Follow Us @soratemplates

25/07/2020

Resenha :: Lady Malícia (Damas de Aço #2)


Olá, quero falar da leitura de Lady Malícia, segundo livro da Trilogia Damas de Aço, que você já conferiu aqui no Clube a primeira história Lady Audácia (confira a resenha, clicando aqui). E, desde agora, digo: LEIA o quanto antes o primeiro livro e logo após esse, se você ama histórias bem escritas, excelentes romances, cenário maravilhoso e um pano de fundo com a nuance das melhores histórias.

Então, você já entendeu que o feito se repetiu, Karina Heid nos presenteia com mais uma história simplesmente fascinante e com o mesmo toque de maestria do anterior, porém totalmente novo e original, sendo absolutamente surpreendente.

Na história anterior, tudo que sabemos é que Charlotte simplesmente não pode estar com sua irmã no momento de seu primeiro parto. Tudo que sabíamos é que ela havia sido forçada a casar-se e partir. Porém, o mistério ficava ainda maior, porque, desde o começo do primeiro livro, o leitor sabia que Charlotte Thiessen mantém uma vida dupla: para a sociedade, ela é a herdeira de um império e para o submundo, é Lady Malícia, escritora de romances proibidos.

Contudo, a pergunta que ficou era clara. O que estava acontecendo e quando o Conde surgiu na vida de Charlotte? Os mistérios trazidos pela sinopse, mesmo sendo por si interessantíssimos, nem de longe nos preparam para a história incrível que a autora nos presenteia. Mais uma vez estamos em um cenário que a mim deixou ávida pelas diferenças culturais com a conhecida Inglaterra. Ah, como eu amo esse aprendizado enquanto me divirto durante a leitura. Cada detalhe — como a diferença no luto, nas distribuições dos títulos e na própria corte — me prendeu de forma ainda mais intensa à história.

Os romances estavam lá, mas os mocinhos não eram mais salvadores de donzelas em apuros: elas salvavam-se sozinhas.

Visto que Charlotte já nos prometia uma mocinha tão diferente de sua irmã Emma, a surpresa vem em especial no mocinho: Theodor, o Conde de Urach. Ele estabeleceu cedo na vida sua reputação. Distante, esnobe e arrogante, seu interesse pela mascarada é real, mas envolver-se com a jovem escritora de livros proibidos, não. Nem mesmo quando ela é chantageada por um empresário que afirma ter em seu poder provas de quem ela é. E assim acompanhamos e descobrimos como ela traçou seu futuro.

Ao se decidir conhecer um clube secreto para entender como funciona a sedução, encontra em um homem encantador a chance única de conhecer a arte do amor sem amarras. Enquanto descobre a verdade por trás das palavras que escreve, se vê chantageada por um empresário que afirma ter em seu poder provas de quem ela é, com a negativa de ajuda por parte de Theodor, se vê forçada a casar-se e partir.

Jamais esquecia uma ofensa ou uma injúria. Uma rejeição? Ela a embalava como um filho. Chocava como um ovo.

E aqui fica meu maior elogio a autora e a toda a história. Mesmo com esse revés em sua vida, a Charlotte manteve-se fiel tanto quanto possível a ela mesma. A quem ela era sem assim se perder e deixar de ser a personagem que já me cativou no livro anterior e que agora, à medida que essa história acontece, tornou-se uma amiga. Com suas lições, suas reflexões e, em especial, com sua visão de mundo tão pertinente a sua época e a minha.

Tudo que acontece, três anos depois, ela está de volta ao reino. Adorei o rumo que a história tomou de longe de ter sido um calvário, a permanência em Berlim a transformou em um fenômeno de vendas, graças ao seu genial — e falecido — marido. Agora viúva, seus desafios são outros: assentar-se em um castelo medieval, escrever sobre paixões e montar sua tão sonhada sociedade literária, além, é claro, de manter secreto o que precisa continuar secreto. E os tão amados personagens secundários seguirem conquistando um espaço mais do que especial na história e no coração de quem lê.

Como era traiçoeira a dor da culpa… Não avisava quando vinha, não mostrava quando partia.

Claro que nada é tão complicado, que não possa ficar ainda mais. Resistir a Theodor, no entanto, será um problema à parte. O Conde de Urach mudou e nem de longe parece ser o mesmo homem rude e distante que a dispensou. Para o coração remendado, ele representa perigo. E rumos que mantêm a leitura deliciosa do início ao fim. Que antes de terminar já deixa o gosto da saudade desses personagens e que encontra na surpresa ao fim do livro um alento mais do que bem-vindo a esse sentimento, de não querer que acabe.

Termino assim mais uma história encantada e inebriada pelo talento da autora de tocar o  meu coração de uma forma tão especial com essa história, com essa personagem que, para mim, se tornou querida. Espero que você aproveite para ler e também se encantar com mais essa história e, claro, aguardar comigo ansiosamente pela próxima.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Lady Malícia
Damas de Aço #2
Karina Heid
Ano: 2020
Páginas: 371
Editora: Independente
Sinopse:
Reino de Württemberg, 1868

Charlotte Thiessen mantém uma vida dupla: para a sociedade, ela é a herdeira de um império. Para o submundo, é Lady Malícia, escritora de romances proibidos. Quando decide conhecer um clube secreto para entender como funciona a sedução, encontra em um homem encantador a chance única de conhecer a arte do amor sem amarras.
Theodor, o conde de Urach, estabeleceu cedo na vida sua reputação. Distante, esnobe e arrogante, seu interesse pela mascarada é real, mas envolver-se com a jovem escritora de livros proibidos, não. Nem mesmo quando ela é chantageada por um empresário que afirma ter em seu poder provas de quem ela é.
Forçada a casar-se e partir, Charlotte jura nunca mais olhar para o conde outra vez.
Três anos depois, ela está de volta ao reino. Longe de ter sido um calvário, a permanência em Berlim a transformou em um fenômeno de vendas, graças ao seu genial - e falecido - marido. Agora, seus desafios são outros: assentar-se em um castelo medieval, escrever sobre paixões e montar sua tão sonhada sociedade literária - além, claro, de manter secreto o que precisa continuar secreto.
Resistir a Theodor, no entanto, é um problema à parte. O conde de Urach mudou, e nem de longe parece o mesmo homem rude e distante que a dispensou. Para o coração remendado, ele representa perigo. Especialmente por entender tão bem de castelos, paixões avassaladoras e segredos tão grandes quanto os dela...


Para comprar:

 E-book

Um comentário:

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!