Follow Us @soratemplates

24/02/2018

Resenha :: Sessenta Noites em Trindade


Oi pessoal, este livro me foi super recomendado por uma amiga e depois que minha irmã o ganhou ele em um evento, ela me recomendou mais ainda e na participação do projeto literário do Clube do Farol junto com o Amigo Livro, eu escolhi este livro como o primeiro para minha leitura. Que sensacional, Sessenta Noites em Trindade é uma linda história de amor, mas principalmente de amor próprio e renascimento interior. Estou encantada com as excelentes histórias que tenho lido de autoras nacionais, vale muito a pena prestigia o trabalho delas. Quero destacar que eu já adquiri o e-book deste livro.

Stella Maris Bitttencourt é uma doutora especialista em tartarugas-verdes de apenas 25 anos, ou seja, uma nerd, e juntamente com seu aluno Rafael Durval, está acompanhando sua chefe da UFRJ Cláudia Martins a uma expedição de dois meses na ilha de Trindade para pesquisas. A Dra. Cláudia conseguiu a permissão para que eles acompanhassem a equipe da Marinha que vai trabalhar na ilha. Só que um dia antes de embarcarem, os três resolvem participar de uma festa chamada de pré-cabritada, e é quando a Stella, com todo incentivo da amiga, resolve perder sua virgindade com um estranho, já que ficará tanto tempo longe da cidade não irá revê-lo.

É logo neste início da história que tudo já fica top... Além das coisas não terem acontecido como ela esperava, a Stella não contava que o lindo gato escolhido para realizar seu desejo não seria para sempre um desconhecido, ao embarcar no navio, numa baita ressaca, ela descobriu que teria que conviver com ele pelos próximos dois meses na ilha, afinal de contas, ele era nada mais, nada menos que o capitão-comandante do navio. Mas a surpresa também foi para nosso gotosíssimo capitão... rsrsrsrs.

“- Já falei para parar, Rafael. Cláudia ralha segurando a risada. – Sem humilhações. (...) - Ninguém mandou você torturar o Santo Antônio daquele jeito, Rafael continua. Você já desenterrou o coitado do vaso lá no laboratório? Porque se não fez isso, aquele santo está puto com você. – A raiz cresceu ao redor, eu cochicho, desanimada. – Se eu tirar o santo, eu mato a planta. – É a planta ou sua virgindade, amiga. Mata a planta, socorre o santo”.

Eric Saldanha é o capitão do Navio Almirante Saboa, e simplesmente ama trabalhar na ilha de Trindade, lá é um lugar onde ele encontra sua paz interior. Tudo o que ele não deseja mais é um relacionamento sério, afinal está divorciado e não quer repetir o desastre. Ele só não podia imaginar que após ter um momento de fraqueza na festa antes da viagem, a jovem desconhecida seria um dos civis presentes no navio para a viagem e para piorar, a tenente com que ele estava ficando, o tinha nomeado como namorado e que deu um jeito de estar no navio também. Já perceberam a complicação da história?  Ela só fica mais divertida.

“Ele ergue um centímetro o rosto, indicando que está de partida. Mas sabe-se lá por que, não parte. O que espera que eu faça, Capitão? Não estou sob seu total comando. Embora gostaria de estar sob seu comando. Se é que me entende. Firmo o olhar no seu, sem me preocupar que estou verde como a bruxa do oeste, descabelada e caótica. – Se me quer longe de você, mantenha distância também, eu murmuro tão baixo que duvido que ouça. Mas Eric sabe ler lábios. Despedindo-se de mim como se falasse com um de seus marujos, sai do quarto”.

A autora soube escrever um romance divertido, contendo sua dose de drama, bem caliente e emocionante. Os personagens secundários também são top e são eles que fazem a história toda valer. Divertir-me muito lendo este livro, como também teve aqueles momentos em que você quer matar o Eric e fica com pena da Stella. Mas o final é tudo de bom e você acaba por perdoar as falhas do personagem, afinal à confusão não foi intencional, foi tudo uma grande revolução do destino.

A capa do livro é linda e as folhas são amarelas, mas por se tratar de uma produção independente, a impressão não ficou boa, falta diagramação no texto. O livro merece uma revisão na pontuação e uma completa formatação como se tem no e-book. Agora a história é tão boa que você esquece estas falhas completamente e se concentra apenas na leitura. Torço muito para que a autora consiga fazer uma segunda edição deste livro. Dou nota 5/5 com um coração porque merece, eu amei a história.

Boa leitura,

Carol Finco

Nota :: 



Informações Técnicas do livro

Sessenta Noites em Trindade
Karina Heid
Ano: 2016
Páginas: 300
Editora: Independente
Sinopse (Skoob):
Pelos próximos dois meses, Stella estará isolada do resto do mundo. Parte de uma missão da Marinha com destino ao ponto mais distante da costa brasileira, ela não espera nada da viagem além de praias desertas, tartarugas marinhas e eventualmente alguns goles na bebida contrabandeada pelo seu doutorando pateta. 
Na noite anterior ao embarque, ela decide perder a única coisa que não faz questão de levar na mala: sua virgindade. Ao encontrar em uma festa um homem que a faz tremer nas bases, ela não pensa duas vezes antes de se aproximar. O que ela quer é simples, certo? 
Eric não tem ideia do que está fazendo naquela festa. Aborrecido com a insistência do celular, ele tenta entender em que momento baixou a guarda e se deixou envolver com a filha mimada do Almirante. Que parte de 'não quero um relacionamento' ela não entende? Por que é tão difícil acreditar que, para ele, o mundo dos romances é uma miragem?
Naquela noite única, o mundo de Stella e Eric irão colidir.
Um encontro que supostamente não deveria ver a luz do dia, muito menos as praias ensolaradas de um paraíso remoto...

Disponível no Kindle Unlimited
[+18 anos] Contém descrições eróticas

Um comentário:

  1. Amada, que resenha mais LINDA!!! E sim, RESENHA com letra maiúscula, que coloca comentário, pontos a melhorar, o que gostou, frases que marcaram... amei!!!! Muito obrigada pelo carinho!!! TOMARA aqui um dia eu consiga fazer uma segunda edição toda reformulada, com a diagramação que livros merecem ❤️

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!