Mostrando postagens com marcador Holly Black. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Holly Black. Mostrar todas as postagens

16 maio, 2022

10 abril, 2022

Resenha :: A Torre de Ouro (Magisterium #5)

abril 10, 2022 0 Comentários



  Pode conter spoiler dos livros anteriores.
Confira as resenhas dos primeiros livros da série!


Chegamos ao final da aclamada (por mim) série Magisterium, a última aventura de Call, Tamara, Jasper e o ser pensante que agora é Aaron. Não me toquem, eu estou sensível por estar me despedindo deles. Essa, com certeza, é uma que vou levar no coração, mesmo não a achando perfeita.

16 novembro, 2021

Resenha :: A Máscara de Prata (Magisterium #4)

novembro 16, 2021 0 Comentários




  Pode conter spoiler dos livros anteriores.
Confira as resenhas dos primeiros livros da série!


No MagisteriumCall sabia diferenciar certo de errado; mesmo que nem sempre escolhesse a coisa certa. Na prisão, tudo pareceu lhe escapar.

21 dezembro, 2019

Resenha :: Alma Negra (Mestres da Maldição #3)

dezembro 21, 2019 0 Comentários

  Pode conter spoiler dos livros anteriores.

Confira a resenha dos primeiros livros da trilogia!


Chegamos ao último livro dessa trilogia que trouxe um “que” de novidade para os universos de fantasia infanto-juvenil, que usam sempre os mesmos tipos de personagens míticos (vampiros, lobisomens, fadas...), que não julgo, pois também amo, mas é sempre bom dar uma renovada na criatividade. E, independente de se gostaram ou não da trilogia, com toda certeza ela já ganha pontos extras por isso.

Está na hora de ir com tudo, para um lado ou para outro. Está na hora de decidir no que quero acreditar.

Alma Negra é uma bola de neve em formato literário. As consequências das decisões que Cassel tomou nos livros anteriores, e que o levaram até ali, estão começando a aparecer e o obrigando a se envolver mais ainda em problemas que não seriam dele. Aqui chegamos à conclusão definitiva que ele tem uma família horrível, apesar de não conseguir odiar nenhum por completo, ele vai tentando o tempo todo arrumar as besteiras em que se metem e fica cada vez mais preso por consequência.

Agora ele terá que armar o maior golpe de sua vida enquanto sofre pressão da Máfia, FBI e da escola, além de tentar controlar seus próprios sentimentos em relação a Lila. 

Ela foi a paixão épica da minha infância. Foi a tragédia que me fez olhar dentro de mim mesmo e ver meu coração corrupto. Ela foi meu pecado e minha salvação.

A questão política da sociedade, que antes rodeava o enredo dos livros anteriores, entra bem mais forte nesse último livro. A preposição 2 para que todos os mestres sejam identificados está mais próxima de ser aprovada, e Cassel cada vez mais envolvido, apesar de suas tentativas de se afastar anteriormente.

A relação com os amigos foi, em momentos, bem explorada, Sam e Danecca são bem trabalhados nesse livro, apesar de achar que ouve uma criação de núcleo de novos acontecimentos para eles acabarem se afastando da trama central que Cassel estava envolvido. O que não ficou ruim, deu mais movimento para a história, mas ao mesmo tempo acumulava o protagonista com coisas para serem resolvidas, mas ele trabalhou muito bem em sua função de faz tudo, rs.

Sinto que não sobrou nada. Não há vontade de lutar em mim.

Não vou me prolongar em detalhes dos acontecimentos. Minha opinião geral é que, dentro do gênero Infanto-juvenil, acho Mestres da Maldição uma das tramas mais bem desenvolvidas, com ótimos personagens e sem muitas brechas. Ele entrega o que se propõem, é uma leitura extremamente divertida e com ótimas reviravoltas.

Não vai ser uma leitura que vai mudar sua vida, mas com certeza não foi uma perda de tempo. É um universo que eu adoraria que fosse mais explorado, mas digo que foi um dos finais mais divertidos que li. E não sigam o exemplo dele 😉.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Alma Negra
Mestres Da Maldição #3
Ano: 2015
Páginas: 336
Editora: Rocco
Sinopse:
Cassel Sharpe cresceu achando que era um ser humano comum, sem habilidades especiais, até descobrir que estava sendo manipulado por seus irmãos para se tornar um trapaceiro e assassino. Afinal, ele é um tipo raro e muito poderoso de mestre da maldição, capaz de transformar objetos e seres vivos em algo completamente diferente com um simples toque. Depois de Gata branca e Luva vermelha, o jovem está decidido a deixar o passado de fora da lei para trás. Mas para isso tem que tomar decisões difíceis, como se afastar de seu grande amor, e reaprender a distinguir a linha tênue que separa o certo do errado, a verdade da mentira – mesmo com seu coração, e sua vida, correndo risco. Com uma trama envolvente, Alma negra é o eletrizante desfecho da trilogia Mestres da Maldição.

27 novembro, 2019

Resenha :: Luva Vermelha (Mestres da Maldição #2)

novembro 27, 2019 0 Comentários

  Pode conter spoiler do livro anterior.

Confira a resenha do primeiro livro da trilogia!


O segundo livro da trilogia “Mestres da Maldição” consegue ser tão bom quanto o primeiro, não se tem o erro da maioria das séries ou trilogias de uma continuação morna, os acontecimentos aqui estão um pouco mais acelerados.

Só um monstro faria isso, mas eu já sei que sou um monstro.

Principalmente falando do protagonista que se mostra bem mais inteligente agora. Uma das poucas coisas que me incomodou em Gata Branca era que ele se descrevia bem melhor golpista do que realmente mostrava, mas Luva Vermelha traz um Cassel verdadeiramente esperto e com menos erros na hora do golpe. (Sim, ele age de forma completamente ilegal, mas torcemos mesmo assim)

— Você sempre foi bom, Cassel — comenta ele ao fechar a porta. — Não faço ideia de como ficou assim. Você simplesmente ficou. Como o garoto Cooper maluco. Não consegue controlar.
— Não sou bom — falo. — Eu manipulo todo mundo. Todo mundo. O tempo todo.
Ele solta uma risada.
— A bondade não vem de graça.

Nessa sequência, Cassel tenta seguir a vida depois de descobrir que é um dos mestres mais poderosos que existe, e era usado por seus irmãos sem que desconfiasse, mas agora as coisas se tornaram bem mais difíceis depois de uma morte misteriosa. Ele se vê preso entre Máfia e o FBI e sabe quanto se tornou alguém valioso. 

— A magia nos dá muitas escolhas — diz vovô. — A maioria delas é ruim.
[…] Eu me pergunto se esse é meu futuro. Escolhas ruins. Porque sem dúvida se parece muito com o meu presente.

Com a família que nosso protagonista tem quem precisa de inimigos? Eu realmente amo esse desenvolvimento familiar que Holly Black criou. Está tudo tão bem conectado que não podemos rotular os personagens como bons ou maus, apesar de coisas visivelmente imperdoáveis terem sido feitas, todos são tão interessantes que no livro dificilmente odiamos a persona, apenas as atitudes. 

Achei que jamais conseguiria trair minha família, jamais enfeitiçaria quem amo, jamais mataria alguém, jamais seria como Philip, mas me torno a cada dia mais parecido com ele. A vida é cheia de oportunidades para tomar decisões ruins que parecem boas. E, depois da primeira, o resto fica bem mais fácil.

O enredo romântico de Cassel e Lila foi desenvolvido bem melhor do que eu esperava. Depois daquele final em Gata Branca tive receio de que atitudes clichês seriam exageradamente reproduzidas em Luva Vermelha. Apesar de achar que Lila acabou perdendo um pouco de sua força de personalidade que tinha demonstrado antes por conta de estar enfeitiçada, fiquei receosa do que seria feito da relação dos dois. Mas agora estou receosa com o que ficou em aberto enquanto a isso para o último livro da trilogia, rs. 

Dói pensar nela, mas não consigo parar. Tem que doer. Afinal, o inferno é para ser quente.

Tirando a história central do que ficou em torno desse livro, muitos dos acontecimentos em relação aos personagens ficaram em aberto para serem melhor trabalhados na continuação, além de terem sido uma grande ponte para conectar mais ainda os personagens e a história em si, não tem muito o que falar sem soltar grandes spoilers (evitamos isso aqui, rs).

Então minha opinião até agora é que essa série está valendo muito a pena. E se você está em dúvida em continuar ou não a trilogia, te garanto que tudo só tem a melhorar. Vamos confiar em Holly Black e ver o que ela nos apresentará  com o grande finale em Alma Negra

A verdade é confusa. É crua e desconfortável. Não se pode culpar as pessoas por preferirem mentiras.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Luva Vermelha
Mestres da Maldição #2
Ano: 2014
Páginas: 368
Editora: Rocco
Sinopse:
Maldições e golpes. Magia e máfia. No mundo de Cassel, tudo caminha junto. Cassel sempre se viu como um cara comum, até perceber que sua memória era manipulada pelos irmãos. Agora ele sabe a verdade: é um mestre da maldição muito poderoso. Um toque de sua mão pode transformar qualquer coisa – ou qualquer um – no que ele quiser.
Quando seu irmão mais velho é assassinado, os Federais recrutam Cassel para ajudar a desvendar a única pista: imagens da cena do crime de uma mulher usando luvas vermelhas. Mas a máfia também está atrás de Cassel – sabe o quão valioso ele pode ser.
Para sobreviver, Cassel terá que ficar um passo à frente tanto da lei quanto da máfia. Mas a quem ele deve recorrer se não pode confiar em ninguém – menos ainda em si mesmo? O amor é uma maldição, e o golpe é a única vantagem em um jogo perigoso demais para perder. Conseguirá Cassel escapar das garras da lei e da máfia, terminando o ano letivo na exclusiva escola Wallingford como a maioria dos outros alunos, cujas grandes preocupações são a formatura e a matrícula na faculdade? A amizade com Sam e Daneca resistirá aos segredos que envolvem o jovem mestre da transformação?
Em uma narrativa recheada de ação e mistério, Holly Black prende a atenção dos leitores e mostra que o amor pode ser uma maldição e a confiança o único caminho em um universo onde nem sempre as coisas são o que parecem. As apostas estão cada vez mais altas nesta fascinante sequência de Gata branca, da série Mestres da Maldição.

21 novembro, 2019

Resenha :: Gata Branca (Mestres da Maldição #1)

novembro 21, 2019 0 Comentários

Essa é uma trilogia que li pela primeira vez há alguns anos, mas só depois de uma releitura recente que decidi compartilhar mais sobre ela com vocês, pelo melhor motivo possível: Conseguiu me prender novamente como se fosse a primeira vez! 

Minta até que você mesmo acredite, esse é o verdadeiro segredo sobre mentir. É o único meio de não ter nada que entregue você.

Nesse universo, criado pela autora Holly Black, existe uma parcela bem pequena da população chamada de mestres, pessoas que tem poder de mudar emoções, sorte, memórias e até matar com apenas um toque de suas mãos. A existência de mestres nessa sociedade é permitida, mas usar os dons é considerado crime. Como mãos são como armas (até mais perigosas), todos usam luvas sendo mestres ou não e, dificilmente, as tiram na frente de outras pessoas por ser algo de extrema intimidade. 

Nosso professor dizia que, se alguém viesse em nossa direção com as suas mãos nuas, deveríamos considerar aquelas mãos potencialmente tão mortais quanto facas...

Nesse universo temos um protagonista tão interessante quando o próprio mundo criado pela autora. Cassel não nos é apresentado como um personagem ingênuo ou simplesmente bom, não vem como um herói de princípios, mas um anti-herói que segue caminhos tortos mesmo para tomar decisões boas; é um golpista profissional, vindo de uma família também de golpistas profissionais e sendo o único não mestre da família. 

Sabe o que costumavam dizer sobre garotos como você? São inteligentes como o diabo e duas vezes mais bonito do que ele.

Apesar de uma família completamente louca e desestruturada, Cassel tenta ao máximo passar uma imagem de um garoto normal na escola, para compensar um passado terrível: a lembrança de ter matado a melhor amiga quando criança e de não lembrar o motivo por ter feito isso. E está tentando seguir em frente apesar da culpa, o que  vai por água abaixo quando começa a sonhar uma Gata Branca e ter um ataque de sonambulismo na escola.

A memória é fugidia. Ela se ajusta à nossa compreensão do mundo, se deforma para acomodar nossos preconceitos. Não é confiável.

O livro vai se desenvolvendo a partir desse acontecimento, de Cassel percebendo falhas em sua memória, da desconfiança de que esconderam algo dele a vida toda e que a gata branca, dos seus sonhos, é a única que pode lhe dar as respostas que precisa.

O melhor do livro, além de um principal bastante carismático, até por vezes engraçado, é que os personagens secundários também são bastantes interessantes. A família de Cassel é extremamente diferente e, mesmo a narração sendo em primeira pessoa, conseguimos pegar bastante das personalidades dos outros, assim como os colegas da escola dele, apesar de sempre achar que alguns poderiam se desenvolver um pouco mais.

Holly Black tem uma escrita bastante leve, bem direta, ela é uma ótima pedida para quem curte literatura infantojuvenil.

Os alvos esquecem que, quando uma coisa é boa demais para ser verdade, significa que é golpe.

Um ponto negativo são as capas dos livros. Eu não curto tanto capas com modelos, até por nós acabarmos ligando a aparência do protagonista com o modelo da capa, mas fazendo uma releitura, depois de anos da primeira vez que li, prestei mais atenção na descrição do personagem que em várias ocasiões se descreve como alguém “não branco”, inclusive em alguns momentos ele pondera se tem ascendência indiana e em outros fala da pele naturalmente bronzeada dele e dos irmãos; e o modelo da capa o representando é um homem bem branco segurando uma Gata Branca (sem críticas à gata, rs). Bom, fiz o possível para desconectar as aparências e imaginar por conta própria, mas capas com modelos vejo sempre como tendenciosas demais.

Em geral, eu indico muito a trilogia Mestres da Maldição. Holly Black está crescendo muito sua escrita e é uma autora do gênero que vale a pena acompanhar mais. 

Para mim, a maldição é um muleta, mas o golpe é tudo.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Gata Branca
Mestres da Maldição #1
Ano: 2012
Páginas: 360
Sinopse:
Cassel vem de uma família de Mestres da Maldição – pessoas que têm o poder de mudar emoções, memórias e destinos com o mais leve toque das mãos. Mas fazer isso é ilegal, o que significa que todos eles são criminosos. Exceto Cassel. Ele não tem o toque mágico, está de fora: é o único filho normal em uma família paranormal. Apesar de ser o único sem poderes entre os irmãos, Cassel está longe de ser um santo. Aos 14 anos, ele matou uma jovem, Lila, sua melhor amiga e por quem era apaixonado, carregando desde então a culpa do crime e a vergonha da lembrança mais forte que tem daquele fatídico dia: a euforia de escapar impune.
Tentando fugir de seu terrível passado, Cassel faz de tudo para ser como os outros garotos. Uma noite, porém, tudo vai por água abaixo: depois de sonhar repetidas vezes com uma estranha gata branca. As imagens do animal provocam uma crise de sonambulismo que levam o garoto a andar pelos telhados da Escola Preparatória Wallingford, o exclusivo colégio onde ele estuda e, nas horas vagas, trabalha como bookmaker, agenciando apostas dos outros alunos. Assustada, a direção da escola suspende o rapaz por alguns dias, e ele é forçado a voltar à antiga casa dos Sharpe. Em um ambiente cheio de recordações da infância, Cassel começa a questionar seu passado quando a gata branca de seus sonhos aparece na propriedade. Será que suas lembranças são reais? Será que o assassinato de Lila realmente aconteceu da forma que lhe contaram?
Desconfiado de que não passa de uma pequena peça de um grande golpe, Cassel começa então a fazer uma busca em seu passado e em suas memórias, que parecem lhe fugir. Para desvendar os mistérios de sua vida, ele vai precisar armar um verdadeiro golpe de mestre.
Gata Branca é o primeiro volume da série Mestres da Maldição, de Holly Black, autora, junto com Tony DiTerlizzi, da série As crônicas de Spiderwick. Black foi finalista dos prêmios Mythopoeic e Eisner e vencedora dos prêmios Andre Norton e Newbery Honor.