Follow Us @soratemplates

02/04/2020

Resenha :: Um Amor de Dorama (Antologia)


Olá, leitores!! Comecei a leitura desse livro, porque minha filha começou a se interessar pela cultura dos Doramas e K-Pop. E eu aproveitei a seleção de contos românticos inspirados na cultura asiática contemporânea para entender um pouquinho do fascínio que tem causado nela. Para quem, como eu, desembarcou pela primeira vez nesse universo, aviso que o livro tem um glossário com os termos que são próprios desse universo da cultura pop oriental, mas vale eu dizer que: 

Dorama — drama japonês, também nomeado como j-drama, é a designação dada aos dramas televisivos em língua japonesa realizados pela televisão do Japão. Todas as principais redes de televisão do país produzem uma variedade de séries dramáticas, incluindo romance, comédia, histórias de detetive, horror dentre outros. E que o K-Pop   é um gênero musical originado na Coreia do Sul, que se caracteriza por uma grande variedade de elementos audiovisuais, tal qual as boy-bands que conhecemos.

Devidamente explicados os termos, vale dizer que os contos têm um jeito diferente e isso é legal porque tira da zona de conforto sem ser uma coisa desconfortável, mas sim curiosa. Para mim o mais complicado foram os nomes, rs. Soam quase como uma frase inteira, mas até o estranhamento passou depois do primeiro conto.



Só Uma Chance
(Ana Cleide da Silva)

Apesar de corrido o conto não apela para o triângulo amoroso, mostra um conhecimento bacana do universo coreano, mas eu teria preferido, ao invés do glossário, os significados dos termos como notas de rodapé. Apesar do final um pouco corrido trouxe surpresas e reviravoltas, que deixaram o gostinho de “adorei” no fim da leitura.


Coisas do Destino
(Mia Antiere)

Eu sinceramente me diverti nesse conto, que tem uma pegada de comédia romântica, e cada reencontro foi uma rodada de surpresas e até boas risadas. A narrativa da autora, leve e fluida, deixou a leitura ainda mais prazerosa.


Fan Meeting You
(Sâmella Bridges)

Conto com narrativa masculina, tem aquela pegada gostosa de alguém que não queria estar onde estava, mas que decide se divertir e não estragar tudo para si e para a irmã a qual foi como acompanhante. Outra coisa gostosa foi se passar em um show “especial”, onde os fãs interagem mais com os ídolos. Esse, com certeza, foi um dos que mais curti.


Um Dia Com Meu Ídolo
(Ninah Schmutz)

Quem nunca se apaixonou por seu ídolo que atire a primeira pedra. E, claro, quem nunca sonhou em transformar em realidade que atire a segunda. Nesse conto os sonhos podem ser reais e deixam aquele gostinho que as histórias ficam ainda melhores quando eles acontecem.


Aprendendo a Amar — Não Há Momento Certo Para o Amor
(Laura Castro)

Esse foi o conto que menos me conquistou, porque acontecem coisas demais em pouco tempo, acho que daria um livro incrível, mas que no conto ficou meio surreal.


Primeiro Amor
(Dominique Guarnieri)

Foi muito legal acompanhar uma amizade que virou amor e quase deixa de existir por medo de perder o que já tem e não ganhar o que deseja. Com uma narrativa simples e delicada, foi muito legal acompanhar o fim, ou melhor o começo dessa história de amor.


Um Coreano Flechado Pelo Cupido
(Jaque Salema)

Mais uma vez, temos o gostinho da comédia romântica, quando o cupido resolve resolver suas questões pendentes acertando, em uma flechada só, dois de seus casos mais perdidos, afinal eles fogem dessa flecha a algum tempo. E agora é a vez do cupido deixá-los para lidar com o problema que não é mais seu. Acho que o único defeito é não se parecer tanto com um Doroma, focou mais nos personagens e esqueceu  um pouco da ambientação.


A Secretária
(Alison M. King)

O drama fica bastante em primeiro plano e coloca uma lição valiosa sobre o que é realmente importante e o que pode deixar seguir seu curso natural. Entretanto, eu senti uma empatia grande pelo sofrimento da personagem por entender que na cultura dela aquela atitude é a esperada, a ensinada. Como o final agradou muito, eu acabei curtindo a história bem mais do que pensei.


DRAMARAMA
(Lilly Belmount)

Achei uma divertida brincadeira com quem se mantém longe do mundo dos Doramas e acaba caindo do sonho à realidade dentro desse universo tão particular.


Casamento Arranjado
(Kiara Vargas)

Leve, divertido e, mesmo com o toque de mistério não sendo para surpreender, rendeu uma história bem gostosa de acompanhar, afinal quem disse que tudo precisa sempre dar errado, não é mesmo?


O Destino de Choi In Há
(Ana Cleide da Silva)

Esse conto encerra bem a antologia, gostei em especial do ar de conto de fadas que a história tem. Após a leitura dos outros contos, eu já esperava pelo final e não me decepcionei com a expectativa que tinha criado.



Concluo dizendo que para nós não acostumados nesse universo algumas vezes é estranho a trama e o desfecho e, justamente por isso, quero explicar que: é um humor feito pensando em crianças, visto que os Doramas de comédia romântica têm, em sua maioria, uma classificação etária por volta de 12 anos. Então, lendo com a expectativa correta, você vai se divertir muito com essa antologia e suas histórias de amor, uma dose de tragédia e seus finais fofos.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Um Amor de Dorama
Antologia
Mia Antiere, Ana Cleide da Silva, Sâmella Bridges, Ninah Schmutz, Laura Castro, Dominique Guarnieri, Jaque Salema, Alison M. King, Lilly Belmount e Kiara Vargas
Ano: 2019
Páginas: 172
Editora: The Books
Sinopse:
Uma seleção de contos românticos inspirados em Doramas e K-Pop.
Uma viagem pela cultura asiática contemporânea.


Para comprar:

Livro Físico
E-book

2 comentários:

  1. Ai meu Deus!!!! Que resenha linda! <3

    ResponderExcluir
  2. Ah, que amor de resenha! Realmente a parte dos nomes é uma das mais complicadas no início, eu pensava que nunca fosse decorá-los direito, mas com o tempo você acostuma hehe Fico muito feliz em saber que você gostou do meu conto, obrigada pela sua resenha! ❤❤❤

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!