Follow Us @soratemplates

15/10/2018

Resenha :: Apenas Um Dia

outubro 15, 2018 0 Comentarios

Mas, e se Shakespeare, e Hamlet, estivessem fazendo a pergunta errada? E se a verdadeira pergunta não se referir a ser, mas a como ser? Uma história de amor que tem Shakespeare nela ou é um completo sucesso ou retumbante fracasso. Depois das histórias dele nada de novo se foi escrito, sem ter bebido da fonte de suas obras. Mas o tom da história não é reescrever Shakespeare, é ter o amor pela obra encenada e estudada dele como pano de fundo para a trama que envolve perdas, descobertas e a certeza que o acaso pode ser um aliado do amor. 

— Este sou eu, querida. Todos os meus eus. Sou cada um deles. Sei quem estou fingindo ser e quem eu sou. — O olhar que me lança é seco.
— Você sabe? 

Uma viagem em comemoração ao fim do ensino médio; uma turnê estudantil pelo velho mundo. E uma adolescente que vive sempre pelas regras e dentro das expectativas dos pais. No início achei a trama meio arrastada e com medo de ficar dentro de uma chatice, mas não durou (ainda bem), foi só mesmo aquele início, aquele primeiro capítulo, para explicar os conflitos com que a personagem principal tem que lidar. E como aceitar aquele convite é um passo tão grande dentro da vida dela. Eu me vi relembrando um pouco de mim com 18 anos, as escolhas que fiz e onde elas me trouxeram e logo me vi dentro da história junto a “Lulu/Allyson”. 

— Verdes árvores contra o céu chuvoso da primavera, que deixa escuro o caminho das árvores enquanto se afasta. A brisa passa, salpicando a terra de flores vermelhas, e a terra se colore de vermelho depois do beijo. 

O quanto é preciso viver para saber quando o amor é verdadeiro? Basta o primeiro olhar, o primeiro beijo ou é feito de horas e dias que confirmam o amor. O livro fala de que o amor é uma questão de ser vivido, e mesmo que a certeza venha com o tempo, é o primeiro momento que fará de todo o resto possível. 

— Você esqueceu? O tempo não existe mais. Você o deu para mim. — Eu dei o tempo a você — repito. 

Vinte e quatro horas vividas de uma maneira intensa e com decisões que são entre o que você sempre foi e todo um novo mundo, uma nova forma de viver. Podem repercutir na vida de alguém para sempre. Eu pensei muito sobre o efeito borboleta nesse ponto do livro, porém ao invés de ser um reflexo no Japão ser dentro de nós mesmos. Estar com “Lulu/Allyson” naquele passeio por uma Paris nada clichê (preciso avisar) é passar por momentos doces daquela descoberta, tanto da Allyson enquanto ela mesma, de pequenas e grandes coisas sobre tudo, quanto do Willem.

O Willen é um doce mistério, que é uma daquelas pessoas que trazem luz as pessoas a sua volta. Que além de lindo, sem ser óbvio, também é cheio de mistérios e encantador. As promessas dele se resumem ao momento e isso pode deixar o coração de qualquer mulher a um passo do precipício das emoções. Ele dá a Allyson o melhor dos dias. Mas mesmo o melhor dos dias já vivido tem seu fim. E nem sempre o dia seguinte é continuação do anterior. Lidar com as consequências do dia seguinte dão um tom de suspense e expectativa que te prende até o final do livro. 

— Diga “um dia” e se esqueça do “para sempre”. 

Eu curti demais essa história, por todas as nuances dela. Pelos personagens secundários, que ajudam a personagem a perceber o quanto pode ser difícil conhecer alguém e como esse conhecer requer interesse, dedicação. Como uma amizade é fruto de um coração generoso. Como os pais podem marcar a história dos filhos enquanto tentam viver suas vidas através da de outras pessoas. 

Que o amor pode ser fruto do acaso, mas a duração desse amor vai depender das escolhas, das entregas e do querer. Sim, querer lutar para as pequenas e grandes coisas que a vida coloca em nosso caminho não façam um abismo entre o amor e a vida real.  E a história fica leve quando te faz pensar em algumas coisas bobas, mas mesmo assim... Afinal:

Você acredita em acasos do universo? Nutella é chocolate? 
Apaixonar-se é a mesma coisa que estar apaixonado? 


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Apenas Um Dia
Apenas Um Dia #1
Ano: 2015
Páginas: 378
Editora: Novo Conceito
Sinopse:
A vida de Allyson Healey é exatamente igual a sua mala de viagem: organizada, planejada, sistematizada. Então, no último dia do seu curso de extensão na Europa, depois de três semanas de dedicação integral, ela conhece Willem. De espírito livre, o ator sem destino certo é tudo o que Allyson não é. Willem a convida para adiar seus próximos compromissos e ir com ele para Paris. E Allyson aceita. Essa decisão inesperada a impulsiona para um dia de riscos, de romance, de liberdade, de intimidade: 24 horas que irão transformar a sua vida.
Apenas um Dia fala de amor, mágoa, viagem, identidade e sobre os acidentes provocados pelo destino, mostrando que, às vezes, para nos encontrarmos, precisamos nos perder primeiro... Muito do que procuramos está bem mais perto do que pensamos.

13/10/2018

Resenha :: Força e Ternura

outubro 13, 2018 0 Comentarios

Olá faroleiros, tudo certo?? Vamos falar sobre mais um livro maravilhoso publicado pela Pedrazul, e este é muito especial para mim, pois eu tive a oportunidade de lê-lo antes mesmo dele ser publicado, foi minha primeira leitura beta e uma das minhas maiores alegrias como leitora, poder contribuir para construção desta história linda.

A autora é uma daquelas pessoas com quem criamos uma empatia de imediato, sua amizade com minha irmã foi tão forte que conseguiu se estender a mim e a nossa família. Ela é uma pessoa muito querida, além de uma escritora fantástica e por isso ler seus livros é muito fácil, porém é difícil de expressar o quanto suas histórias me emocionam.

Força e Ternura é um romance contemporâneo, escrito de maneira singela, com uma narrativa fluida e rápida, que nos apresenta personagens especiais que nos fazem ficar com aquele gostinho de quero mais.

Mitchell Hugles se tornou um grande empresário no mundo corporativo do aço e em parceria com quatro amigos quer crescer cada vez mais, até que mentiras do passado vêm à tona e ele tem que reavaliar o que realmente importa e principalmente em que ele deve confiar. É neste momento de mudança que ele conhece Rose, uma florista na cidade de Nova York, e se encanta por ela, seu desejo inicial é apenas se livrar de sua ex-noiva, lhe mostrando que já deu a volta por cima, porém ele não poderia imaginar o quanto aquela singela e doce  jovem, tocaria seu coração.

O apelo era grande e o desejo intenso, além da medida do que ele podia suportar, e ele entregou-se ao deleite daquilo que lhe consumia a alma.

Rosamund McNamara era uma jovem com um sonho, plantar e vender flores, e quando surgiu a oportunidade de ter uma sociedade com uma amiga para abrir uma floricultura em na cidade grande, ela não pensou duas vezes, mesmo contra a vontade dos pais, se mudou para Nova York e abriu sua loja, ela só não contava que a sua sócia fosse uma socialite fútil que se entediava fácil de seus projetos e que tudo ficaria nas suas costas. Quando, após dois anos de luta, se vê na iminência de ter que fechar as portas e voltar para casa, o inesperado acontece, um rico empresário aparece em sua loja e resolve lhe propor um acordo de negócios, ela só não imagina o quanto este acordo afetaria seu coração e mudaria todo o seu futuro.

A alegria é tão fugaz quanto uma brisa. Às vezes ela sopra, porém, passa despercebida. Quando o calor sufoca, os problemas ameaçam tragar, sua lembrança vem como nostalgia.

Muitas coisas acontecem entre a história dos dois, principalmente nos apresentando um pouco os amigos de Mitchell e suas vidas, além do que acontece com os personagens secundários. A Chirlei nos coloca para sofrer um pouco durante a história, o que me lembrou bastante a Babi A. Sette, que adora nos deixar com o coração na mão nos perguntando se tudo irá dar certo e aquela vontade de matar o mocinho.

Nunca choverá ternura: se quisermos mais amor teremos que plantar mais afeto.

Teremos então um final maravilhoso e aquele desejo de querer mais histórias dos outros personagens. Por tudo o que este livro representa para mim, pela escrita maravilhosa da Chirlei Wandekoken, seu carinho e confiança, ele tem de mim um lindo coração de favorito. Como uma pessoa apaixonada por romances e leitora desde criança, digo sem sombra de dúvidas que esta história é linda e merece todo meu amor.

Boa leitura,

Carol Finco


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Força e ternura
Ano: 2018
Páginas: 274
Sinopse:
Ela plantava flores, ele produzia aço. Ele estava ferido, ela sabia curar. 

Mitchell Hugles era conhecido como “o homem de aço”. Ambicioso ao extremo, o empresário de origem pobre orgulhava-se de ter crescido por seus próprios méritos: uma inteligência incomum, que o levou à presidência de uma poderosa organização. Mas enquanto ele produzia o aço que ancorava o mundo, suas próprias bases começaram a ruir. Foi quando ele conheceu Rose, uma simples e pobre florista, cuja alma possuía uma candura capaz de curar.


Editora Pedrazul atualmente é a editora que mais se dedica à tradução e à publicação de obras mundialmente consagradas, algumas ainda desconhecidas no mercado editorial brasileiro, como os autores que influenciaram o estilo da mais famosa escritora inglesa de todos os tempos, Jane Austen. Também atua no segmento romance histórico e de época escritos por autores contemporâneos.


 _____Sobre a Autora_____


Chirlei Wandekoken



Jornalista e pedagoga capixaba, filha de cafeicultores, mudou-se para Vitória aos 15 anos de idade, e desde então começou a construir sua vida. Casada, tem dois filhos (21 e de 18 anos de idade). Isto é o que se percebe em seu primeiro livro, "O Vento de Piedade", publicado pela Editora Saraiva, que conta a história de uma família de um vilarejo no interior de São Paulo. Uma história que começa em 1956 e se estende até 2000, citando vários fatos reais, especialmente os relacionados ao período da ditadura militar brasileira.
O talento profissional nas três áreas (jornalismo, pedagogia e literatura) e sua clara demonstração de que sabe aproveitá-lo muito bem comprovam que Chirley Wandekoken é uma mulher que, mais do que "a diferença", faz a soma.
Estudou na Universidade Federal do Espírito Santo. Atualmente mora em Vitória, Espirito Santo.

11/10/2018

Resenha :: Jay (Estrelando o Amor #1)

outubro 11, 2018 2 Comentarios

Queridos faroleiros, será que vocês estão preparados para um romance hot que se passa no ramo da indústria pornográfica? Calma! Apesar de ter muitas cenas eróticas, a autora Karen Dorothy escreveu uma história envolvente com personagens totalmente sedutores.

Ninguém nasce pensando em ser uma atriz pornô. Isso meio que acontece! A nossa protagonista se mudou para Los Angeles, junto com o amigo Luke, há dois anos, mas a mudança ainda não surtiu o efeito que Jéssica Williams esperava.

Há mais de um ano trabalhando no Café Holliday, Jéssica acaba aceitando o convite de um produtor para trabalhar como atriz pornô.

Jess, pense bem, é uma grana bem alta. Você é linda e, com todo o respeito, tem um corpo maravilhoso. Você escolheria com quem trabalhar e quais as cenas que gostaria ou não de gravar.

Ela só grava cenas com Luke, uma espécie de irmão mais velho. Somente ele tem o poder de deixa-la à vontade para fingir prazer durante as gravações. O problema é que Luke vai se casar e decide largar o mundo pornográfico apesar de sua noiva não ver problema no seu trabalho. Agora, Jess que é a estrela da produtora Scenes of Pleasure terá que escolher um novo parceiro de cena.

É quando Jess conhece Jayden Smith. Jay tem 25 anos, trabalha como modelo e é muito fã do trabalho de Jess. Quando ficou sabendo que ela estava à procura de um novo parceiro, aproveitou a oportunidade. Claro que um pouco mais de dinheiro não faz mal a ninguém.

Jay tem o dom, um poder enigmático em seus olhos escuros que faz com que Jess se sinta viva novamente. Faz tempo que ninguém é capaz de fazê-la sentir prazer. Será que eles serão capazes de terem um relacionamento em um ambiente onde o sexo é algo tão rotineiro e repetitivo?


Quando comecei a ler Jay já esperava um romance hot onde as cenas de sexo teriam um grande destaque. E não estava errado! Mas a autora Karen Dorothy escreveu cenas bem sexys sem ser grosseira ou esquecer da história dos personagens.

Um ponto levantado pela autora que gostei muito foi o preconceito que os atores que trabalho no ramo pornô sofrem. Lembro dos comentários preconceituosos de quando o ator Alexandre Frota resolveu entrar para esse ramo após ter atuado em várias novelas da Rede Globo. Atualmente, esse fato voltou a ser manchete por causa da crítica feita pelo filho do ator.

Pensando nisso, procurei por depoimentos de atores pornográficos pela internet sobre suas profissões e achei um bem interessante:

O ator pornô não é um objeto sexual. Não é um qualquer só porque tira a roupa na frente das câmeras e se mostra para o mundo. O ator pornô tem vida normal. Tem sentimento. É um ser humano como outro qualquer. Não é mais nem menos do que ninguém. É simplesmente uma pessoa normal fazendo um trabalho.

Assim são Jess e Jay. Duas pessoas normais fazendo um trabalho. É claro que eles vão se envolver emocionalmente, mas o passado e o presente da vida deles vão atrapalhar um pouco esse relacionamento.

Mesmo que esta seja uma obra de ficção e o cenário retratado, fruto da imaginação da autora, tudo faz muito sentido.

Comecei a folhear Jay para relembrar de algumas passagens para escrever esta resenha e quando dei por mim já estava relendo o livro. O objetivo do livro não é te fazer pensar, mas isso não significa que precisa ser um entretenimento vazio.

Indicado para quem curte romances hot, bem hot.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Jay
Estrelando o Amor #1
Ano: 2018
Páginas: 347
Editora: Cappia
Sinopse:
Você já imaginou como se desenvolve o universo dos filmes adultos? Já parou para pensar no que acontece nos bastidores da indústria pornográfica? Há prazer real? Existe a possibilidade de desenvolver sentimentos? Cada ator tem o seu próprio mundo e carrega toda uma bagagem individual. Por trás das câmeras, existem filmes inteiros que precisam ser deixados de lado no momento em que o diretor grita “ação”.
Jessica Willians é o principal nome feminino de filmes adultos em Los Angeles e junto com seu melhor amigo, protagonizou centenas de filmes que despertaram a cobiça e desejo de infinitas pessoas.
Jayden Smith, modelo e fã assumido dos filmes protagonizados por ela, é um dos candidatos para ser seu novo co-starring. Juntos, eles vão nos mostrar o quão excitante e complicada pode ser a vida nos bastidores deste universo.


_____Sobre a Autora_____

Karen Dorothy


Nascida e criada em Franca, interior de São Paulo, Karen Dorothy é mãe e apaixonada por livros, quando não está mergulhada no mundo da leitura ou escrita, podem encontrá-la reprisando alguns episódios da série Bones (Vício total). Encontrou na escrita uma forma de sonhar acordada, fazendo muitos sonhos transformarem-se em realidade através das pontas dos dedos.

09/10/2018

Eu assisti :: Pets – A Vida Secreta dos Bichos

outubro 09, 2018 0 Comentarios

Olá faroleiros, tudo bom?

“Pets – A Vida Secreta dos Bichos” é um filme de comédia feito em animação pela Illumination Entertainment, dirigido por Yarrow Cheney e Chris Renaud, teve seu roteiro escrito por Brian Lynch, Cinco Paul e Ken Daurio. Distribuído pela Universal Pictures, o filme chegou às telonas brasileiras em Agosto de 2016.

(Fonte da imagem)

Assisti ao filme pela primeira vez este ano, a premissa apesar de bem simples despertou a curiosidade: por que, afinal, o que nossos animais de estimação fazem enquanto estamos fora de casa?


Max, um adorável cachorro tem sua vidinha pacata em um apartamento em Manhattan, apaixonado por sua dona Katie, faz de tudo para agradá-la. Porém, um belo dia ela aparece com outro cachorro em casa e disse que este seria o mais novo companheiro dele. Como é de se esperar, Max não gosta nada de ter Duke invadindo seu espaço e disputando a atenção de Katie, e resolve armar um plano mirabolante para se livrar dele, entretanto, o tiro sai pela culatra e os dois cães tem que se unir para não virarem alvo da carrocinha.

(Fonte da imagem)


Foi muito divertido acompanhar o desenvolvimento da relação de Max e Duke, além de conhecer os outros animais da vizinhança e suas ligações, suas relações com seus donos.

Um filme muito legal de se assistir com a família e uma ótima indicação para se ver no dia das crianças! Para os amantes de animais é uma ótima opção para ver na companhia de seu melhor amigo e se identificar com diversas situações que ocorrem durante o longa.

Espero que tenham gostado da indicação e até a próxima!



Confiram o trailer:





Informações Técnicas do Filme

Pets – A vida Secreta dos Bichos
Ano de lançamento:  2016
Duração: 1h 27min
Gêneros: Animação, Comédia
Nacionalidade: EUA
Direção:  Yarrow CheneyChris Renaud
Estrelando: Louis C.K., Eric Stonestreet, Kevin Hart
Sinopse (Adorocinema):
Max é um cachorro que mora em um apartamento de Manhattan. Quando sua querida dona traz para casa um novo cão chamado Duke, Max não gosta nada, já que seus privilégios parecem ter acabado. Mas logo eles vão ter que pôr as divergências de lado quando um incidente coloca os dois na mira da carrocinha. Enquanto tentam fugir, os animais da vizinhança se reúnem para o resgate e uma gangue de bichos que moram nos esgotos se mete no caminho da dupla.



Créditos das Informações sobre o filme:

05/10/2018

Resenha :: Não Fuja!

outubro 05, 2018 0 Comentarios

  Pode conter spoiler dos livros anteriores.

Confira as resenhas dos primeiros livros da trilogia!



Ah não, chegamos ao fim... Ops, ainda temos Máscaras (obrigada, Pepper)! Mas depois de dois livros onde vimos uma personagem irritante e mimada, crescer muito no decorrer da trama, aliado a isso, várias e várias reviravoltas que deram ao livro a mesma pegada em todos, deixando você com a mesma sensação do gostosa do início ao fim da série. E confirmei isso em Não Fuja! que manteve o mesmo ritmo emocionante, boas cenas de ação e um fechamento surpreendente!

Não havia como recuperar o meu passado, mas ao menos tentaria refazer o meu futuro.

Dito isso sobre os livros anteriores, vou falar do terceiro livro. Não Fuja! começa exatamente da cena onde o livro anterior parou, e de cara somos transportados ao passado, quando Nina recupera uma lembrança perdida de sua infância. Assim temos um início de uma maneira mais calma — até pra poder entender para onde ele vai nos levar —, porém,  existe uma explicação de um fato que precisamos saber para ter a sequência dos demais capítulos e não ficar perdido com os acontecimentos. Assim mesmo com o passado trazido de volta, precisamos ficar ligados nos presente para não perder nenhum detalhe.

Uma sensação de arrebatamento indescritível tomou conta de todo meu corpo. Eufórica, senti as palmas das minhas mãos esquentarem. Sorri ao reconhecer aquele sinal, a reação do que a coragem desencadeava em minhas células.

Reviravoltas conduzem a trama, te fazendo gritar COMO ASSIM? Situações que não só surpreendem, mas criam um coeficiente de tensão e suspense muito interessante para o desenrolar da trama. Vemos que com o ganho de confiança e poder de Nina, John, o melhor personagem masculino e melhor interesse amoroso dentro dessa trilogia (sim, amo mais o John que o Rick — Não me odeiem!), ganha um destaque esperado (no meu caso) e bem vindo! Porque a trama deixa de girar em torno de Nina e passa a dar um destaque ao desenvolvimento da história no mundo mágico, da fantasia no livro.

Eu gostei muito da história, a autoconfiança foi trabalhada em todo momento, a Nina se viu em situações desesperadoras. Fiquei abalada perto da finalização do livro, senti medo e desespero para continuar lendo, daqueles que sabia que era necessário, fazia parte da história, mas ainda sim era difícil de aceitar...

...Somos ambos a vida e a morte do outro, fazemos parte da mesma energia. Se eu serei sua morte, não se esqueça de que você é a minha vida.

Esse livro, explica de forma única os títulos da trilogia que nos apresentam a importância de uma escolha (não parar), o poder do livre arbítrio (não olhar) e que temos que enfrentar as consequências dessas escolhas e de nosso livre arbítrio (não fugir). Nele, finalmente, fomos apresentados ao verdadeiro e grande vilão da história, e como a série era marcada por conflitos latentes, já era esperado um grande conflito real, que culminou em algumas perdas bem tristes. O final foi a maior e melhor surpresa de todas (sério, uma das coisas que mais amo na trilogia, e um dos mais surpreendentes que já li até hoje). Inesperado e energizante, deu um ponto final interessante para a história de Nina e dos demais personagens que passaram por essa trama.

Se a morte não é o fim, o que virá depois?

Pepper se manteve fiel aos lemas de não confiar em ninguém, e que nem tudo o que parece realmente é, do primeiro ao último livro. As respostas que surgem em todos os momentos são bem explicadas e as pontas soltas amarradas. Tentei falar porque para mim esse fechamento foi tão especial, sem soltar spoilers e estragar as surpresas de quem ainda não leu. Quem já leu, me conta o que você achou, vou adorar saber! Depois? Vem Máscaras!! Beijos e até lá.

Sobre a edição: Está, como sempre, maravilhosa! Uma capa linda com uma imagem incrível! Revisão e diagramação excelentes, sem nenhum erro. Nível Valentina de qualidade!!!


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Não Fuja
Se a morte não é o fim, o que virá depois?
Trilogia Não Pare #3
Ano: 2016
Páginas: 384
Editora: Valentina
Sinopse:
Ciente do tempo que se esgota e em meio à sangrenta batalha que se desenvolve em seu coração, Nina parte em busca de suas verdades.
Mas... que direção tomar quando o caminho é sem volta?
Disposta a lutar pelas respostas que a consumiram durante toda a vida, ela resgatará a força que guarda dentro de si para enfrentar seus fantasmas.
E vivenciar o amor em seu mais puro estado.
Presa em uma teia de traições, lendas e sofrimento, Nina descobrirá, para sua grande surpresa, que o poder transformador que penderá a balança para o bem ou para o mal sempre esteve perigosamente ao seu lado.
Sobre a tênue linha que separa a vida da morte.
Sua sobrevivência representará o extermínio, mas como aceitar a morte agora que se sente viva pela primeira vez na vida?
Richard.

Para a Editora Valentina, leitura é, acima de tudo, entretenimento.
Olho vivo e faro fino.
Esse é, na verdade, o lema de todo grande editor. E a pinscher dessa editora encarna esse lema como ninguém.



 _____Sobre a Autora_____

FML Pepper




Workaholic assumida, FML Pepper viu o mundo virar de cabeça para baixo quando descobriu que estava grávida, mas que seria uma gravidez de risco e que teria que ficar de repouso durante os nove meses. Após um mês deitada – e a um passo da depressão – , seu marido a presenteou com um romance infantojuvenil. A partir daquele dia, devorou quantidades absurdas de todo tipo de ficção para jovens e, para nunca mais se afastar dos personagens fantásticos que amava ou surgiam em sua mente, decidiu escrever. Costuma dizer que, ao fim da gestação, deu à luz dois filhos: um lindo menininho e a paixão pela literatura jovem. Ainda se beliscando para acreditar que se transformou em best-seller da Amazon da noite para o dia e regada a muito café e rock’n’roll, divide seu tempo entre o consultório e a carreira literária, junto ao melhor marido das galáxias, seu pequeno príncipe, suas duas chihuahuas lindinhas e orelhudas, e seus personagens fantásticos e emocionantes. E sonha, feliz da vida, em levar sua trilogia fantástica para o mundo todo.