Follow Us @soratemplates

09/04/2019

Resenha :: Uma Lição de Amor


O que é o amor? Um sentimento? Emoção? Uma coisa que nos faz perder metade do cérebro? É possível confundir amor com outra coisa? Paixão? Admiração? Gratidão? Amizade? Respeito? Afeição? Ou será que o amor é uma mistura de tudo isso e muito mais, formando uma coisa única? Eu sei que essas perguntas podem parecer meio sem noção ou, para algumas pessoas, sem quase nada de importância (principalmente para quem fala “eu te amo” mais do que fala “bom dia”), mas sabe, no fim das contas, todos nós precisamos de Uma Lição de Amor.


Vovó dizia que Deus havia plantado uma semente no meu coração e que quando ela germinasse eu seria capaz de fazer algo grandioso.

O livro é narrado em primeira pessoa pela protagonista Ana. Ela é órfã e depois de perder também a avó se muda do interior para o Rio de Janeiro para estudar Serviço Social. Enfrentando as dificuldades e medos da mudança de ares, ela conhece e recebe a ajuda de Otávio, que é praticamente um anjo na vida dela, e graças a sua amizade com ele, conhece também o seu irmão gêmeo, Eduardo.

Os dois não poderiam ser mais diferentes em suas personalidades. O Otávio estuda e se forma em Direito, assumindo a responsabilidade de fazer parte dos negócios da família; é mais responsável, pé no chão, é um pilar, uma rocha, é o cara que sempre está lá quando você precisa. O Eduardo, diferente do irmão, estuda e se forma em Medicina, depois de formado entra para o Médicos Sem Fronteiras e, se pensarmos já por esse lado, podemos perceber que ele é mais destemido, ousado, um espírito livre, mas também é um pouco imaturo e inconsequente. Se os dois fizessem parte do mundo distópico de Divergente, em suas facções, o Otávio seria da Abnegação e o Eduardo da Audácia.

Os dois, dentro de suas diferenças, desenvolvem uma sincera amizade com a Ana, mesmo com as diferenças de classes sociais. Mas uma coisa eles têm em comum: ambos são apaixonados pela Ana.


O Eduardo, graças ao MSF (Médicos Sem Fronteiras), passa um ano afastado da Ana, e quando volta está mais maduro e seguro pelo que sente pela sua Andorinha (apelido que ele deu para a Ana), que também começa a sentir mais do que amizade por ele. Mas nada é fácil para esses dois, e nem para o Otávio. E várias reviravoltas levam os três a caminhos não imaginados que podem afetar a vida deles para sempre.

Às vezes, a vida é injusta, não? Tanta gente boa morre enquanto assassinos, ladrões e estupradores estão vivos.

Uma Lição de Amor é dividido em três partes: a contagem regressiva para a doença; o período que abrange a doença e tratamento; e tempos depois, nos dias atuais. E desde o prólogo a gente já sabe que alguém vai ficar doente, só não sabe que doença é e como a pessoa doente vai terminar, então desde o início já dá para prever certo sofrimento, mas, pelo menos eu, não consegui imaginar que seria tanto.


Nenhuma mulher deveria agradecer a um homem por ser íntegro. Respeito é uma regra, Ana, e não uma exceção.

Eu gostei muito da escrita da Elysanna Louzada, ela é do tipo de autora que sabe mexer com as nossas emoções, sem deixar de nos ensinar algo durante a leitura, mas, algumas vezes, eu a achei muito sem coração, até comentei com a Elis (@efinco) que ela parece uma aprendiz de Nicholas Sparks, porque ohh autora que me fez sofrer (Elysanna, cadê seu coração, mulher? ). São tantas reviravoltas, que quando você para de chorar por alguma coisa, já acontece outra e você chora de novo, e de novo, de novo... É praticamente um looping feito de lágrimas. É sério!  Uma Lição de Amor foi o livro que mais me fez chorar em 2018, e olha que eu li muito ano passado e sou chorona por natureza. Então imagine o quanto de lágrimas saiu de mim! O livro físico deveria vir com uma caixinha de lenços de brinde, talvez até duas caixinhas (ou dez ).

Não se deve chorar quando se tem boas recordações, Andorinha. Guarde o choro para quando quiser lavar a alma.

Mas voltando... Eu achei a história bem construída, bem humana. Apesar de abordar diversos temas, não é um livro longo, e como ele flui bem dá para ler rapidinho, mas se você for meio sensível, eu indicaria que lesse aos poucos, dando pausas, para não sofrer e chorar tudo de uma vez.

Os personagens não são um poço de perfeição, eles têm inúmeras qualidades, porém também possuem defeitos, dúvidas, mas evoluem durante o livro. O Eduardo é um personagem que te faz suspirar, mas que também te faz querer estrangular ele. O Otávio é o meu personagem favorito, muitas vezes eu o achei um pouco inseguro (o que é compreensível), mas mesmo assim ele ganhou um quartinho só para ele no meu coração.

A Ana é uma protagonista bem fácil de identificar, gostei muito da maneira como a fé é importante na vida dela, e as dúvidas dela pareciam ser as minhas dúvidas, principalmente na parte do romance, com a espécie de triângulo amoroso que encontramos no livro. Até determinada parte do livro eu ficava meio em dúvida de qual irmão eu gostaria mais que ficasse com a Ana. Um traz um amor mais sem explicação, que só nasceu da amizade, do tipo “quando eu vi, já era amor”, um amor que é como fogo que já chega com tudo; e o outro traz aquele amor construído, conquistado aos poucos, da base ao topo, com cada atitude generosa, sem cobrança, um amor que conforta, que parece uma brisa suave, um mar de águas calmas. E no meio dessas dúvidas sobre o que sente, a Ana se pergunta se sabe o que é amor, e nós acabamos nos questionando sobre isso também.

Um me transmitia segurança, fé e esperança. Enquanto o outro trazia o calor e a alegria de volta ao meu peito. Com Otávio eu me sentia confiante e guerreira. Com Eduardo sentia-me viva.

Uma coisa que eu gostei muito nesse livro foi de como a autora abordou o Médicos Sem Fronteiras, falando um pouco sobre o sofrimento e descaso encontrado, que muitas vezes não é divulgado; ela abordou esse tema tão bem que em muitas partes chega até a dar um aperto no coração, mas também mostrou que tem pessoas que se importam, que fazem o que podem para ajudar o próximo, apesar das dificuldades.

Pouca gente quer encarar o lado negro do mundo.


Preciso confessar que eu enrolei meses para conseguir resenhar esse livro (até preciso pedir desculpas por isso ), não me entendam mal, não foi por não ter gostado dele, nem nada disso, mas pelo tanto de coisas que ele despertou em mim, o tanto que me fez chorar, por me desmontar e montar em inúmeras vezes. Quem leu sabe que é um livro que te faz chorar (muito), mas nem todo mundo que leu vai se colocar no lugar dos personagens, por ter algumas coisas que acontecem na história acontecendo na sua família, e assim, acabar chorando mais ainda, porque fica um pouquinho complicado separar ficção de realidade. Pode parecer meio confuso, ou sei lá o que, mas, nos primeiros meses depois que li, toda vez que eu pensava em algumas coisas que acontecem no livro, eu tinha vontade de chorar e aí não conseguia escrever nada sobre ele a não ser "é um livro que te faz chorar". E isso não valeria como resenha, né?

Sonhei que o amor era simples, a vida era doce e que o vento me levava para lugares maravilhosos, onde não havia dor.

Uma Lição de Amor é um livro que fala sobre perdas, superação, perdão... Mas, principalmente, é um livro sobre amor, em toda a sua complexidade e em todas as suas formas: amor à Deus; amor ao próximo; amor de amigo; amor de família, de filho, de irmão, de mãe, de pai, amor de homem, amor de mulher; amor a si próprio; amor que acalenta; amor que te transborda, amor que traz sofrimento, mas também alegria; amor que pode aparecer do nada, mas que pode ser a base de tudo.


Enfim, se eu indico a leitura desse livro? É claro que sim! Mas, só para avisar, a leitura deve ser feita com uma caixinha de lenços do lado. Até! 


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Uma Lição de Amor
Ano: 2014
Páginas: 246
Sinopse:
Depois da morte da sua avó, Ana Luísa foi para o Rio de Janeiro cursar Serviço Social, mas não imaginou que seria tão difícil adaptar-se à cidade. Quando Otávio, veterano do curso de Direito, apareceu disposto a ajudá-la, ela o viu como um porto seguro. Ele a apresentou à capital fluminense e também ao seu irmão gêmeo, Eduardo. À medida que Ana adapta-se ao Rio, a relação entre os três consolida-se em uma amizade sincera. Mas Eduardo forma-se em Medicina e entra para o Médicos Sem Fronteiras. Depois de quase um ano fora do Brasil, ele retorna amadurecido e disposto a conquistar Ana dando início a um triângulo amoroso que poderá destruir a relação com seu irmão.

Você já se perguntou o que é o amor? Pois é justamente isso que Ana Luísa se pergunta ao pensar nas reviravoltas que o destino reservou para sua vida. Disposta a viver seu grande amor, ela vai descobrir que nem sempre as coisas acontecem de acordo com o que planejamos.
Dramático, instigante e emocionante, Uma Lição de Amor vai colocá-lo diante do inesperado e do improvável apresentando a vida de uma maneira que, talvez, você nunca tenha notado. 


_____Sobre a Autora_____


Elysanna Louzada


Entreter e educar são os dois principais eixos condutores da carreira literária de Elysanna Louzada. Autora capixaba infanto-juvenil de obras adotadas em escolas e bibliotecas públicas e privadas, já esteve na lista dos 10 mais vendidos da revista Veja (categoria Ebooks) com os romances Uma lição de amor e Herdeiros do Trono, Drama e Fantasia, respectivamente, voltados ao público Jovem/Adulto.
Professora do Ensino Fundamental e Médio por 10 anos, formada em Letras-Inglês-Literatura, Elysanna Louzada iniciou sua carreira como escritora em 2011. Suas obras podem ser encontradas em diversas plataformas, como Amazon e Wattpad, e em lojas físicas.
Em julho de 2014 Elysanna Louzada foi homenageada na Assembleia Legislativa do Espírito Santo com a Comenda Rubem Braga. Busca parceiros em todo o país para promover o projeto social Biblioteca escolar. 
Além da escrita, Elysanna Louzada dedica-se a realizar palestras gratuitas em escolas públicas e privadas para motivar crianças e adolescentes a lerem e escreverem. Seus livros e carreira já foram cobertos por diversos veículos de imprensa nacional. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!