Follow Us @soratemplates

11/01/2019

Resenha :: A Ama Inglesa e Quando os Céus Conspiram


 Primeira História: A Ama Inglesa (O Quarteto do Norte #2)

Eu me apaixonei por essa capa e comecei a ler sem me dar conta que se tratava de uma série. Mas como já havia avisado na resenha de A Estrangeira (que você pode clicar aqui para ler), é muito melhor lendo na ordem.  Essa história a autora avisa que se trata de um conto de fadas do século 19 e que vai nos contar a história de Leonora e o duque Prodhoe.


Pior que um sonho impossível é o vislumbre da possibilidade recheado de ambiguidades.

Já no início me apaixonei por Leonora, uma das mais engraçadas e divertidas personagens da Chirlei Wandekoken, talvez por ela ser tão jovem. Mas não tem como não rir e se emocionar com ela dormindo em um celeiro, aninhada a uma vaca, na propriedade do duque e, ao ser flagrada, resolve fugir e tentar na fuga manter alguma dignidade. Porém isso não é possível e logo nos vemos surpresas por ela ser amparada pelo poderoso Duque de Pudhoe, conhecido como Lorde Perverso.

Somos apresentadas ao passado de Leonora e a seu breve e marcante encontro com o duque quando ainda menina. Ela filha de uma mulher francesa que sabia ler e escrever e seu pai um cocheiro do ducado onde vivem. É tocante ir conhecendo a história de Leonora e ver todo o carinho do duque por ela.


A fragrância que trouxera as lembranças de quando o conhecera sob o carvalho, o bálsamo do lenço que secara as suas lágrimas, a essência que o tempo levara do casaco que ela jamais devolvera para ele.

O duque... Prepare-se para conhecer um homem que não mede esforços em ajudar seus amigos e age de mesma forma contra seus inimigos. Criado para ser duque, se impõem com o direito que o título lhe dá, mas sabe, como poucos, manter em igualdade para com aqueles que sente carinho, respeito e gratidão. Diz que sabe-se tudo a respeito de alguém vendo como esse trata a quem os serve, e com esse pensamento fiquei encantada com esse duque.

Porém nada parece vir fácil ou de graça para Leonora e em sua inocência existe uma coragem que a fará ser forte quando várias verdades forem sendo reveladas e muitos dos porquês de várias coisas que ocorreram a ela serão esclarecidos.

A dor da perda era o seu combustível; a raiva de si própria, a sua coragem; fora uma tola ao acreditar em um conto de fadas.


Nesse ponto da narrativa eu já estava completamente apaixonada pela escrita e narrativa da autora, os detalhes da época em que os fatos ocorriam já tinham me levado para dentro da história. E creio que fiquei também deslumbrada pelas figuras imponentes dos quatro que eram conhecidos como o quarteto do Norte.

Outra coisa que me agradou bastante foi o fato de durante toda a história Leonora não perder a fé e nem a integridade. E que as cenas se desenvolveram com uma beleza que me deixou ansiosa por ler a próxima história e conhecer um pouco mais de outro membro do quarteto. E também se eu tivesse sorte um pouco mais sobre como ficou a vida de Leonora após o fim dessa história.


 Segunda história: Quando os céus conspiram

Na edição impressa temos essa segunda história, que está ligada a anterior pelo fato de o conde Filippo Raspail ser o pai da querida Leonora de A Ama Inglesa. Porém essa, diferente da anterior, é inspirada na história real de Charlotte Hayes (século XVII), uma linda cortesã de um bordel londrino.


Assim, temos a história dela reescrita, agora com o nome de Amy Hayes, e como sua vida mudou ao tentar se matar no rio Sena e é salva por um cavalheiro, frustrando sua tentativa. Esse seria apenas um desfecho desesperado para Amy de um passado não tão distante quando era camponesa e escapara de ser estuprada por lorde Patchetts, e como se esse fosse seu terrível destino, dois anos depois foi violentada pelo filho bêbado de um fazendeiro.

Desonrada, ela se muda para Londres em busca de trabalho. Com a infelicidade de ser bonita demais para ser empregada de uma dama, restara a ela, portanto, A Casa das Damas, um conhecido bordel londrino que mantinha carruagem e criados de libré para suas damas da noite que eram ensinadas a se portarem como educadas ladies.

Nos seus dias de profunda angústia, chegara à conclusão de que só conhece a dor da perda quem um dia a sentiu.

E me lembrei do ditado que desgraça nunca vem sem companhia, porque se não bastasse sua vida de venda do corpo, para garantir um teto e um prato de comida, o visconde de Beauchamp, um dos lordes mais terríveis de Londres, tornara-se seu protetor, trazendo a Amy sua queda em total desgraça. Obrigada a ir com ele para Paris, num esquema de traição à Coroa Britânica, e vítima de toda sorte de abuso e violência, vê naquela tentativa de suicídio a única escapatória para a vida, como ela era.


Mas a conspiração celeste colocou o nobre Filippo Raspail em seu caminho, e assim vamos saber como foi sua história com a mãe de Eleonora, seu passado tremendamente infeliz. E a penitência que o levou a querer cumprir seus dias na terra para finalmente encontrar sua amada Juillet no outro lado do desconhecido.  A história se passa após a morte de Juillet, há mais de 20 anos, e o conde havia se enterrado com ela, pois a amargura o consumia dia após dia. E quando salvou Amy de seu fim no rio, pode ter encontrado o caminho para voltar à própria vida.

Aqueles foram os inapagáveis instantes de sua existência, aqueles perenes, que o tempo não desbota. Seriam lembrados para sempre como os mais doces momentos de sua vida.

Ambas histórias são lindas, maravilhosamente contadas e nessa segunda história vemos vários personagens da série desenvolvendo presenças decisórias no seu decorrer, que fala sobre esperança, segunda oportunidade e perdão. Porque o perdão mais difícil de ser dado é o que damos a nós mesmos, por nossas falhas, onde um cura o outro de suas feridas.


Sobre a edição física: ficou impecável com uma fonte e diagramação maravilhosas para leitura, a capa da edição em e-book da Ama e dentro entre as histórias a capa da edição em e-book de Quando os céus conspiram, fazendo vez de divisória para a segunda história. Foi um toque lindo para quem, como eu, gostaria de guardar a imagem no coração e no papel. Este por sinal amarelo, com espessura que não permite transparência e sem erros de digitação ou ortografia. Impecável o trabalho da editora Pedrazul.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

A Ama Inglesa
Um Livro, dois Romances: A ama inglesa e Quando os Céus conspiram
O Quarteto do Norte #2
Ano: 2018
Páginas: 244
Editora: Pedrazul
UM LIVRO, DOIS ROMANCES, POIS "QUANDO OS CÉUS CONSPIRAM" ESTÁ COMO ANEXO!

O segundo livro da série O Quarteto do Norte

Um conto de fadas do século XIX. A história de Leonora e do duque de Prudhoe.

Numa noite gelada em Newcastle, sem ter para onde ir, Leonora acaba se abrigando no celeiro de Pudhoe Castle, aconchegada à vaca da duquesa-viúva, quando foi brutalmente acordada pelo capataz da propriedade. Mas logo atrás dele vinha aquele cuja imagem permeara seus pensamentos durante cinco longos anos, o poderoso duque de Prudhoe, conhecido em toda a Europa por lorde Perverso. Mas Leonora não o achou perverso, muito pelo contrário, achou-o caridoso. Afinal, se não fosse por ele, certamente não sobreviveria àquela noite.


Editora Pedrazul atualmente é a editora que mais se dedica à tradução e à publicação de obras mundialmente consagradas, algumas ainda desconhecidas no mercado editorial brasileiro, como os autores que influenciaram o estilo da mais famosa escritora inglesa de todos os tempos, Jane Austen. Também atua no segmento romance histórico e de época escritos por autores contemporâneos.


 _____Sobre a Autora_____

Chirlei Wandekoken


Jornalista e pedagoga capixaba, filha de cafeicultores, mudou-se para Vitória aos 15 anos de idade, e desde então começou a construir sua vida. Casada, tem dois filhos (21 e de 18 anos de idade). Isto é o que se percebe em seu primeiro livro, "O Vento de Piedade", publicado pela Editora Saraiva, que conta a história de uma família de um vilarejo no interior de São Paulo. Uma história que começa em 1956 e se estende até 2000, citando vários fatos reais, especialmente os relacionados ao período da ditadura militar brasileira.
O talento profissional nas três áreas (jornalismo, pedagogia e literatura) e sua clara demonstração de que sabe aproveitá-lo muito bem comprovam que Chirley Wandekoken é uma mulher que, mais do que "a diferença", faz a soma.

Estudou na Universidade Federal do Espírito Santo. Atualmente mora em Vitória, Espirito Santo.

4 comentários:

  1. Oi. Li o livro por sua causa, e adorei. Ótima resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que notícia linda ♥ Obrigada por compartilhar comigo e por ter gostado da resenha, fiz com o coração. Beijos, Elis

      Excluir
  2. Oi Elis
    Como já disse antes, amei a premissa desta série e vou ler todos os livros.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mim é uma honra e uma alegria você ler os livros que me apaixonei de forma tão intensa. Aguardo ansiosa o que você vai achar dessas histórias. Beijos Elis

      Excluir

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!