Follow Us @soratemplates

18/11/2020

O Clube Entrevista :: Marcio Zanini


Oi, faroleiros!


Temos entrevista com autor nacional hoje! E dessa vez é com a autor Marcio Zanini, que escreveu o livro “Matadouro de Pecados” (resenha aqui) e adaptou lindamente a história de “Anne de Green Gables” em quadrinhos (resenha aqui). Vamos à entrevista?



Marcio Zanini mora atualmente em Bauru, São Paulo. Já trabalhou como editor, desenhista, e foi selecionado em diversas antologias. Atualmente trabalha como preparador de texto e escreve seus próprios livros, entre eles, Crônicas de Markus, que teve unanimidade em críticas positivas. Apaixonado por filmes, séries, desenhos, videogames e todo o universo da cultura pop, tem preferência em escrever histórias com profundidade psicológica, thriller e suspense, onde os personagens se veem em situações que os obrigam a mudar para sobreviver e evoluir. Nas horas vagas, faz amizade e conversa com outros apaixonados por leitura nas redes sociais e passeia com sua cachorrinha: Cassie.



 Clube do Farol: Como nós do Clube somos “espíritos irmãos”, queremos saber: para alguém tão ligado a suspense e thriller, como foi trabalhar na adaptação em quadrinhos da ensolarada “Anne de Green Gables”?

 

Marcio: Não foi tão complicado quanto pensei que seria, antes de começar. Eu sou fã da série e dos livros. Já havia assistido e lido, conhecia bem a história, sua mensagem e moral. Além do desenvolvimento do personagem que precisava se adaptar ao conceito de família enquanto crescia como pessoa. Posso dizer que amo um bom trhiller de suspense, mas mais do que isso, amo uma boa história. Eu posso assistir UP – Altas aventuras e logo em seguida assistir It, pra depois assistir Senhor dos Anéis. Consigo entrar fácil no universo que estou trabalhando.



 Clube do Farol: Além do seu livro publicado na Editora Coerência, pelo selo Plus+, já tem em mente o seu próximo livro? Ou já está concluído? (Sim, depois de ler “Matadouro de Pecados”, essa é uma pergunta que muito nos interessa, risos). Conta para a gente os seus futuros planos no mundo literário.

 

Marcio: A mente de um escritor nunca para (rs). Tenho alguns livros já escritos, mas não lapidados. Outros já começados e etc. Eu e minha editora estamos pensando no próximo, e decidindo, entre os livros que tenho, qual seria o melhor a ser publicado. Mas me manterei na mesma linha editorial. Livros para leitores adultos. Com muito suspense, intriga e desenvolvimento psicológico dos personagens.



 Clube do Farol: Os autores costumam colocar alguma característica sua em seus personagens. Qual personagem da sua história tem alguma coisa parecida com você? Algumas surpresas no livro vão além da sinopse, elas foram propositais ou, de algum modo, fazem parte de um mistério maior, revelado na continuação?

 

Marcio: Como autor, pego tudo que vivi e vi outras pessoas vivendo e moldo para a realidade que estou criando, e às vezes isso acontece inconscientemente. Sempre há algo de mim e de outras pessoas. Não a ponto de ser uma biografia (rs).

Algumas coisas foram omitidas da sinopse para serem surpresas. Além de autor, também sou leitor, e adoro me surpreender. Quis que meu leitor passasse por essa experiência.



 Clube do Farol: As histórias “se escrevem” sozinhas ou você pensa na trama inteira, seguindo depois um esquema previamente traçado?

 

Marcio: Eu já escrevi sem saber onde a história ia me levar. Tendo apenas uma trama central e mais nada. Não funcionou comigo. Hoje eu penso em tudo antes. Em tudo mesmo, cada capítulo e detalhes. Passo mais tempo esquematizando a história, pensando e anotando, do que realmente escrevendo no word. Tenho vários livros completamente criados em anotações, mas não escritos no word. Quando a editora me pede algo, decidimos entre todas as histórias que tenho qual a mais atrativa para o momento. Ai sim eu sento e escrevo.



 Clube do Farol: Como é a sua rotina de trabalho com a escrita? Você estabelece metas para si mesmo? Falando sobre o seu processo de criação, quais são os desafios diários de ser escritor?

 

Marcio: Para o meu trabalho como coordenador editorial, minha rotina segue a de oito horas diárias. Para não me perder, tudo é programado com cronogramas, o que farei cada semana e em que projetos irei trabalhar.

Para meus livros uso as horas vagas, um domingo ocioso, por exemplo. 



 Clube do Farol: Qual é o papel das redes sociais para o seu trabalho de escritor? Como é a sua interação com seus leitores na Internet? Eles sugerem novas histórias?

 

Marcio: Redes sociais é a coisa mais importante para o escritor nacional. Não somos nada sem ter que nos leia. O leitor é muito mais importante do que quem conta a história. Eles são os astros desse mercado. Se um escritor deixa de publicar hoje, amanhã surgem mais cem lançando livros. Amo meus leitores e faço questão de dar atenção e agradecer cada um deles pela oportunidade de ser lido. Eles merecem, deixaram de comprar um Stephen King para comprar meu livro. Mesmo com a vida corrida, sempre que alguém me marca em uma publicação, estarei lá curtindo, respondendo...

Até hoje ainda não surgiu novas histórias das conversas que tenho com os leitores.



 Clube do Farol: Para finalizar essa entrevista, gostaríamos que você deixasse uma mensagem para seus leitores no Clube do Farol.

E, claro, de antemão agradecer pela generosidade em dispor de tempo para responder nossas perguntas.

 

Marcio: Querido leitor. Você não está sozinho lendo meu livro. Eu estou junto com você. Pode me chamar nas redes sociais depois de ler cada capítulo e conversar comigo sobre. Vou adorar e prometo não dar spoiler (rs). 




Conheça mais sobre o autor Marcio Zanini
em suas redes sociais:


Um comentário:

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!