Mostrando postagens com marcador Bertrand Brasil. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Bertrand Brasil. Mostrar todas as postagens

05 abril, 2022

Resenha :: Turma da Mônica: Amigos da Floresta

abril 05, 2022 0 Comentários



Olá, pessoa, tudo bem? A história de hoje mexe com a imaginação e a memória afetiva de muitas pessoas, e, assim como antes, continua sendo uma porta de entrada para o mundo literário e também de alfabetização de futuros leitores. Afinal histórias em quadrinhos com a Turma da Mônica são, sem dúvida, conhecidas de todos os brasileiros. Desde os saudosistas das bancas de revistas, até os mais tecnológicos, com as HQs digitais.

23 outubro, 2021

Resenha :: A Biblioteca da Meia-Noite

outubro 23, 2021 0 Comentários



Escrevendo essa resenha minutos após ler esse livro. Acho que não poderia ser sincera com meus sentimentos por ele se deixasse a sensação esfriar, mesmo que tenha completa certeza que não o vá esquecer. Vocês já leram um livro que tiveram a sensação que mudou um pouco sua vida? Estou me sentindo ainda trêmula por excesso de sentimentos que essa leitura me jogou, que me tirou até o ar. Eu confesso que A Biblioteca da Meia-Noite talvez tenha sido esse livro para mim.

11 abril, 2020

Resenha :: Melancia (As Irmãs Walsh #1)

abril 11, 2020 0 Comentários

As pessoas estão sempre encorajando-se mutuamente a fazer coisas que sabem que a outra pessoa não fará. E, depois, levam o maior choque quando a pessoa realmente faz.

Marian Keyes é uma autora irlandesa e já escreveu vários best-sellers e alguns com nomes bem sugestivos, como Melancia, Sushi e outros...

Quando uma vendedora me indicou Melancia, ela me apresentou o livro como se fosse livro de autoajuda (que não gosto), acabei desistindo da compra. Procurei resenhas e vi que é um estilo de leitura que “ajuda” pessoas que passam por dificuldades cotidianas, passando mensagens de superação. Que é o que acontece com Claire, que vive em um casamento aparentemente feliz e que, logo após o parto de sua primeira filha, seu marido lhe comunica que irá abandona-la para morar com uma vizinha com quem ele tinha um caso há seis meses.

O amor-próprio não mantém você aquecido à noite. O amor-próprio não escuta você no fim de cada dia. O amor-próprio não lhe diz que prefere fazer sexo com você do que com Cindy Crawford.

Quando Claire se vê abandonada com uma filha recém-nascida, tendo que passar a licença maternidade na casa dos pais, acaba caindo em uma profunda depressão pós-parto.

Claire passa por todos os níveis da depressão, mas acaba superando todas as dificuldades e até acaba encontrando um novo amor.

O livro é cheio de reviravoltas, tem apoio da família, o que a ajuda muito. O modo como a autora passa cada situação deixa o livro leve, engraçado e emocionante. Adam é um personagem muito lindo e fofo, dando a Claire um sentido a sua nova situação de vida.

Da mesma maneira como os camareiros do Titanic estavam mais preocupados com os cinzeiros não esvaziados do bar do que com o enorme buraco do lado do navio, que deixava entrar milhões de litros de água, eu também estava preocupada apenas com o que não tinha importância, e ignorava, assim, o que era vital. Algumas vezes, é mais fácil dessa maneira. Porque, embora eu não pudesse fazer droga nenhuma com relação ao enorme rombo, ainda estava ao meu alcance esvaziar um cinzeiro.

Conforme o tempo passa, as coisas vão se encaixando na sua vida, e o retorno de seu marido só lhe dá mais força para lutar pelos seus objetivos, já que ele é um canalha completamente imbecil.

Neste livro também conhecemos as irmãs malucas de Claire, sendo assim passamos a conhecer um pouquinho de Rachel, a protagonista de Férias, outro livro de Marian Keyes (resenha aqui).

Uma livraria para mim era como uma Caverna de Aladim. Mundos e vidas inteiros podem ser encontrados logo atrás das capas lustrosas. E tudo o que você precisa fazer é olhar.

Com uma narrativa simples e fácil e com um final que eu adorei. Um livro que nos passa que é difícil, mas não impossível, superar certas dificuldades...

Confesso que este não é o meu preferido da autora, apesar de ter gostado muito de Melancia, gostei mais de Férias (meu preferido).

Liberdade é apenas mais uma palavra para definir a situação de quem não tem mais nada a perder.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Melancia
As Irmãs Walsh #1
Ano: 2003
Páginas: 490
Editora: Bertrand Brasil
Sinopse:
Melancia é um romance sobre sobrevivência e a arte de manter o bom humor mesmo diante das circunstâncias mais adversas.
Com 29 anos, uma filha recém-nascida e um marido que acabou de confessar um caso com a vizinha, Claire Walsh se resume a um coração partido e um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia. Não tendo nada melhor em vista, ela volta a morar com sua excêntrica família. Depois de muitos dias em depressão, Claire decide avaliar os prós e contras do casamento, e começa a se sentir bem melhor. É justamente nesse momento que James, seu ex-marido, reaparece. Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa…

27 março, 2020

Resenha :: Férias (As Irmãs Walsh #2)

março 27, 2020 0 Comentários

Raquel tem muitos problemas, e o maior deles é que ela é a única pessoa que não entende isso. Ela acha que tem a vida perfeita e que seu maior problema é calçar o número 40 e o fato de ela beber e se drogar, em todos os momentos possíveis, a faz agir como se ela só fizesse isso para se divertir e curtir a vida aproveitando tudo do jeito que pode. Com sua vida perfeita e um namorado que a adora, tudo isso vem abaixo quando ela tem uma overdose e seu pai decide que o único jeito de resolver o problema é interná-la em uma clínica de desintoxicação. O que para Raquel era algo sem propósito e sem fundamentos.


E como se recusa a aceitar o tratamento é dispensada por Luke, que é quem a encontra desmaiada e chama por socorro e avisa a seu pai.

Quando descobre que a clínica já foi frequentada por gente famosa, ela se convence de que essa é uma ótima oportunidade para tirar umas merecidas férias.

Depois de pensar bem no assunto, um centro de reabilitação me pareceu uma boa ideia. Uma ótima ideia. Eu não tirava férias há séculos. Bem que andava precisada de um descanso, um pouco de paz e serenidade… Já me fantasiava passando horas a fio sentada, envolta numa toalha enorme. Imaginava a sauna, as massagens, as sessões de talassoterapia, os tratamentos à base de algas, esse tipo de coisas. Eu comeria frutas e mais frutas, prometi a mim mesma, nada mais do que frutas, legumes e verduras. E beberia litros de água, pelo menos oito por dia. Para dar uma boa descarga no meu organismo, purificá-lo.

No início estava tudo muito bom e ela se sentia em um SPA. Raquel não está disposta a admitir um problema que ela tem certeza de que não tem.

A convivência com os outros internos e com seus problemas a faz ter uma atitude diferente e pensar que talvez sua vida não fosse tão perfeita assim e que talvez seu namorado, sua melhor amiga e colega de quarto e sua família só a internaram porque queriam o seu bem.

Então Raquel resolve dar a volta por cima e dar um ponto final nessa confusão que virou a sua vida.

Ela custa, mas entende que na vida as coisas nem sempre são fáceis e que fugir da realidade não é a solução.

Passamos a gostar de Raquel, conforme vamos conhecendo ela melhor.

Sempre detestei ouvir o que as pessoas pensavam de mim. Minha vida inteira fora uma tentativa de fazer com que as pessoas gostassem de mim, e era difícil ouvir a extensão do meu fracasso.

A história é cheia de tiradas hilárias com as gafes e as maluquices que Raquel apronta.

O livro é uma lição de vida e de superação. Com um final lindo e apaixonante. Luke é um personagem encantador que ela pinta como vilão, mas, aos poucos, vamos vendo que não é bem assim.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Férias
As Irmãs Walsh #2
Ano: 2003
Páginas: 560
Editora: Bertrand Brasil
Sinopse:
Um romance que é, a mesmo tempo, comovente, forte e muito, muito engraçado
Após perder o emprego em Nova York, ser deixada pelo namorado Luke Costello e quase morrer de overdose, Rachel Walsh (irmã de Claire, de Melancia) é obrigada pelo pai a se internar em uma clínica para dependentes químicos na Irlanda. Pensando que iria para um spa curtir férias, Rachel se revolta quando descobre que está internada em um centro de reabilitação, e se recusa a admitir que tem sérios problemas. Ela precisará atravessar uma intensa jornada até reconhecer seus erros e reconquistar as pessoas que mais ama.

29 novembro, 2019

Resenha :: Um Reino de Sonhos

novembro 29, 2019 1 Comentários

Oi, pessoal. Hoje vou falar do primeiro livro da Trilogia WestmorelandUm Reino de Sonhos, da autora Judith MacNaught, lançado pela Bertrand Brasil. Confesso que sou fã desta autora há muitos anos e que fiquei muito feliz com o lançamento desta trilogia para poder adquiri-la, pois eu já havia lido e simplesmente amo as histórias e o jeito de escrever da Judith; tanto seus romances de época, como os contemporâneos.

Com esta releitura, percebi que o nosso ânimo influencia bastante no gostar ou não tanto de um personagem, como da história em si. Logo no início da leitura estava tomando certo ranço da mocinha, mas fui em frente porque eu já sabia se tratar de uma história fantástica. As personalidades dos personagens vão sendo descritas ao longo da narrativa, assim você tem a oportunidade de ir reavaliando sua opinião sobre os mesmos. Este é um romance medieval, e autora utiliza os conflitos entre a Inglaterra e Escócia para inserir o enredo de sua história de maneira muito verdadeira para o que acontecia de verdade na época.

Jennifer Merrick é uma jovem podemos dizer que única. Ela é condessa por herança da sua mãe, já que na Escócia as mulheres podiam herdar títulos de nobreza. Seu clã é apoiador do Rei Tiago da Escócia e tem verdadeiro horror para com os ingleses. Sua personalidade forte e a inveja de seu meio irmão para com ela, a levou a ser mandada para um convento pelo seu pai, juntamente com sua meia irmã mais nova. Ela é uma jovem menosprezada por seu pai, que a utiliza apenas como um pião, afinal ela não passa de uma mulher, também é menosprezada pelo seu clã, mas apesar de tudo isto, tudo o que ela sonha é reconquistar o amor e respeito de todos. Já havia se passado dois anos que tinha ido para o convento, quando recebe a notícia que irá finalmente retornar para casa, porém, ela não contava ser raptada, juntamente com sua irmã, pelo maior inimigo de todos os clãs escoceses, o Lobo Negro.

— Eu realmente não sou orgulhosa — disse ela com um sorriso encantador, bem ciente de que ele estava, sem dúvida, referindo-se à sua aceitação tardia e nem um pouco amável da trégua que lhe oferecia. — Sou apenas decidida, acho. Teimosa também. E voluntariosa. Mas não orgulhosa.
— Os rumores e minha própria experiência com você me levariam a pensar o contrário.

Royce Westmoreland é um cavaleiro do rei da Inglaterra, temido por todos em batalha por ser considerado invencível, e quando seu irmão lhe entrega de bandeja as filhas do inimigo do seu Rei, ele planeja então usá-las. Ele só não contava com todos os transtornos que a filha mais velha lhe traria, porém é justamente o desafio e falta de medo dela para com ele que desperta os seus desejos, afinal existe diversos tipos de batalha, e nada melhor do que domar um potro selvagem em forma de mulher. Mas isto lhe traz mais problemas do que ele desejava para com o seu soberano.

Royce se perguntava, com o cenho fechado, como era possível que intimidasse cavaleiros, nobres, escudeiros e soldados endurecidos pela batalha a fazerem o que ordenava com um único olhar, mas não conseguia forçar uma jovem escocesa teimosa e desafiadora a se comportar. Ela era tão imprevisível que tornava impossível antecipar sua reação a qualquer coisa. Era impulsiva e obstinada, e lhe faltava completamente com o respeito que cabia a uma esposa.

O desenrolar de toda a história é impressionante, com personagens secundários maravilhosos e uma narrativa extremamente detalhista. Esta não é uma história fofa, pelo contrário, é extremante forte, com umas partes cômicas para dar aquela leveza. O final para mim foi espetacular e por isso recomendo que você persista na leitura até o fim.

Esta nova edição da Bertrand está maravilhosa em todos os sentidos, papel, diagramação, tradução e capa. Esta é uma história 4,5/5.

Boa leitura,

Carol Finco


Nota ::  4,5


Informações Técnicas do livro

Um Reino de Sonhos
Um romance da Dinastia Westmoreland
Dinastia Westmoreland #1
Ano: 2018
Páginas: 378
Editora: Bertrand Brasil
Sinopse:
Royce Westmoreland, o “Lobo Negro”, é enviado pelo rei da Inglaterra para invadir a Escócia. Quando seu irmão, Stefan, sequestra Jennifer e Brenna Merrick, filhas de um lorde escocês, do convento onde vivem, as vidas de Royce e Jennifer se entrelaçam. Ele, um poderoso guerreiro que já ganhou muitas batalhas, não vê a hora de encontrar uma mulher que o amará pelo homem que é, não pelo medo inspirado por sua lenda. Ela, uma jovem rebelde em busca do amor e da aceitação de seu clã, mesmo na condição de prisioneira, não se deixa abalar pela fama de seu arrogante captor.
Conforme os conflitos entre os dois se tornam mais frequentes, a urgência de se entregarem um ao outro só aumenta. Certa noite, quando ele a toma apaixonadamente nos braços, desperta nela um desejo irresistível. Mas, se Jennifer seguir seu coração, perderá tudo aquilo pelo que vem lutando e jurou honrar.

27 outubro, 2018

Resenha :: Ao Pôr do Sol

outubro 27, 2018 0 Comentários

Olá faroleiros, hoje vou postar aqui uma resenha especial. Eu possuo um blog de romances chamado Pretenses, é praticamente um blog fã da autora Nora Roberts, porém, como eu amo romances no geral e existe tantas autoras maravilhosas deste gênero, há resenhas de outras autoras também, mas focado em romances internacionais. Sendo assim, os outros livros que amo ler e faço resenha, posto aqui no Clube para compartilhar com vocês. E fazer parte deste clube é uma alegria enorme e uma honra.

Então, reposto esta resenha aqui em uma homenagem minha ao Pretenses, blog meu e da minha irmã, @efinco, que completou, agora em outubro, 2 anos de existência e te convido a fazer uma visitinha ao Pretenses e conhecer um pouco mais dele e da diva Nora. Se você já o conhece e nos curte, agradeço por seu carinho conosco lá também.

O que falar de uma história tão fantástica, sem dar spoiler é o meu desafio nesta resenha. Por isso vou abordar um pouco mais do enredo em torno da sinopse e falar as minhas impressões sobre este livro, que, assim como os últimos lançamentos da Bertrand, veio cheio de suspense, drama e mistério na medida certa para deixar nosso coração apertado de expectativa. Ao Pôr do Sol é simplesmente maravilhoso!!!

Abordando uma família rancheira tradicional de Montana, essa história retrata situações familiares vividas através de quatro gerações e as consequências que todos tiveram que conviver com as decisões individuais ou em conjunto que foram tomadas, tanto para o bem, como para o mal. Podemos ver vários pontos típicos e tradicionais na escrita da Nora e assim, ao mesmo tempo em que temos uma sensação de familiaridade, nos deparamos com algo totalmente novo.

O livro segue o padrão que a Nora tem nos volumes únicos de ser dividido em partes que nos norteia para onde a trama da história está seguindo. Este livro tem quatro partes, sendo que nas duas primeiras temos uma intercalação nos capítulos entre o passado e os dias atuais, até a união dos fatos na terceira parte.

A Nora como sempre nos traz uma história com mulheres fortes e o enredo gira basicamente em torno da Alice Bodine, a filha que fugiu de casa no passado e que ninguém descobriu que rumo tomou, e Bodine Longbow, gerente do Resort da família e a única filha da irmã mais velha de Alice, Maureen, que também teve mais dois filhos, Chase que toma conta do rancho com o pai e Rory que trabalha com Bodine cuidando do marketing do Resort. Completando a trama temos a bisavó e avó de Bodine, Frany e CoraJéssica que é a gerente de eventos que veio do norte e Callen, o melhor amigo de Chase, que após muitos anos longe, voltou para o lar e aceitou o trabalho no rancho para treinar e cuidar dos cavalos.

Os sentimentos e enredo da trama do livro focam nos relacionamentos de uma forma geral, familiar, romântico, de amizade, de trabalho, de comunidade. Mostra como o respeito e amor entre familiares, amigos, colegas de trabalho são fundamentais para vivermos bem entre e como o perdão pode tornar muito mais fácil suportar e ultrapassar as dificuldades em qualquer situação. O amor é a chave em qualquer momento de felicidade. A história também nos traz como uma pessoa com a mente perturbada, em busca de ter algo neste sentido, pode cometer atos terríveis, sem ter consciência do quão errado é.

A trama que já começa bem forte, volta a mexer com a união da família quando um crime brutal acontece atingindo a eles como empresa e como parte da comunidade local. Eles sabem que precisam se unir para que nada mais os atinja, para continuarem a seguir em frente como sempre fizeram, porém ações tomadas pelo ciúme e a inveja trazem consequências graves e vai afetá-los diretamente.

Mas o romance não pode faltar né?! E o livro nos traz vários momentos fofos, engraçados e picantes, vividos pelos personagens principais. Traz aquele fato básico de que a amizade de infância pode ser um grande amor na vida adulta e que os opostos se atraem bem como os iguais. Ou seja, o livro tem tudo o que é necessário para a trama ser fantástica e ser impossível de largar antes de chegar ao final.

Pôr do Sol murmurou Alice. Seu nome é Pôr do Sol. Gosto de assistir ao sol se pondo. O céu fica bonito. Como mágica. Gosto de cavalos.

Quero confessar que sou muito ansiosa neste tipo de trama, e por mais certeza que tinha do final espetacular que a Nora faria, acabei por pedir a minha mãe uns spoilers, mas não necessariamente o final do livro, foi brutal a realidade da maldade que uma mente psicótica pode cometer, retratada nesta trama, e precisei de uma válvula de escape, ou seja, saber alguns fatos antes de lê-los.

Um livro nota máxima, 5 estrelas sem dúvida, com total recomendação para leitura e, como diz a minha mãe, 460 páginas foram poucas para uma história tão espetacular.

Boa leitura,

Carol Finco


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Ao Pôr do Sol
Ano: 2018
Páginas: 462
Editora: Bertrand Brasil
Sinopse:
O mais novo livro da grande dama do romance e do suspense 

O rancho Bodine é um negócio familiar, um lugar sossegado que acolhe turistas em busca de longas cavalgadas sob o ar fresco de Montana e casais que desejam celebrar seu casamento a céu aberto. Com pouco mais de trinta mil acres, ele é o lar de quatro gerações — e, nos bastidores, Bodine Longbow gerencia tudo com garra e paixão, contando com a ajuda da família, da equipe e de um novo funcionário, Callen Skinner.
Porém, o retorno de sua tia, há muito desaparecida — e a ameaça que segue em seu encalço — testarão os laços que prendem Bodine àquele lugar e àquelas pessoas, atirando-a num território sombrio que ela jamais poderia imaginar. 


 Não deixe de visitar o Blog Pretenses

12 dezembro, 2017

Resenha :: Belas Maldições

dezembro 12, 2017 4 Comentários

“Belas Maldições” já me chamou a atenção de cara apenas por ter Neil Gaiman como um dos autores, já havia ouvido falar sobre Terry Pratchett em outros grupos literários da vida – mas infelizmente nunca tive o prazer de ler suas obras, espero resolver isso! Quando a querida Elisabete Finco me perguntou se eu gostaria de ler o livro, aceitei prontamente, portanto, mais uma vez fica aqui meu agradecimento por ter me emprestado seu exemplar para a leitura .

“Se você quer imaginar o futuro, imagine um garoto, seu cachorro e seus amigos. E um verão que jamais termina.”

O enredo do livro é bem simples: o fim do mundo está prestes a ocorrer e temos criaturas que de tão habituadas a viver entre os humanos querem impedir isto, estamos falando do demônio Crowley – que é apaixonado por seu Bentley – e do anjo Aziraphale – que possui uma coleção de exemplares raros de livros, que eu adoraria conhecer. Apesar de ambos acreditarem que impedir algo já previsto a tantos e tantos anos seja uma tarefa quase impossível, eles resolvem tentar.

Tudo começou onze anos atrás em um hospital, com freiras satanistas, alguns bebês e uma grande confusão. Para dar mais tempero a essa trama, para lá de louca, somos apresentados a alguns personagens bem excêntricos como: a descendente da bruxa Agnes Nutter que lançou um livro com suas profecias muitos séculos atrás, caçadores de bruxas, os cavaleiros do apocalipse (que pilotam motos iradas) e, claro, o próprio Anticristo. 

"Deus não joga dados com o universo. Ele joga um jogo inefável de sua própria criação, que poderia ser comparado, da perspectiva de qualquer um dos outros jogadores, (todos os dois) a estar envolvido numa obscura e complexa versão de pôquer numa sala completamente escura, com cartas em branco, por apostas infinitas, com um crupiê que não lhe diz quais são as regras, e que sorri o tempo todo."

Em “Belas Maldições” temos o humor presente em cada uma das páginas, os autores capricharam nas notas de rodapé que são geniais (e é simplesmente impossível não rir da grande maioria delas), os personagens são divertidos e, por vezes, aparvalhados. Algo bem interessante de se notar, é que logo no início do livro os personagens são listados como se fizessem parte de uma peça de teatro, um toque bem bacana ao meu ver. O livro é dividido de acordo com os dias da semana, porém, a diagramação do “Sábado” deixou um pouco a desejar a meu ver - como este é um capítulo muito extenso, por vezes, a leitura ficou mais cansativa, portanto, creio que uma alteração na diagramação pudesse contribuir de forma positiva na experiência de leitura do livro.

Na contracapa do livro, há uma frase de Clive Barker (autor de Hellraiser): “O fim do mundo nunca foi tão engraçado”. Então, caso resolva ler em público, se prepare para ser julgado por rir! :P

Este ano, foi anunciado que “Belas Maldições” irá se tornar uma série e temos Neil Gaiman como roteirista e showrunner, além disso já foram divulgadas imagens dos atores David Tennant, que interpretará Crowley, e Michael Sheen, que interpretará Aziraphale. No elenco teremos nomes como Jack Whitehall, Michael McKean e Miranda Richardson.

A série será uma parceria entre a BBC e a Amazon e será transmitida no canal de streaming desta, que também possui Deuses Americanos (outra adaptação de uma das obras de Gaiman) no catálogo, infelizmente ainda não há uma data de estreia!

"- Está vendo - disse Crowley. - É como eu sempre disse. Humanos são uns traidores desgraçados. Não se pode confiar nem um pouco neles."

E vocês, já leram a obra? Pretendem ler? Conhecem o trabalho dos autores?

Até a próxima!

Nota :: 

Informações Técnicas do livro

Belas Maldições
As justas e precisas profecias de Agner Nutter, Bruxa
Terry Pratchett
Neil Gaiman
Ano: 2017
Páginas: 350
Editora: Bertrand Brasil 
Sinopse (Skoob):
Um descendente direto de O Guia do Mochileiro das Galáxias escrito por dois dos maiores autores britânicos de fantasia O mundo vai acabar em um sábado. No próximo sábado, e ainda por cima antes do jantar. O que é um grande problema para Crowley, o demônio mais acessível do Inferno, residente na Terra, e sua contraparte e velho amigo Aziraphale, anjo genuíno e dono de livraria em Londres. Depois de quatro mil anos vivendo entre os humanos, eles pegaram um gosto pelo mundo, e o Armagedom lhes parece um evento bastante inconveniente. Então, para evitar o fim do mundo, precisam encontrar a chave de tudo: o jovem Anticristo, agora um menino de 11 anos vivendo tranquilamente em uma cidadezinha inglesa. Em seu caminho, acabarão trombando com uma jovem ocultista, dona do único livro que prevê precisamente os acontecimentos do fim do mundo, caçadores de bruxas ainda na ativa e, quem sabe, até os Quatro Cavaleiros do Apocalipse. Mas eles precisam ser rápidos. Não é só o tempo que está acabando.

 Créditos: