nos campos de plantio, sofrendo para garantir o seu sustento e o de sua esposa, e ela passando seus dias sozinha na cabana, pensando até em se matar.

Até que um dia, eles fazem uma menininha de neve detalhando rosto, cabelo... e com luvas e cachecol vermelhos. E na manhã seguinte percebem que a menininha sumiu e avistam uma garotinha que se parece muito com a menininha de neve que esculpiram, com cabelos loiros, pele muito branca, boca vermelha, olhos azuis e usando as luvas e o cachecol vermelhos; que parece ter uma ligação com a neve e com uma certa raposa vermelha, com quem caça lado a lado.

Será que essa garotinha é a menininha de neve que esculpiram e ganhou vida? Ou será apenas coincidência? Será que ela é apenas uma garotinha perdida? Ou é a filha que o casal tanto desejou? Será que uma menininha feita de neve pode magicamente criar vida? Ou será que existe outra explicação? Será essa menina da neve apenas sonho e fantasia? Ou ela é real? Leia esse livro e tente descobrir! 👋😚

Nunca sabemos o que vai acontecer, não é mesmo? A vida sempre nos joga para um lado e para o outro. É uma aventura não saber onde você acabará e como pagará sua passagem. É tudo um mistério e, se dissermos o contrário, estamos mentindo para nós mesmos.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

A Menina da Neve
Ela é a resposta das suas orações ou um pequeno e mágico sonho?
Ano: 2015
Páginas: 352
Editora: Novo Conceito
Sinopse:
Alasca, 1920: Um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando um do outro cada vez mais ele, no duro trabalho da fazenda, ela, se perdendo na solidão e no desespero. Em um dos raros momentos juntos durante a primeira nevasca da temporada, eles fazem uma criança de neve. Na manhã seguinte, ela simplesmente desaparece.
Jack e Mabel avistam uma menina loira correndo por entre as árvores, mas a criança não é comum. Ela caça com uma raposa-vermelha ao lado e, de alguma forma, consegue sobreviver sozinha no rigoroso inverno do Alasca.
Enquanto o casal se esforça para entendê-la uma criança que poderia ter saído das páginas de um conto de fadas , eles começam a amá-la como se ela fosse filha deles. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam ser, e o que aprendem sobre essa misteriosa menina vai transformar a vida de todos eles.


O Grupo Editorial Novo Conceito oferece sempre os best-sellers mais aguardados e comentados do meio literário. Em anos de sucesso editorial, foram vários os autores e títulos reconhecidos na principais listas do PublishNews e Veja. O selo Novo Conceito foi desenvolvido para reunir essas grandes publicações, além das novidades e lançamentos internacionais que ainda virão.

06/12/2019

Resenha :: Golfinhos e Tubarões — O Outro Mundo

dezembro 06, 2019 0 Comentarios

Victoria foi adotada aos 5 anos por Greg e Ana, eles são o típico casal bem-sucedido, porém sem tempo para ser pais, por isso o vínculo deles não é muito grande com a Vic. Apesar de Greg se mostrar mais compreensivo ou atencioso, às vezes.

Quando Victoria completa 15 anos, ela percebe algumas mudanças no seu corpo e comportamento, seus longos cabelos ruivos escurecem, ela começou a ficar mais forte, veloz e seus sonhos se tornam premonições, mas quando ela completa os 18 é que tudo em sua vida se transforma.

Na sala de estar com os pais, durante uma discussão, ela sente uma forte indisposição e desmaia, porém quando acorda, o apartamento está destruído e seus pais estão grudados e suspensos na parede. Isso causa um tremendo pavor em seus pais adotivos que passam a ter pânico dela. E quando Vic está prestes a fugir chegam umas visitas que podem ser a sua melhor saída.


Vitor e Lisa se apresentam para Victoria e a convidam para ir ao instituto em um lugar longínquo onde ela pode aprender a controlar seus poderes, juntamente com outros iguais a ela. Ou como eles mesmos dizem: “O lugar onde ela pertence”.

Vic fica desconfiada, mas como Lisa é uma mulher simpática, que lhe transmite segurança, e que também possui poderes. Ela também dá uma palhinha do seu poder para Vic e a convence, fazendo um tour pela escola pela supervisão de Lisa.

Quando Vic chega para sua primeira aula, ela fica deslumbrada em saber que realmente existem outros com poderes tão incríveis como os dela, em sua sala, têm alunos com habilidades em manusear o fogo, voar, levitar objetos, velocidade, força e muito mais.

Lá ela descobre que seus verdadeiros pais eram professores da escola e que durante uma guerra, anos atrás, que destruiu varias famílias, eles eram os melhores, e também considerados heróis, e apesar de todos dizerem que eles morreram de uma misteriosa doença, ela sente que existe um grande mistério em torno dessa versão dos fatos.

Lá ela também conhece Alex, um mestiço, e ela sente uma ligação e uma atração muito grande com ele. Porém Alex é um recluso e mesmo demonstrando preocupação em ajudá-la à não se ferir, também deixa muito claro que não pode ser seu amigo.

Alex também perdeu os pais quando tinha 5 anos, mas como era um mestiço, meio humano e meio vampiro com super força e velocidade, e com sérios problemas em conviver com pessoas, ele está nesta escola desde que ficou órfão. Ele nunca fez amizades nem ajudou ninguém, mas quando Vic está em apuros (o que não é tão raro assim), ele sempre é o primeiro a resgatá-la.

Mas existe um mistério e com o passado tanto dela quanto dele, que impede, ou pelo menos dificulta, a amizade/romance entre os dois. Porém o sentimento entre os eles é muito forte e pelo menos a Vic está disposta a correr todos os riscos para ficar com Alex. O problema será convencer o Alex de que esse sacrifício valerá a pena.

Eu nunca tinha lido nada desse gênero, eu me senti lendo um roteiro de X-Men, dentro da escola do professor Xavier. A história foi bem construída, o romance é muito bonitinho, os pontos soltos são resolvidos nos momentos certos e uma coisinha ou outra que ficou pendente já é um gancho para um próximo livro. Enfim, quando terminei as 419 páginas eu queria mais, muito mais.

O que é irônico, pois quando vi o livro, imaginei: “Meu Deus um romance adolescente de 400 páginas? Será que eu vou gostar disso?” E eis que a resposta é: Simmmm, eu amei.



Tantos os professores quanto os alunos são personagens secundários muito bons e importantes, com poderes fantásticos. E o mistério envolvendo os pais da Vic, a sua investigação sobre a real história deles, seu relacionamento conturbado com Alex e o mistério que o envolve... Enfim, eu achei tudo muito bem construído. Uma história que tem ação, aventura, mistério, partes hilárias, romance e etc...

Sem contar que é um livro nacional, e a Tais Cortez é uma fofa, respondeu as minhas perguntas e garantiu que o livro terá sim uma continuação para fechar algumas questões. Porém se você quiser ler o livro pode ir tranquilo. Pois ele tem um final muito satisfatório e com um fechamento bem legal.

Super recomendo.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Golfinhos e Tubarões
O Outro Mundo
Ano: 2013
Páginas: 419
Editora: Chiado Editora
Sinopse:
Aos cinco anos, Victoria foi adotada por Ana, presidente de uma indústria de cosméticos, e Greg, um bem-sucedido advogado. Ela não entende por que não se lembra dos verdadeiros pais e não acredita na suposta causa da morte deles.
Ao completar quinze anos, estranhas mudanças começam a acontecer. Seus cabelos ruivos escurecem, ela se torna cada vez mais forte e rápida, seus sentidos ficam aguçados e alguns dos seus sonhos passam a ser premonições.
Após a visita de um casal peculiar, ela é levada para um mundo desconhecido e único, onde terá que aprender a controlar suas habilidades, frequentando aulas diferentes de tudo o que já viu.
Lá ela conhece Alex. A atração entre os dois é imediata, mas ele se recusa a se aproximar de Victoria e de qualquer outro aluno. Ainda assim, o destino se encarrega de uni-los e Alex passa a protegê-la e ajudá-la.
O que Victoria não sabe é que ele esconde um segredo que mudará sua vida, e que o passado pode estar mais perto do que eles imaginam...

04/12/2019

Resenha :: Reino dos Morcegos

dezembro 04, 2019 1 Comentarios


O jornalista capixaba Romulo Felippe recebeu ótimas críticas com o seu livro de estreia. Monge Guerreiro foi eleito o Melhor Livro de Fantasia Nacional em 2017 pelo Reino dos Livros (o maior grupo literário da América Latina). Em Reino dos Morcegos, o autor nos transporta para o sul da França, em plena Idade Média, onde vive um morceguinho albino super-simpático e aventureiro.


O ano é 1234 e os morcegos são proibidos de voar para dentro das muralhas de Carcassone, o Reino dos Homens, mas Frederico, também conhecido como Fred ou Morceguito, não é muito de seguir ordens. A corvo Ming e o esquilo-voador Sorrateiro são irmãos adotivos de Morceguito e os 3 estão sempre aprontando para desespero do Rei Joshua.

Antes do seu nascimento, “Príncipe Branco”, circulava por Carcassone uma antiga profecia. Nela, dizia-se que a vinda de um morcego mudaria o mundo. Que esse ser iluminado lideraria seu povo em uma aliança de paz entre mamíferos voadores e os seres humanos.

Morceguito vai contar com a ajuda do príncipe Frank e da princesa Yasmin de Carcassone para cumprir a profecia, mas precisa tomar muito cuidado com a bruxa Maldiva e seus capangas, o falcão Caçador e o gato Trevas.


Quando a gente pega Reino dos Morcegos nas mãos, não tem como não ficar encantado com a edição maravilhosa da editora Cavaleiro Negro. O livro tem capa dura e folhas amareladas de gramatura maior do que o normal. As letras e o espaçamento colaboram para uma leitura prazerosa e as belas ilustrações feitas pela venezuelana Elizabeth Lara deixam o livro ainda mais lindo. 

O texto de Romulo Felippe é uma delícia e os personagens, adoráveis! Adoro quando o autor não menospreza seus leitores. Só porque são crianças e adolescentes, não significa que são limitados. O autor fala sobre temas importantes, como: família (mesmo que não seja a de sangue), lealdade, amizade e amor. 

O livro traz ainda um prefácio escrito pela autora Sarah Cohen, de O Menino do Outro Mundo. O texto é tão rico que não parece ter sido escrito por uma menina de apenas 12 anos. No final, o autor Rômulo Felippe explica um pouco mais sobre a importância dos morcegos para o nosso planeta, assim como a história real de Carcassone. 


A aventura infanto-juvenil Reino dos Morcegos é para as crianças de todas as idades. Uma aventura mágica, encantadora e muito divertida. 

Com amor, André


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Reino dos Morcegos
Ano: 2018
Páginas: 152
Editora: Cavaleiro Negro
Sinopse:
Morcegos estão proibidos de voar para dentro das muralhas de Carcassone, mas cabe a Frederico, um corajoso morcego albino, cumprir a profecia e selar a paz entre homens e morcegos.


 _____Sobre o Autor_____


Romulo Felippe



Romulo Felippe é jornalista e escritor. Nasceu em 27 de abril de 1974, em Cachoeiro de Itapemirim (ES). Começou a escrever poemas e crônicas sob as influências de Manuel Bandeira e Rubem Braga a partir dos 8 anos, colaborando para os jornais locais Correio do Sul e Arauto. Aos 13 anos veio o primeiro emprego como repórter do jornal O Brado. Aos 18 foi co-fundador do jornal Folha do E. Santo, que nos anos seguintes tornou-se diário. Trabalhou um ano como repórter televisivo da filial da Rede Globo. Tornou-se editor do semanário Hora H. Passou um ano como corresponde do jornal O Dia, na época com um milhão de exemplares diários, cobrindo o Norte/Noroeste fluminense. No ano seguinte assumiu a secretaria de Comunicação de Guaçuí, assinando também como editor do jornal O Espírito Santo Na sequência virou sócio e editor da revista Opinião. Assumiu como Diretor de Redação do jornal Diário Capixaba. Editor das revistas Test-Drive e Moto-Test. Diretor de Redação da Revista Viver!. Diretor de Redação da Revista Caminhões. Lançou seu livro de estreia, “Monge Guerreiro”, aclamado pela crítica especializada e eleito o “Melhor livro nacional em 2017”, segundo pesquisa realizado pelo Reino dos Livros (o maior grupo literário da América Latina). Em 2017 celebrou três décadas dedicadas ao jornalismo, com coberturas realizadas em mais de 16 países e em todos os estados brasileiros Casado com a empresário Svetlana Bertolo Felippe, é pai de três filhos (Felippe, Giuseppe e Gianluca) e padrasto de mais dois (Ana Paula e Henrique). Contrato assinado para relançar “Monge Guerreiro” em 2018 no Brasil pela paulista Cavaleiro Negro e também na Europa em edição especial com capa dura, pela italiana Newton Comptom Editori. Autor convidado da Bienal Rio 2017 na mesa “Publiquei! E agora?”. Reside na ilha de Vitória, no Espírito Santo.