Mostrando postagens com marcador HarperCollins Brasil. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador HarperCollins Brasil. Mostrar todas as postagens

16 dezembro, 2020

Resenha :: Um Estudo em Vermelho

dezembro 16, 2020 0 Comentários

Durante muito tempo, eu tive medo de ler os livros de Sherlock Holmes por ser apaixonada pelos seriados, sejam do próprio Sherlock ou baseado nesse personagem que ganhou vida própria tamanho fascínio que exerceu sobre os leitores de todos os tempos, seja pela genialidade de seu criador. Mas fui instigada a ler e minha paixão passou a ser estendida aos livros. 

11 dezembro, 2020

Resenha :: O Jardim Secreto - A história contada no filme

dezembro 11, 2020 1 Comentários

Olá, faroleiros. Hoje venho falar para vocês sobre o livro O Jardim Secreto, só que a versão escrita por Linda Chapman, com base no roteiro do filme escrito por Jack Thorne, publicado pela editora HarperCollins. Então quem já leu a edição original desta história e deseja ler esta edição, esqueça do que leu no original, pois são histórias bem diferentes, esta é uma adaptação.

16 novembro, 2020

Resenha :: O Exorcísta

novembro 16, 2020 0 Comentários

Olá, pessoa!! Hoje venho comentar minha leitura de um livro que muitas pessoas conhecem pelo filme também clássico das histórias de terror. Quatro décadas após chocar o mundo inteiro, a obra-prima de William Peter Blatty permanece uma metáfora moderna do combate entre o sagrado e o profano, em um dos romances mais macabros já escritos...

29 outubro, 2020

Resenha :: O Hobbit

outubro 29, 2020 2 Comentários

Olá, pessoa!! Talvez você não saiba, mas “O Hobbit” foi nossa primeira leitura em conjunto aqui no Clube. E por isso, três anos depois, não foi surpresa alguma as pessoas quererem fazer novamente essa jornada pela Terra Média, pela região do Condado. 

De certa forma, essa é uma obra que abre o mundo da Terra Média para quem não conhece nada da obra de Tolkien, e recomendo fortemente o começo por ela. Afinal os acontecimentos aqui marcam vários acontecimentos que irão culminar no primeiro livro da saga do Anel, A Sociedade do Anel.

23 setembro, 2020

Resenha :: Para Sempre Alice

setembro 23, 2020 0 Comentários

Alice sempre foi reconhecida por sua inteligência e sua memória. Ela sempre foi uma mulher de certezas. Doutora em Psicologia cognitiva, ela ocupa uma cadeira importante como professora titular em Harvard. Completados 50 anos, possui diversos livros publicados e influentes em sua área de estudo e tem uma carreira de respeito. Sua vida começa a mudar quando percebe que está ficando esquecida.

 

17 setembro, 2020

10 outubro, 2019

Resenha :: Momento Mágico

outubro 10, 2019 0 Comentários

Olá, faroleiros, no dia 10 de outubro a diva Nora Roberts faz aniversário e, em homenagem a ela, vamos postar esta resenha aqui no Clube. Esta é uma história publicada pela primeira vez em 1983, e mesmo assim é uma história super atual, muito fofa e que amo muito. Eu tenho as duas edições publicadas no Brasil, a primeira pela Harlequin em um livro com duas histórias e a segunda reeditada pela HarperCollins e fiquei apaixonada por esta última edição em todos os sentidos. Momento Mágico é aquela história de romance que merece ser lida, principalmente para curar uma resseca literária.


Ryan Swan é uma jovem linda, tenaz, simpática e tem um temperamento forte, mas faz de tudo para disfarçá-lo. Ela trabalha na empresa do seu pai, a Swan Produções, como uma faz tudo, hoje negociadora de contratos, mas seu sonho é conseguir dirigir uma produção em todos os seus níveis. Vive sua vida buscando não ter expectativas emocionais, devido a sua infância, mas tem a maior esperança que algum dia o seu pai lhe diga que sente orgulho dela, afinal ela sempre soube que ele gostaria de ter tido um menino. Apesar dos complexos da personagem, ela não é mimizenta de forma nenhuma, o que fez com que eu gostasse bastante dela.

— Não é ca­sada, vive sozinha. É uma realista que se considera muito prática. Acha difícil controlar seu temperamento, mas se esforça. É uma mulher muito cautelosa, Srta. Swan, leva tempo para confiar, tem cuidado nos relacionamentos. É impaciente porque tem algo a provar. A si mesma e ao seu pai.

Pierce Atkins é um homem de personalidade bem fechada, o que desde o início desconcerta a Ryan, ele possui um olhar profundo, que a deixa se sentindo hipnotizada, com a impressão de que ele está conseguindo ler a sua mente, o que ela, por ser uma pessoa realista, descarta de imediato. Ele é um ilusionista como Houdini, talvez até melhor, pois possui seus próprios truques. Acredito que esta história a Nora tenha tomado como base para o seu livro Ilusões Honestas. Pensa em um homem alto, forte, com um olhar penetrante.... rsrsrs... Sou louca por ele.

Talvez ele a tivesse hipnotizado, pensou assustada en­quanto escovava o cabelo. O jeito que ele olhou para ela, o modo como seus pensamentos fugiram... Com um tom de frustração, Ryan jogou a escova dentro da mala. Não se pode ser hipnotizado com um olhar.

A história começa com ela indo se encontrar com Pierce Atkins, um famoso mágico, considerado muito excêntrico, para assinar o contrato negociado entre seu agente e a Swan Produções. De cara sua opinião sobre os mágicos se concretiza ao ver que a casa do Pierce parece um cenário para filmes de terror e ao ser atendido na porta pelo seu mordomo, que na realidade é um amigo, que trabalha com ele, o Link, que segundo a descrição do livro, me lembrou do Frankenstein. Mas a Nora nos ensina que nunca podemos julgar alguém pela aparência, pois a imagem engana.

Link trouxe torradas, resmungando sobre ela ter que comer alguma coisa. Ryan comeu tudo obedientemente, pensando no comentário de Pierce sobre aparências. Se nada mais adviesse de sua estranha visita, ela havia apren­dido algo. Ryan não acreditava que algum dia teria deci­sões precipitadas novamente sobre alguém com base na aparência.

Os dois sentem uma atração imediata, mas ele terá que trabalhar muito para que ela confie nele, assim como também ele terá que confiar nela. Você pode esperar bastante emoção entre os dois, e um desenrolar de toda a história de maneira bem legal, com um enredo leve e ao mesmo tempo profundo com relação ao passado dos personagens, possui também muitas partes cômicas e românticas. É, em minha opinião, uma história muito linda. Confesso que uma de minhas favoritas. Possui várias referências literárias, em especial os clássicos, tanto citadas, como utilizados no nome dos animais de estimação.


Super indico este livro para quem gosta de romance, no real sentido da palavra, e para quem gosta de mágica também. Por ser um livro pequeno, você irá lê-lo bem rápido, até porque não sentirá vontade de larga-lo.

Boa leitura,

Carolina Finco


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

Momento Mágico
Ano: 2017
Páginas: 192
Sinopse:
Para Ryan Swan, convencer o excêntrico ilusionista Pierce Atkins a assinar um contrato com sua produtora era uma questão de honra. Além de fechar um importante acordo para a empresa, ela provaria a todos, principalmente a seu pai, que era capaz de se virar sozinha. Assim que chega à exótica mansão de Pierce, ela fica deslumbrada pela atmosfera do lugar. Tudo parecia ter saído de um filme, inclusive seu carismático anfitrião. Porém, quando uma tempestade a prende na mansão, Ryan é obrigada a encarar a verdade: seu interesse por Pierce é muito mais do que apenas profissional. Contudo, ela acredita que se envolver com um homem que ganha a vida desafiando a morte é uma grade estupidez, e decide manter seu coração fechado a sete chaves. Por sorte, Pierce é especialista em abrir todos os tipos de fechaduras, até mesmo as mais impossíveis…

29 outubro, 2018

Resenha :: Em Nossa Próxima Vida

outubro 29, 2018 7 Comentários

Quantas vezes você pode perder a pessoa que mais ama?

Olá, faroleiros! Tudo bem com vocês? Fiz uma leitura recentemente e quero compartilhar com vocês um pouco dela. O livro é Em Nossa Próxima Vida, da Lauren James. Esse livro foi publicado no Brasil pela editora HarperCollins e marca a estreia da autora.

Um casal na Inglaterra em 1745, em 1854, em 2019 e 2039. Além do fato deles terem os mesmos nomes, o que mais poderiam ter em comum? Katherine e Matthew nascem, se apaixonam e morrem de maneira trágica, salvando o mundo de acontecimentos catastróficos. Em cada uma dessas vidas, eles têm que lidar com fatos peculiares que ameaçam o romance dos dois.

Em 1745, Katherine é uma jovem de família rica e Mathew um simples cocheiro. Nessa época a Inglaterra está em guerra com a Escócia. Quando os dois se conhecem, o comportamento de Matthew leva Katherine de 1745 a suspeitar que ele é um informante escocês infiltrado na sociedade inglesa.

O cocheiro desceu e contornou a carruagem para ajuda-la a sair. Deu um sorriso gentil enquanto Katherine segurou firme na mão que ele oferecera para ela se equilibrar. Sentiu que relaxava em resposta ao toque dele, e sua expressão se suavizou, embora não tenha conseguido sorrir. Não sorria de verdade fazia algumas semanas.

Em 1854, Katherine vivia sob o nome de Christopher Russel (isso mesmo ela se disfarçava de garoto!) enquanto Matthew é um jornalista prestes a ir à guerra, necessitando de um assistente para acompanha-lo nessa perigosa empreitada.

— Enfim. O homem colocou um anúncio no jornal. Está em busca de um assistente. Um jovem criado que saiba ler e escrever. Eu gostaria que você se candidatasse para tal posição para se certificar de que ele não se meta em nenhuma confusão ou que revele qualquer segredo militar para ser publicado em uma porcaria de jornal de circulação nacional.

Em 2019, já conhecemos os dois como um casal e funcionários do laboratório Central Science. Porém essa parte da história só é contada através de artigos de jornal, bilhetes entre o casal, e-mails e mensagens de celular.

K, Vou dar uma saída para comprar o almoço. Se você tocar nas minhas culturas de bactérias novamente, não vai comer mais nenhuma panqueca por pelo menos um mês e desta vez estou falando sério. Não teve graça na primeira vez e não está ficando nenhum pouco mais engraçado, apesar do que você possa pensar. Chega de esconder meus experimentos. Amo você, Matt

E, no tempo atual do livro, 2039, Kate e Matt são estudantes de Biologia e tem uma ligação parental com a Katherine e Matthew de 2019. Descobrem isso no instante que se veem, pois são idênticos ao casal de 2019 e começam a fuçar a trágica história deles.

Quando sua mão tocara na de Matthew mais cedo naquele dia, podia jurar que alguma coisa... Que acontecera alguma coisa. Piscou tentando se lembrar exatamente o que tinha acontecido. Sentira-se estranha, como se tivesse acabado de se lembrar do sonho da noite anterior do qual tinha se esquecido completamente.


Vamos por partes. O livro tem uma proposta muito interessante. A história é narrada por capítulos intercalados das vidas repetidas. Cada uma com sua peculiaridade. Menos a do ano de 2019 que é interligada, diretamente, com a história de 2039. Os personagens têm personalidades distintas, mas quem ganha destaque em todas as épocas é a Katherine. Ela é destemida, determinada e muito sagaz em qualquer dos cenários.

Conforme as histórias vão caminhando, a autora Lauren James utilizou recursos visuais como fotos, notas e matérias de jornais para que nós mergulhássemos na trama e nos conectássemos a Inglaterra de 1745 e 1854. E ainda pôde utilizar a internet e o celular para contar as histórias de 2019 e 2039.

Até então a leitura foi muito empolgante. Lemos as primeiras páginas ávidas por conhecer mais dos personagens e da época em que eles vivem. Porém, no decorrer da trama, o desenvolvimento se tornou lento e cansativo. Este fato pode ser porque a autora teve que desenvolver, simultaneamente, a história de todas as épocas já que elas são interligadas. Existem tramas envolvidas em todos os cenários e os personagens estão diretamente ligados a elas.

Há também um personagem oculto nas cenas, um observador. Ele acompanha Katherine e Matthew ao longo dos anos e tenta interferir no destino, caso perceba que algum problema coloca em risco o relacionamento dos dois (como realmente acontece e vocês verão). Isso para mim ficou vago no livro, a autora poderia ter explorado um pouco mais no final quem é o tal observador. Além de nos frustrar todas as vezes que esse observador solicita intervenção e ela é negada.

Possa ser que eu não tenha capitado a essência da história, que é aquilo que o autora quer transmitir com o livro. Mas eu terminei Em Nossa Próxima Vida com a sensação de que perdi alguma cena importante. Como se o livro não estivesse completo no final. Após o término da leitura, pesquisei na internet pela continuação e descobri que a Lauren escreveu The Last Beginning (ainda não lançado no Brasil). Esse livro contará a razão de tudo o que aconteceu com Matthey e Katherine.

Portanto, para elucidar todas as minhas dúvidas, aguardarei ansiosa pela continuação. No mais, como eu disse anteriormente, a proposta do livro é interessante e inovadora. Vale a pena a leitura, pois as experiências são diferentes para cada leitor. Espero ouvir de outros leitores suas impressões sobre a história. Até a próxima, pessoal!

Eu amo você. Em todas as vidas. Eu amo você. Eu amo muito você.


Nota ::  3,5 

Informações Técnicas do livro

Em Nossa Próxima Vida
Ano: 2016
Páginas: 288
Sinopse:
Katherine e Matthew não são um casal comum. Por trás do amor dos dois estão muitas e muitas vidas, repetidas século após século. A cada vez que renascem, a presença deles muda a história para melhor, e embora a paixão entre os dois seja sempre avassaladora, a tragédia também os segue, não importa a época.
Em linhas temporais que vão do século XVIII a um futuro próximo, não tão diferente do nosso presente, Katherine e Matthew sempre se veem sacrificando suas vidas para salvar o mundo. Mas por que eles continuam voltando? Em uma jornada contra o tempo e o destino, Katherine e Matthew precisam desvendar os mistérios que envolvem seu amor antes que seja tarde demais. O que mais eles devem fazer para conseguir viver e amar em paz?
Uma estreia inesquecível, poderosa e épica, Em nossa próxima vida é um romance único, que explora a atemporalidade do primeiro amor utilizando elementos como cartas, diários, recortes de jornal e artigos de internet. A trama, ao mesmo tempo apaixonante e misteriosa, vai cativar os mais diferentes leitores, desde os de romance até os de ficção científica e história.

14 julho, 2018

Resenha :: A Boa Filha

julho 14, 2018 0 Comentários


“28 anos atrás, a feliz vida familiar de Charlotte e Samantha Quinn foi dilacerada por um terrível ataque à casa de sua família. Deixou a mãe deles morta. Deixou o pai deles - o notório advogado de defesa de Pikeville — devastado. E deixou a família fraturada além do reparo, consumida por segredos daquela noite terrível.
Depois de todos esses anos Charlie (Charlotte) seguiu os passos de seu pai para se tornar uma advogada - a boa filha ideal. Mas quando a violência chega a Pikeville novamente - e uma tragédia chocante deixa toda a cidade traumatizada — Charlie está mergulhado em um pesadelo. Não só ela é a primeira testemunha em cena, mas é um caso que desencadeia as terríveis memórias que ela passou tanto tempo tentando suprimir. Porque a verdade chocante sobre o crime que destruiu sua família há quase trinta anos não será enterrada para sempre.” (Sinopse Americana)



Falar ou escrever sobre esse livro é ainda mais difícil que o normal, porque qualquer coisa pode ser um spoiler e realmente estragaria as surpresas e as reviravoltas que ele possui, e a pessoa que vai ler pode esperar por elas de TODAS as formas, do início ao final do livro.  A máxima do House “everybody lies” se aplica com perfeição nesse livro. Quando Charlie se vê como testemunha de um crime, não apenas a tragédia, mas a investigação do mesmo começa a desencadear fatos que remontam ao que aconteceu com ela quando tinha 13 anos.

Pikeville é uma cidade criada pela autora, mas de certo modo nessa cidade ninguém é completamente inocente ou culpado. Do pai de Charlie ao promotor de justiça. Outra coisa que esse livro aborda é a violência, seja doméstica, bullying ou urbana. A pergunta que permeia toda trama é: Quando é demais para alguém conseguir superar? Quanto de dor e sofrimento é necessário para que seja demais?

A escrita da autora me prendeu do começo ao fim da trama, eu realmente precisava de respostas, porque a cada página mais perguntas surgem, porque as respostas que você já tinha não são mais verdadeiras, válidas. As surpresas e reviravoltas acontecem de forma quase enlouquecedora (no melhor sentido de um suspense), então o porquê da nota?

Porque para mim a autora passou a linha do necessário, ela trouxe elementos a esse sofrimento que achei que serviam mais para chocar o leitor do que necessárias à trama. E ela fez isso de forma repetitiva para alguns personagens, o que mais me chateou foi que isso não criou em mim qualquer forma de empatia ou simpatia para com a trama.

Enfim, é um ótimo livro, mas não a ponto de eu querer ler mais nada da autora, porque não sei se meu coração suporta outro rolo compressor passando por cima dele.


Nota :: 


Informações Técnicas do livro

A Boa Filha
Ano: 2018
Páginas: 480
Editora: TAG - Experiências Literárias; HarperCollins Brasil
Sinopse (Skoob):
Um crime brutal devasta a família Quinn. Os suspeitos são os irmãos Culpepper, conhecidos na cidade como reincidentes na delinquência. Desintegrado, o clã dos Quinn tenta superar o trauma à sua maneira, até que, 28 anos depois, outro incidente violento trará à tona tudo aquilo que ficou guardado.