Follow Us @soratemplates

29/04/2019

Resenha :: A Contrapartida


Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? (Marcos 8: 36)

Olá, faroleiros do meu coração!

Vamos de thriller psicológico hoje? O livro que li é A Contrapartida, de Uranio Bonoldi, publicado pela Editora Valentina.


Quando você tem nas mãos a solução do seu maior problema, pensaria na contrapartida dela? 

Dr. Octávio Albuquerque é um cirurgião médico, graduado precocemente, por possuir um intelecto fora do normal. Seus amigos tinham profunda admiração e respeito pelo profissional competente que se transformou. Filho de Cristina Costa Albuquerque, viúva, pois Tavinho perdera o pai assassinado num assalto quando ainda era criança. Cristina era uma mulher bem-sucedida, bonita e amorosa. 

Tavinho, ou melhor, o cirurgião Octávio Albuquerque Júnior, "atropelou" os anos letivos do curso de medicina com sua sede de vencer, passando por todos eles no menor tempo possível, mas com máxima qualidade. Dormia pouco e estudava muito, incluindo toda a carga horária necessária para exercer a profissão, participando desde muito cedo de cirurgias das mais diversas.

Iaúna era a governanta da casa de Cristina. Ela cuidou de Tavinho desde que ele nasceu. Uma das últimas sobreviventes da tribo Moxiruna, a índia foi resgatada por Cristina quando ainda era uma jovem estudante. Cristina deu teto, proteção e emprego para Iaúna, que passou a morar com os pais dela, até que estes faleceram.  Depois, Iaúna foi morar com a própria Cristina, recém-casada.

Iaúna sentia imensa gratidão por Cristina, pois, assim que esta se casou, oito anos mais tarde, levou-a para morar com ela e o marido, ajudar nas tarefas domésticas e também na criação de Tavinho, nascido dois anos depois. E sentia também orgulho das próprias conquistas, pois, por ocasião do falecimento dos pais –um infarto fulminante levou o sr. Costa e, quatro meses depois, em depressão, sua mãe, fumante inveterada, não resistiu ao câncer de pulmão –, Cristina cedera-lhe a bela casa deles, a fim de proporcionar um teto para aquela mulher que havia conquistado a simpatia da família.

O que ninguém sabia é que Tavinho e a índia Iaúna possuíam um segredo sombrio e que este foi o responsável pela inteligência excepcional do rapaz. Iaúna possuía profunda gratidão por ter sido resgatada da mata. Ela sofria perseguição por ter sido a única sobrevivente da chacina de seu povo. Por isso dedicou sua vida a cuidar daquela família, principalmente de Octávio Albuquerque Júnior. Ela não admitia que nenhum mal acontecesse ao rapaz, tampouco deixava que algo atrapalhasse seus planos quanto ao futuro. Então, quando Tavinho relatou para a governanta que não conseguia estudar e aprender a matéria na escola e que começou a sofrer bullying por isso, ela não pensou duas vezes.

Tavinho, enfim, é um menino que se considera feliz, um menino alegre e sorridente, que não deseja mal a ninguém. Porém, não consegue se sentir pleno pela grande dificuldade que tem nos estudos e por não vislumbrar a menor possibilidade de reverter a situação. Isso o está deixando aflito, pois enxerga o grande abismo que existe entre o anseio da mãe em vê-lo se tornar um grande profissional, quem sabe até um brilhante cirurgião, e essa situação que se mostra irreversível. ‘‘Que desespero, meu Deus, estou ferrado! Estou fodido!!!’’


Detentora dos segredos da magia Moxiruna, Iaúna apresentou ao jovem uma porção que lhe dará inteligência fora do normal. Mas como toda magia, isso tem um preço, nesse caso era a morte de alguém. Tavinho na época ainda era um jovem adolescente, não conseguiu avaliar a gravidade do preço cobrado. Quando o jovem experimentou aquele poder, não pode mais ser controlado. E assim a contrapartida da sua decisão começa a cobrar o seu preço. Toda magia tem seu lado sombrio. Tavinho demorou tempo demais para descobrir isso. Ele viu seu mundo perfeito ruir, juntamente com todos os seus sonhos. Quando ele descobre toda a verdade por trás da vida perfeita que ele levava, perceberá que pode ser tarde demais para voltar atrás.

Ao longo desses seis anos, Tavinho ficou sob forte proteção de Iaúna, mantendo boas doses de "suprimentos" que, dia após dia, mês após mês, ano após ano, faziam com que ele se superasse cada vez mais. Como era necessário um ritual a cada três, quatro meses, ele foi à casa de Iaúna, pelo menos, duas dezenas de sábados. Foram mais de 20 mortes dedicadas ao seu desempenho e a outros fatos que ainda estariam por ser revelados. Mais de 20 vidas ceifadas!

A leitura de A Contrapartida foi um mergulho numa história de suspense instigante. A cada página ela nos envolve na trama de forma que, quando os fatos são apresentados, nós ficamos completamente estupefatos. Ela é atual e moderna.

O escritor Uranio Bonoldi soube controlar as pistas da trama, de forma que só no final o leitor vai compreender a dimensão do problema em que o protagonista se envolveu. Ela também nos faz ponderar sobre o peso da sua decisão. Se tivéssemos no lugar de Tavinho faríamos a mesma escolha? Essa é uma decisão que no início podemos tomar facilmente. Contudo, conforme vivenciamos as consequências dela, entendemos que nem tudo que parece ser certo, de fato é.

A narrativa da história é em terceira pessoa, simples e objetiva, o que nos traz uma clareza na compreensão. Por isso, posso dizer que ela é muito aprazível e reflexiva. Os personagens que vivem ao redor do protagonista ajudam a contar a história, sendo bastante verossímeis.


Uma coisa que me incomodou foi que algumas situações não ficaram bem esclarecidas até a derradeira página. Elas poderiam ser melhor exploradas, como a origem do Moxirunas e da magia de Iaúna, o que aconteceria após a propina oferecida ao médico, Martha e o pajé. No final, acho que cada leitor tirará sua própria conclusão.

Porém, uma coisa era absolutamente certa: jamais o segredo de Iaúna e Tavinho lhe seria revelado. Jamais... O segredo pertencia apenas a eles dois e a ninguém mais. Ninguém!

Recomendo A Contrapartida para quem gosta de thriller sobrenatural e que, ao mesmo tempo, é tão real. A Contrapartida é para todos aqueles amantes de histórias que mexem com o seu racional e te faz duvidar das suas próprias escolhas.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

A Contrapartida
Um thriller sobre o poder de uma decisão. Qual seria a sua?
Uranio Bonoldi
Ano: 2019
Páginas: 336
Editora: Valentina
Sinopse:
“O que poucas pessoas têm em mente é que Cultura, no sentido mais amplo da palavra, não se restringe apenas ao entretenimento. O objetivo maior e primeiro da Cultura é nos transformar em pessoas melhores, agregando novos conhecimentos e percepções sobre nós mesmos, os outros e o entorno em que vivemos – é isso que A Contrapartida faz.
A sua leitura nos proporciona uma série de profundas e valiosas reflexões sem, contudo, deixar o entretenimento e o suspense de lado.
Com relação ao suspense, gostaria de fazer uma breve analogia com o mundo do cinema para ser mais claro em minha exposição. Um bom thriller é aquele que nos causa ansiedade para ver a próxima cena e nele os acontecimentos não são óbvios e declarados. Enfim, é o que aconteceu comigo quando li A Contrapartida – eu queria saber o que estava para acontecer na próxima página, de modo a poder ligar os fatos apresentados no livro e ter as respostas às perguntas que a leitura indiretamente me fazia.
Inevitavelmente, a leitura do livro me remeteu à Hollywood. Quando nos referimos a thrillers, logo vem à mente o nome de Alfred Hitchcock, cuja genialidade se encontrava em entender profundamente a psiquê do ser humano e em criar um estado emocional tão intenso no público, que seus filmes se transformavam imediatamente em sucesso. Essa mesma genialidade foi reproduzida aqui neste livro. O autor conseguiu criar caminhos mentais de condução de nós, leitores, em um mundo imaginativo de suspense e mistério dignos de um grande blockbuster.”
(Lion Andreassa – produtor e diretor de cinema da Lumix Art Films)


Para a Editora Valentina, leitura é, acima de tudo, entretenimento.
Olho vivo e faro fino.
Esse é, na verdade, o lema de todo grande editor. E a pinscher dessa editora encarna esse lema como ninguém.

6 comentários:

  1. Oieee. Fiquei curiosa para saber o segredo sombrio de Tavinho e a índia Iaúna . Eu adoro quando tem a cultura indígena nas histórias, pena que são pouco exploradas.
    Sua resenha esta perfeita, vou adicionar o livro na minha lista bjus.

    ResponderExcluir
  2. Oie.
    Eu sempre gostei de obras com essa pegada, acho que fazem sentido para leituras e para entender melhor esse lado mais sobrenatural. Como minha meta é ler mais livros do gênero, fiquei com bastante vontade de conhecer mais sobre a obra.
    Obrigado pela dica.
    Beijos.
    Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  3. Mas gente, quem não aprendeu que magia sempre cobra um preço...
    hahaha
    falando sério, parece um super enredo, tem tudo pra eu gostar!
    Não conhecia ainda e lerei com certeza quando puder!

    Osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Oii!

    Gostei muito da sua resenha e da premissa do livro, fiquei curiosa para ler... O personagem demorar para descobrir o preço a pagar, deve ter tornado tudo bem mais dolorido e difícil. Adorei! kkk Já vou anotar na lista, fiquei muito curiosa!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oiii

    Adoro thrillers psicológicos e achei essa premissa bem interessante e diferente, por trabalhar essa questão de magia indígena. Fiquei bem curiosa. Mexer com magina é algo complicado, pois as consequências podem ser altas demais.

    Anotado!
    Bjokas da Elo!
    http://cronicasdeeloise.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Primeiro quero deixar registrado que amei o nome do autor Urânio Bonoldi, com certeza um nome de presença! E segundo.. meu Deus QUE RESENHA! Me fez ter vontade de engolir cada página do livro e desvendar todo esse mistério por trás de Iaúna e Octavio! Amei a resenha, parabéns de verdade!!

    Isa do @leportraitdeisa.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!