Follow Us @soratemplates

28/11/2017

Resenha :: Dumplin


Quando vi o lançamento deste livro, publicado pela Editora Valentina, a sinopse chamou a atenção, assim como a capa. A linda Elisabete Finco, gentilmente me emprestou seu exemplar para que eu realizasse a leitura, já deixo meu agradecimento aqui, por além disso, ter me tirado da zona de conforto (de novo)!

Em Dumplin’ conhecemos Willowdean, ou Will para os mais chegados, ela é uma adolescente de 16 anos, apaixonada por Dolly Parton e gorda assumida. A melhor amiga de Will, Ellen, é seu oposto, alta e magra, mas isso nunca ditou a amizade delas que vem desde a infância.

Dumplin’ é o apelido que Will recebeu de sua mãe ainda na infância (que ela não gosta muito, principalmente se for chamada assim em público), se trata de um bolinho frito. A mãe de Will é louca pelo peso, é uma ex-Miss do Concurso Miss Jovem Flor do Texas e, também, diretora deste. Lucy, a falecida tia de Will, era um porto-seguro para ela e também uma segunda mãe, o amor que Will nutria por ela era imensurável.
                            
Will, levava uma vida normal em Clover City (uma pequena cidade do Texas), mas quando começou a trabalhar numa lanchonete de Fast-food e conheceu - e ficou perdidamente atraída por – Bo, sua cabeça fica de pernas para o ar, e ainda mais quando descobre que o sentimento é correspondido.

“– Não podemos ter coisas maravilhosas o tempo todo. Esqueceríamos o quão são maravilhosas.”

Como a sinopse entrega, Will decide participar do Concurso Miss Jovem Flor do Texas e com ela, vão algumas meninas totalmente fora do padrão de um concurso de misses, o que achei sensacional. Esse concurso é um evento enorme na cidade, todos querem prestigiar, a mãe de Will fica realmente ensandecida nesse período, e aqui vemos essa relação entre mãe e filha, as trocas de farpas, o amor, as divergências, etc.

Ao longo dessa jornada, as personagens vão evoluindo e se redescobrindo, passando por diversos altos e baixos, e resolvendo os conflitos internos que tem, a forma que a autora foi conduzindo o livro me agradou porque ela conseguiu captar bem todas as inseguranças que temos nesse período conturbado de nossas vidas que é a adolescência.

Gostei muito da narrativa de Julie Murphy, bem leve e divertida, existem diversas passagens repletas de bom humor no livro que me fizeram gargalhar bem alto, e terminei essa leitura querendo ser amiga da Will! Acho que a autora conseguiu transmitir muito bem todos os dramas da adolescência, como: o primeiro beijo, o primeiro amor, insegurança com a aparência, novas amizades e intrigas, além da dor da perda. É um livro que vai muito além do peso.

“Há algo no bíquini que faz com que as mulheres achem que precisam que conquistar o direito de usá-lo. E isso é um absurdo. Na verdade, o critério é muito simples: você tem um corpo, não tem? Então veste um e manda ver!”

A capa do livro transmite muito bem do que a história se trata, os marcadores que a Editora Valentina fez são simplesmente encantadores e um mimo a parte, a diagramação está muito bem feita também (a única coisa que me incomodou um pouco foi que a primeira página de cada capítulo tem uma fonte maior do que o restante) e o livro possui capítulos curtos, o que me agrada muito.

Concluindo, recomendo a leitura, espero que gostem de Dumplin’ e que seja uma leitura bem divertida e leve, mas que também faça refletir. Novamente agradeço a Elisabete Finco por me tirar da zona de conforto e me apresentar, despretenciosamente, uma história tão divertida!

Até a próxima!

"O que vale é esse lembrete de que, seja você quem for, sempre haverá alguém mais bonito, mais esbelto ou mais inteligente. A perfeição não é nada mais do que um fantasma que perseguimos."

Nota :: 

Informações Técnicas do livro

Dumplin'
Cresça e apareça. Faça e aconteça!
Dumplin' #1
Ano: 2017
Páginas: 336
Editora: Valentina
Sinopse (Skoob):
Especialmente para os fãs de John Green e Rainbow Rowell, apresentamos uma destemida heroína e sua inesquecível história sobre empoderamento feminino, bullying, relação mãe e filha, e a busca da autoaceitação. Sob um céu estrelado e ao som de Dolly Parton, questões como o primeiro beijo, a melhor amiga, a perda de alguém que amamos demais e “estou acima do peso e ninguém tem nada com isso” fazem de Dumplin’ um sucesso que mexerá com o seu coração. Para sempre. Gorda assumida, Willowdean Dickson (apelidada de Dumplin’ pela mãe, uma ex-miss) convive bem com o próprio corpo. Na companhia da melhor amiga, Ellen, uma beldade tipicamente americana, as coisas sempre deram certo... até Will arrumar um emprego numa lanchonete de fast-food. Lá, ela conhece Bo, o Garoto da Escola Particular... e ele é tudo de bom. Will não fica surpresa quando se sente atraída por Bo. Mas leva um tremendo susto quando descobre que a atração é recíproca. Ao contrário do que se imaginava – a relação com Bo aumentaria ainda mais a sua autoestima –, Will começa a duvidar de si mesma e temer a reação dos colegas da escola. É então que decide recuperar a autoconfiança fazendo a coisa mais surreal que consegue imaginar: inscreve-se no Concurso Miss Jovem Flor do Texas – junto com três amigas totalmente fora do padrão –, para mostrar ao mundo que merece pisar naquele palco tanto quanto qualquer magricela.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!